Zé Pedro Taques nega ‘caixa 2’, nega relação com Nadaf mas não fala de Alan Malouf

alan-maluf-taques1

Tudo de acordo com o figurino. O governador Zé Pedro Taques, que falava tanto em transparência, não convocou coletiva, pelo contrário. Emitiu uma nota, na noite deste domingo (20), onde nega a suposta delação do ex-secretário da Casa Civil, Pedro Nadaf, que teria confessado que o mesmo operador que arrecadou Caixa 2 para os políticos do PMDB, também arrecadou R$ 2,5 milhões para a campanha eleitoral do então candidato ao governo Pedro Taques em 2014.

Para Zé Pedro Taques, se a informação de O Globo for procedente e a delação do Nadaf contiver de fato esta denúncia , tudo não passa de uma “tentativa sórdida” de adversários para incriminar.

Zé Pedro não perdeu o oportunidade de dar uma tacada no Silval, aquele cachorro morto que todos nós conhecemos. O tucano avalia que é vítima de retaliação do grupo político do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), que está preso, acusado de participar de um esquema de cobrança de propina para concessão de incentivos fiscais.

Mas imaginem o que acontecerá quando os valorosos repórteres investigativos de jornais e sites como A Gazeta, TV Centro América, Midia News, Folha Max, Olhar Direto e tal e tal resolverem investigar as relações que tanto Pedro Nadaf e os políticos do PMDB mantinham com este operador financeiro tão conhecido em Mato Grosso que é o empresário Alan Malouf, dono de factoring que inclusive já virou alvo de algumas das investigações do Gaeco e do Ministério Público Estadual. Vejam que, além de atuar como operador financeiro para políticos do PMDB como Silval e Pedro Nadaf, Malouf chegou a ocupar a honrosa posição de um dos caixas da campanha eleitoral de Zé Pedro Taques, em 2014.

Logo, a nota do governador tucano está toda errada quando nega sua relação com Nadaf. A questão não é essa. O que se deve investigar é a relação de Zé Pedro Taques com o operador citado pela coluna do Lauro Jardim, no insuspeito jornal O Globo.

Vejam que a coluna do Lauro Jardim, ao contrário do que tenta fazer crer o Zé Pedro, jamais disse que Nadaf captara caixa 2 para o nosso atual governador. O trecho da matéria falando da delação do Nadaf, no Globo, foi a seguinte: “Nela, Nadaf conta que um operador que servia ao PMDB e a Nadaf também atuou em 2014 para o então pedetista Taques.”

Dai essa minha especulação, que os valorosos reporteres investigativos da midia regional certamente esclarecerão: esse operador pode ser o sr. Alan Malouf. Me parece uma especulação razoável, tendo em vista o que tem se observado nas recentes demandas do Gaeco em nosso Estado.

E segue a vida. Voltaremos ao assunto


Confira a íntegra da nota emitida pelo governador Zé Pedro Taques:

Acerca da nota publicada neste domingo (20.11) pelo jornal O Globo, informando uma suposta citação do governador Pedro Taques na delação do ex-secretário-chefe da Casa Civil do Estado, Pedro Nadaf, o Governo de Mato Grosso vem a público esclarecer:

1) Pedro Taques nunca teve militância ou qualquer outra relação política com Pedro Nadaf, que é réu confesso investigado nas operações Sodoma, Seven e Sodoma 2, por envolvimento em crimes de corrupção no governo Silval Barbosa. Portanto, a eventual citação do nome do governador, caso seja confirmada, não passa de uma tentativa sórdida de envolvimento de um adversário político em crimes que Pedro Taques sempre combateu, seja durante seus 15 anos de atuação no Ministério Público Federal, seja no exercício do mandato de Governador de Mato Grosso.

2) Até onde se sabe oficialmente, a delação de Pedro Nadaf ainda aguarda homologação da Procuradoria Geral da República e do Poder Judiciário, e corre em Segredo de Justiça, o que dificulta esclarecimentos pontuais, uma vez que o governador não tem conhecimento do teor da referida delação.

3) O governador antecipa que ingressará com medidas judiciais cabíveis para ter acesso ao teor da delação, uma vez que o documento vazou para a imprensa vinculando seu nome ao caso, causando prejuízos à sua imagem, mesmo sem ter nenhum envolvimento com os fatos narrados.

4) No que se refere à contabilidade da coligação “Coragem e Atitude para Mudar”, pela qual concorreu ao Governo nas eleições de 2014, o governador reitera que sua prestação de contas foi devidamente apreciada e aprovada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE/MT), sem nenhuma ressalva, o que demonstra a correção e a legalidade da sua conduta e de sua coligação.

5) Por fim, o governador condena com veemência a tentativa de agentes políticos ligados ao governo anterior e seus desmandos de envolvê-lo em práticas que sempre combateu ou de fazerem exploração política de uma acusação infundada, descabida e criminosa, e reafirma seu compromisso de continuar realizando um governo popular, transformador, responsável e de combate firme e determinado às práticas da improbidade e da corrupção, que tantos prejuízos já causaram ao Brasil e a Mato Grosso, e pede que as autoridades do Ministério Público e Judiciário apurem com rigor e agilidade a referida delação, para que não pairem dúvidas sobre a verdade, por entender que ninguém está acima da lei.

Cuiabá-MT, 20 de novembro de 2016.

GCOM -Gabinete de Comunicação do Governo do Estado de Mato Grosso

Categorias:Direito e Torto

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

cinco × 5 =