Zé Pedro Taques diz que, apesar da sua proposta de PPPs, é contra a privatização das escolas. Diz também que não paga o RGA integral por que não quer atrasar pagamento dos salários dos servidores. Ele fala, fala, mas não convence. Por que o governador não aceita debater com Henrique Lopes as PPPs? Por que o tucano não abre, de vez, as contas do Estado, para sindicalistas e toda população? Cadê a transparência total anunciada?

 Zé Pedro Taques comanda um governo que não respeita o direito de greve. Diante de uma greve declarada legal

Zé Pedro Taques comanda um governo que não respeita o direito de greve. Diante de uma greve declarada legal

Alguns vídeos que chegam à redação destas PAGINA DO E, mostram o governador Zé Pedro Taques conversando tranquilamente com professores grevistas, no interior do Estado, e falando, falando, garantindo que a sua proposta de PPPs (Parcerias Público Privadas) nas escolas públicas de Mato Grosso não tem nada a ver com privatização.

Zé Pedro garante que também é contra privatização.

Eu fico imaginando: se o governador está tão certo de suas verdades, por que é que ele não aceita participar de um debate público com o presidente do Sintep esmiuçando o tema? O governador topa ou não topa? ‪Parece que não topa. Mas seria bom se topasse.

Imagino que o Zé Pedro, que se mostra tão traquilo nesses seus encontros com grevistas pelo interior do Estado, deveria fazer o seguinte: garantir pelo menos um debate aberto e franco do seu secretário de Educação, das atuais autoridades educacionais do Estado com os sindicalistas do Sintep, que pudesse ser acompanhado pelos demais trabalhadores da Educação e por toda a sociedade mato-grossense.

Esses políticos, coitados, costumam ter medo de vaias e outras manifestações populares. Mas como o Zé Pedro já disse que não é candidato a Miss Simpatia, ele deveria topar. Para esclarecer o tema, ou pelo menos avançar bastante no esclarecimento. Esse negócio de uma lado ficar chamando o outro de mentiroso e não se chegar a um desenlace não me satisfaz.

Eu constato que com relação aos salários, a conversa do Zé Pedro Taques virou uma ladainha: ele diz que não paga RGA integral para não ter que atrasar salário. Mas e a taxação do agronegócio, sai ou não sai? E as contas do Estado serão abertas para análise de sindicalistas e da população quando?

Apenas aparecer dizendo, da boca pra fora, que não pode pagar não basta, governador.

Se o Zé Pedro tem direito de duvidar dos números apresentados pelo Consórcio do VLT, por exemplo, os servidores e contribuintes também tem direito a pleno acesso ao livro caixa do governo para passar o pente fino na relação de receitas e despesas e ficar sabendo se essa conversa de atrasar salário não é só um daqueles papos pra boi dormir.

Lembro que, mesmo antes de assumir, o governador tucano dizia que iria ser o governador mais transparente da História deste Mato Grosso.

Os sindicalistas do Fórum Sindical, todavia, reclamam justamente da falta de transparência da administração com relação aos dados. O que se diz é que o Zé Pedro e seu plantel de burocratas ficam enrolando, enrolando e não abrem os números.

Quando é que toda esta enrolação vai acabar?

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quatro × 5 =