PREFEITURA SANEAMENTO

Wallace Guimarães escala trio de advogados para retomar, no Tribunal Regional Eleitoral, o comando da Prefeitura de Várzea Grande. José Patrocínio, José Blaszak e Eduardo Mahon querem derrubar, no Pleno, sentença do juiz José Lindote que favoreceu coligação capitaneada pela Sra. Lucimar Campos. VEJA EM VIDEO

Na maior parte da mídia regional, o caso já é tratado como favas contadas, como evidente resultado do lobby implementado pela família Campos e pela forças políticas que se articulam em torno do governador Pedro Taques, atual correligionário dos velhos caciques da política de Várzea Grande, a favor da prefeita provisoriamente empossada Lucimar Campos (DEM).

O prefeito afastado de Várzea Grande, o médico Wallace Guimarães (PMDB), todavia, entende que seus recursos ainda não se esgotaram, apesar do que tenta fazer crer os partidos da atual ordem regional.

Nesta semana, Wallace vai recorrer ao Tribunal Regional Eleitoral na expectativa de suspender a decisão do juiz José Lindote, da 58ª Zona Eleitoral, que julgou procedente a Ação de Investigação Judicial Eleitoral proposta pelo DEM e cassou o seu diploma, pela pretensa prática de Caixa 2, durante a campanha eleitoral de 2012. Para representá-lo, Wallace escalou, além de José Patrocínio, que já vinha atuando em sua defesa, os também tarimbados advogados José Blaszak e Eduardo Mahon.

Patrocínio e Blaszak conversaram com este blogueiro sobre a argumentação que pretendem apresentar diante dos juízes do TRE. Em linhas gerais, eles pretendem demonstrar que todas as doações financeiras recebidas pelo candidato Wallace foram declaradas e devidamente aprovadas pela Justiça Eleitoral – e que a tese levantada pelo DEM e acatada pelo juiz Lindote desafia a jurisprudência não só do Tribunal de Mato Grosso, como de outros Tribunais do País, já que considerou irregulares determinadas transações comerciais realizadas entre empresas que depois vieram a fazer doação à campanha do candidato do PMDB, tentando vincular a contabilidade dessas empresas com a contabilidade da campanha, o que os advogados consideram uma impropriedade.

“Você não pode arrancar um eleito do dia pra noite sem o mínimo de possibilidade de fazer o embargo de declaração na sentença (como fez o juiz Lindote). Isso é ferir com todos os princípios que levam à estabilidade da administração pública”, argumenta Blaszak, confiante na revisão do TRE.

Confira no vídeo.

José Blaszak e José Patrocínio, advogados

José Blaszak e José Patrocínio, advogados

4 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 187.58.30.161 - Responder

    Torcendo para Wallace,do PMDB,da base aliada do PT.Aqui vces conhecem o socialista,o justo e moralista do Enock,não que Lucimar seja o melhor dos mundos,ao contrário,VG tem só tranqueira na Politica,mas defender Wallace é dilmais!

    • - IP 200.199.209.52 - Responder

      nao é que enock seja moralista mais é jornalista! nao coloca materia tendecilista direciada apenas a um grupo polistico que mandou a vida toda cidade e destriu nossa bela vg. enock é jornalista sério, diferente de certos jornalistas que ate foram presos por estorcao pessoas.Parabens enock

    • - IP 189.59.69.195 - Responder

      Como sempre o anônimo invertido Rimso, aquele que lavava mais branco, põe culpa no PT e na Dilma até pela confusões políticas e jurídicas de Várzea Grande. É um doente em seu anti-petismo de pinico.

      O Enock, exagerando sempre em ser democrata e jornalista na essência da palavra, não deleta as asneiras que ele escreve.

  2. - IP 177.4.189.130 - Responder

    Jogar dinheiro fora, simples assim…!!!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quinze + oito =