VALTER POMAR: Na noite de 22 de setembro de 2015, no aeroporto de Fortaleza, João Pedro Stédile foi vítima de uma agressão.João Pedro é um símbolo. Como Lula é um símbolo. Para alguns setores da direita, não se trata apenas de afastar Dilma, inviabilizar o PT e criminalizar Lula. Os cavernícolas querem sangue. Seu alimento é a inação e pusilanimidade que prevalecem em parte do lado de cá. A estes e a todos nós, vale lembrar: bons modos nunca derrotaram fascistas. VEJA VÍDEO DA AGRESSÃO E A RESPOSTA DE STÉDILE

João Pedro Stédile, economista, militante do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra

João Pedro Stédile, economista, militante do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra

João Pedro Stédile

Por Válter Pomar, em seu blogue

 

Na noite de 22 de setembro de 2015, no aeroporto de Fortaleza, João Pedro Stédile foi vítima de uma agressão.

Os detalhes da agressão foram filmados e divulgados, através das redes sociais, pelos próprios agressores.

Quem assiste aos cerca de 6 minutos do vídeo divulgado percebe que faltou pouco para a agressão virar um linchamento.

Minha solidariedade ao companheiro João Pedro e a companheira que o escoltou.

João Pedro é um símbolo. Como Lula é um símbolo.

Por isto a bomba no Instituto Lula. Por isto a agressão a João Pedro (precedida, como lembra a nota divulgada pela direção nacional do MST, pela campanha “Vivo ou morto”).

A agressão a João Pedro merece resposta imediata.

Os governos federal e estadual, a polícia, a justiça e o Ministério Público tem a obrigação de –cada qual no seu papel– identificar e punir os responsáveis.

O conjunto dos movimentos sociais e partidos de esquerda tem a obrigação de fazer um ato público unificado, entre outras coisas para lembrar que por trás de cada um dos fascistas de aeroporto, há mandantes e autores intelectuais que devem ser desmascarados e responsabilizados.

E, acima de tudo, a ficha precisa cair.

É extremamente didático que, na mesma noite em que os vetos presidenciais eram mantidos no Congresso, tenha ocorrido a agressão contra João Pedro. É mais um sinal, entre tantos, de que a crise política transborda a institucionalidade e está se convertendo noutra coisa.

Para alguns setores da direita, não se trata apenas de afastar Dilma, inviabilizar o PT e criminalizar Lula. Os cavernícolas querem sangue. Seu alimento é a inação e pusilanimidade que prevalecem em parte do lado de cá. A estes e a todos nós, vale lembrar: bons modos nunca derrotaram fascistas.

vpomar_na pagina do e

Valter Pomar é historiador e integrante da direção nacional do PT

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.41.88.61 - Responder

    Olha o cara de anjo mostrando as garras,jogando uns contra os outros e pregando a divisão do País.Irresponsável ,,foram apenas cerca de 80 pessoas,a mando de alguém do local que foram no aeroporto.O exercito do MST,continuará existindo e querem o confronto,para se tornarem vítimas.Não terão,é sómente caso de policia nada mais.IMBECIL,IDIOTA!

  2. - IP 191.250.36.99 - Responder

    O MST, diante da delação do ex-deputado Pedro Correa de que Lullão e Dilma têm as patas no Petrolão, já tratou de invadir a fazenda da família do ex-liado.

    De fato, o MST sabe fazer a sua parte!!!

  3. - IP 189.87.159.130 - Responder

    Vagabundo, canalha, incentivador de invasão de terras e agressão à Democracia!!!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

catorze + dez =