Valtenir também sonha com Governo de MT

Valtenir Pereira, deputado federal e presidente do PSB em Mato Grosso
“Acho que tenho envergadura para disputar o cargo de governador, pelo PSB, em 2014”´

ENOCK CAVALCANTI
CENTRO OESTE POPULAR

O deputado federal Valtenir Pereira está muito satisfeito com o desempenho do partido que ele preside – o Partido Socialista Brasileiro – nas eleições municipais em Mato Grosso. O PSB foi o grande vencedor das eleições, nos dois turnos, em Cuiabá, consagrando o nome de Mauro Mendes como prefeito da Capital e elegendo ainda outros 10 prefeitos no interior e mais 13 vice-prefeitos. O compromisso assumido por Mauro Mendes de governar Cuiabá por quatro anos não afasta, todavia, o PSB da disputa pelo Governo do Estado em 2014 – e o deputado Valtenir Pereira avalia que seu nome pode surgir como uma indicação do seu partido. Sempre procurando evitar melindres, o presidente regional do PSB comemora os avanços do seu partido e do Movimento Mato Grosso Muito Mais nas eleições de 2012 mas garante que a chapa para 2014, reunindo o PSB,  o PDT, o PPS, o PV e, quem sabe, talvez o PR e o PTB, precisa ser construída com muita competência para que se estabeleça o consenso entre as lideranças partidárias da Oposição em nosso Estado. Confira os principais trechos da entrevista.

CENTRO OESTE POPULAR – Conclui-se, recentemente, o processo eleitoral, em Cuiabá, com a vitória de Mauro Mendes, do PSB. Essa eleição levantou muitas especulações e foi encarada por muitos como uma grande prévia da eleição de 2014. Gostaria que o senhor falasse desse momento e das possibilidades que se abrem diante do PSB e dos partidos que se articulam em torno do Movimento Mato Grosso Muito Mais.

VALTENIR PEREIRA – Os partidos que compõem o Mato Grosso Muito Mais (PSB – PDT – PPS – PV), que se juntaram na disputa das eleições em 2010, saíram, efetivamente, fortalecidos nas suas principais bases, nesta eleição de 2012. O PSB que, em Cuiabá, já figurava como base principal do meu mandato de deputado federal, ganhou muito elegendo o prefeito Mauro Mendes. Em seguida, o PPS, que elegeu em sua principal base, o Percival Muniz em Rondonópolis. O PDT venceu uma eleição disputadíssima em Lucas do Rio Verde, com Otaviano Pivetta mostrando a força do partido do senador Pedro Taques. Apenas o PV  não teve uma majoritária, mas elegeu vários vereadores. Aqui, em Cuiabá, recebemos a adesão do PR (Partido da República), que tem como um dos seus grandes líderes, o senador Blairo Maggi e também o deputado federal Wellington Fagundes, que tem base eleitoral em Rondonópolis. Então, estamos consolidando esse grupo e você pode ainda pensar em outros partidos, como o PTB do Chico Galindo, que esteve junto conosco em Cuiabá mas tudo nesse momento são especulações porque estamos ainda naquele período da ressaca eleitoral, todo mundo ainda lambendo feridas, comemorando, iniciando as suas avaliações, cresceu ou não cresceu, então, o certo é que vamos  estar discutindo, debatendo essas questões ao longo de 2013. O importante é que o PSB passa a ter uma vitrine muito importante, que é a capital de Mato Grosso, para administrar. O desafio é grande. Vamos estar juntos ajudando o Mauro a fazer essa grande administração tão esperada pela população. Não tenho duvida de que vamos  conseguir enfrentar esses desafios e avançar para corresponder à confiança da população e, com isso, sairmos fortes e despontar como um diferencial, sim, também em 2014.

COP – Quando se fala em 2014, já se fala em nomes. Especula-se sobre as possibilidades de Pedro Taques, de Blairo Maggi, dentro do Mato Grosso Muito Mais. Com o compromisso assumido pelo Mauro de governar Cuiabá por quatro anos, como é que fica o PSB?

VALTENIR PEREIRA –  O PSB, vencidas as eleições municipais em Mato Grosso, hoje tem 11 prefeituras, o PR tem 14, o PDT tem 7, o PPS tem 6 prefeituras. Então, o PSB tem que continuar o seu processo de organização. Entendo que avançamos em termos de vereadores, fizemos 13 vice-prefeitos e isso ajuda muito. Então, o PSB tem que se organizar, se preparar e esperar o momento certo para sentar-se à mesa de conversação e articulação e construir o futuro de Mato Grosso e participar dessa coligação. Acredito, sim, que tenho envergadura para poder disputar a eleição majoritária de 2014, disputando pelo PSB o cargo de governador, de senador, quem sabe a vice governadoria e acredito que o PSB tem condições de  estar nas três melhores posições, tem condições de influenciar, tem condições de apresentar nomes e tem condições de participar ativamente deste processo mas existe um tempo de maturação que precisa ser cumprido.

COP – Nesta disputa de nomes,  o senhor tranquilizaria o eleitorado de que está definitivamente sacramentado que Mauro Mendes é prefeito por quatro anos, em Cuiabá, e está fora da disputa pelo Governo do Estado, em 2014?

VALTENIR PEREIRA – Em todo o período eleitoral, o Mauro sempre deixou isso bem claro: que ele seria prefeito por quatro anos para fazer as mudanças que Cuiabá precisa. É muito importante uma administração de quatro anos, sem interrupções, sem traumas. O primeiro ano vai ser o ano aonde muitos projetos vão estar sendo preparados e tenho certeza que o Mauro vai se afirmar como o prefeito da Copa –  e só isso já será um grande feito na história de vida do Mauro Mendes. Eu tenho absoluta tranquilidade de que o Mauro será prefeito de Cuiabá por quatro anos e fará uma administração que contribuirá muito para o fortalecimento do PSB em Mato Grosso.

COP – Vencida a eleição em Cuiabá, uma grande incógnita é o rumo a ser seguido pelo PR e pelo senador Blairo Maggi. O vice-prefeito eleito, deputado João Malheiros, já falou numa reaproximação do partido do governador Silval Barbosa. Como o senhor vê a possibilidade do PR aprofundar sua relação com o Movimento Mato Grosso Muito Mais?

VALTENIR PEREIRA – Eu avalio que a declaração do deputado Joao Malheiros, que respeito muito, deve ter sido no sentido meramente administrativo. Não tem como o governador governar o Estado de costas para a capital, de costas para o prefeito da capital. O prefeito Mauro Mendes também não tem como governar de costas para o Estado. Então, essas parcerias são naturais e muito importantes. O processo eleitoral de 2012 acabou e agora temos que sentar à mesa com a maturidade política necessária entre as lideranças políticas e o interesse da população é que deve ser priorizado. Avalio que é dentro desta preocupação que o deputado Malheiros esteve falando. É importante, no meu modo de ver, a formação de parceiras para garantir o atendimento aos interesses da população de Cuiabá – e o governador também tem essa responsabilidade.  Quanto aos rumos políticos, eles irão sendo traçados em paralelo. Os times para a disputa em 2014 vão se formar a partir de intensas negociações e sem afogadilho.

COP – Na Assembleia, a deputada Luciane Bezerra, do PSB, tem sustentado uma posição de Oposição ao Governo do Estado. Com o enfrentamento que marcou a campanha em Cuiabá, qual a possibilidade de se reforçar uma atuação oposicionista, também a partir da Assembleia?

VALTENIR PEREIRA – A partir desse momento começarão a se intensificar as reuniões com vista às eleições de 2014. Os partidos e as lideranças políticas começarão a se reunir. Vamos começar a montar nosso time. Nós temos como meta eleger de 3 a 5 deputados estaduais e participar como protagonistas na majoritária. Esse é um momento de construção e é isso que vamos avaliar, no decorrer de 2013. Estimular as lideranças do PSB, trazer novas lideranças para o partido, buscar essas lideranças no interior do Estado de forma regionalizada. Tanto que, já agora, nos dias 15, 16 e 17 de novembro, estaremos nos reunindo, aqui em Cuiabá, com os prefeitos e vices prefeitos e vereadores eleitos do PSB para a gente começar a discutir o nosso futuro e para preparar esses companheiros prefeitos e vereadores para cumpram um mandato qualificado, atentos aos anseios da população.

COP – Além do Mauro Mendes, em Cuiabá, que outras lideranças garantiram ao PSB vitórias importantes nestas eleições?

VALTENIR PEREIRA – Em São José dos Quatro Marcos, elegemos o companheiro Carlinhos Bianchi, que passa a comandar uma prefeitura com 14 mil eleitores.  Em Rosário Oeste, vencemos com o João do Ouro Verde, numa cidade também  com 14 mil eleitores.  Em Campinápolis, temos agora o prefeito Giovan. Então, são 11 prefeitos nesse rol, com destaque para o prefeito Mauro Mendes com 397 mil votos, em  Cuiabá. Entre os vices, temos em Alta Floresta, o Ângelo Campos que é vice do PMDB.  Em Sinop, outra vice, a Rosana, com o PMDB,  do Juarez Costa, que também é um projeto interessante e ali o PSB ganha uma prefeitura com 80 mil votos.

COP – O PSB já está presente em todos os municípios de Mato Grosso?

VALTENIR PEREIRA –  Felizmente, construímos uma presença muito forte no Estado. Em 2011, para você ter uma ideia, visitei 136 dos 141 munícipios do Estado, fizemos mais de 50 cursos de formação política, preparando nossas lideranças e agora, durante o processo eleitoral de 2012, em 50 dias, visitamos 115  municípios para poder fortalecer nosso campo, para marcar presença em todas as regiões. O fato é que o PSB, hoje, é um partido enraizado em Mato Grosso.
COP – Em Cuiabá, o desempenho foi notável mas, em Várzea Grande o PSB está querendo anular a eleição do prefeito eleito, Wallace Guimarães. Por que?
VALTENIR PEREIRA –  A professora Nicinha e eu nos reunimos e chegamos à conclusão de que o PSB vai trabalhar pela anulação da eleição em Várzea Grande  porque entendemos que o valor maior do ser humano, do cidadão, é o de poder se manifestar. Na Várzea Grande, nessa eleição de 2012,  muitos eleitores não puderam fazer isso. As pessoas chegavam para votar, alguém já tinha votado no lugar deles. Apareceram muitos clones, títulos de eleitores foram encontrados jogados pela cidade, uma série de suspeitas de fraude e  não sabemos apontar os responsáveis. Uma coisa é certa: nada disso foi feito pela nossa coligação. O PSB está lutando junto à Justiça Eleitoral, com a nossa presidente em Várzea Grande, que é a professora Nicinha, para que  o TRE anule as eleições, para que um novo processo eleitoral aconteça porque achamos que o povo de Várzea Grande precisa ser respeitado.

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.10.99.202 - Responder

    Esse é outro fanfarrão, se elegeu deputado em 2006 nas costas do Eduardo Moura, pouco mais de 455 voto e, em 2010, pegou carona com MAURO MENDES e PEDRO TAQUES, contudo, pensa ele ser o grande nome do PSB de MT, hehe! Ledo engano, pois no MOVIMENTO MT MUITO MAIS, não passa de uma ratasana espreita e escorregadia que, dia desses, queria sentar no “colo” do Silval. Se esse cidadão sair a governador ou ao Senado, mudo meu voto!!!! 2014 É PEDRO TAQUES – GOVERNADOR – NO (12) DOZE e ponto final!!!

Deixe uma resposta para Lapada    ( cancelar resposta )

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

três − dois =