Péssima novidade, neste início de campanha, é a insegurança de Mauro Mendes, que recorre a Maggi e Pedro Taques como escoras, na televisão.

Sem que ninguém pedisse, Mauro se apresenta, no horário eleitoral como um político subordinado e necessitado do apoio político de Blairo Maggi

Mauro Mendes, segundo as pesquisas, entrou na campanha com larga vantagem sobre seus adversários.

Parece que existe uma forte tendência, até aqui, do povo cuiabano votar, majoritariamente nele, para o cargo de prefeito.

Mauro está na frente, mas parece que não está muito seguro.

Esse negócio de apelar para a imagem de Blairo Maggi e Pedro Taques me parece uma tática que não chanchela o reconhecimeto popular. É como se o líder ainda precisasse de uma escora.

E olha que, na minha opinião, Blairo Maggi não é boa escora para ninguém.

Todas essas irregularidades que frequentam nosso noticiário políticos – os desencontros da Secopa, as cartas marcadas, o maquinário, o Éder, as possíveis negociatas em torno do VLT – tudo isso nos remete aos tempos de Maggi, tempos que parecem se recusar a terminar. E essas irregularidades alimentaram o discurso de Mauro e Pedro Taques contra Maggi, em 2010, como o Éder Moraes já anda agitando pela cidade.

Ao se juntar com Maggi, ao colocar Maggi como seu padrinho, Mauro Mendes vira uma espécie de marionete. E a cidade precisa de um líder, não de um marionete. Um marionete cheio de contradição – que em 2010 parecia ter virado às costas para Maggi e, agora, volta mais uma vez para o colo do sojicultor, levando Pedro Taques a reboque.

Se eu fosse o marqueteiro dessa campanha, ia botar o povo pra falar: servidores, pipoqueiros, motoristas, serventes, merendeiras, estudantes, aprendizes do Senai, empresários, evangélicos, todos exaltando as qualidades do Mauro, a expectativa de um governo renovador.

E também mostraria a visita do Mauro a São Paulo, para acompanhar a recuperação da sua esposa querida, figura que ele mesmo elegeu como fundamental em sua caminhada como candidato.

Sim, meu marquetingue teria coisas assim.

Maggi, nunca.

Maggi, jamais.

Maggi é uma porta aberta para o abismo que pode desabar sobre a campanha de Mauro Mendes.

Aliás, alguém sabe como terminou aquela novela? O Ministério Público vai ou não vai denunciar o Blairo Maggi por possível envolvimento nas irregularidades dos maquinários?

Categorias:Cidadania

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 200.175.151.209 - Responder

    Acho que a insegurança do Mauro não vem pelo medo de perder a eleição não, claro que ele vai ganhar, o medo dele é de ter de virar bandido depois que for eleito. Pois mesmo mesmo que o cara não queira, ele é forçado a entrar para a máfia da corrupção, ou então as regalias e sei lá mais o quê.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quinze − 1 =