Uma entrevista com Gilmar Brunetto gravada antes da reunião de 15 de maio, do Fórum Sindical com o governador Zé Pedro Taques. “O governo Taques começou e não vieram os recursos para o atendimento da sociedade. (…) Quanto aos incentivos fiscais, o governo está deixando muito a desejar. É uma verdadeira caixa preta”, dizia, então, Gilmar Brunetto. VEJA EM VÍDEO

Aqui, em video, conversa que mantive com o sindicalista Gilmar Brunetto, no início de maio, antes da fatídica reunião do Fórum Sindical com o governador e seus secretários, no dia 15 de maio.

Vejam que a expectativa de Brunetto, antes da reunião acontecer, era de um encontro em que os sindicalistas teriam oportunidade de dialogar com o governador, sobre diversos temas.

No entanto, todo mundo sabe o caráter daquela reunião, da qual os bate-paus de Pedro Taques tiveram o cuidado de excluir completamente jornalistas – repórteres, assessores e até mesmo fotógrafos.

Como testemunharam diversos sindicalistas, não houve diálogo. Pedro Taques limitou-se a apresentar e impor a sua política salarial.

Dias depois, mesmo com o diálogo frustrado, Gilmar Brunetto e muitos sindicalistas do Fórum, optaram por apoio a política de arrocho implementada por Zé Pedro Taques, que resolveu, ao arrepio da lei, não recompor a integralidade das perdas inflacionárias, tradicionalmente repostas na data base de maio, para todos os sindicatos e todas as categorias de servidores, há muitos e muitos anos.

O video revela que, pelo menos no início de maio, Gilmar Brunetto ainda questionava diversas atitudes do governador. Tendo até identificado uma excelente pauta para nossos repórteres investigativos, se é que os temos: por que é que a receita líquida do Estado, entra ano, sai ano, não passa dos 13,8 bilhões?

Tal como acontecia nos governos anteriores de Blairo e Silval, o Gauchinho também questionou a “caixa preta” dos incentivos fiscais.

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.203.43.176 - Responder

    Gilmar Brunetto deve explicações à sociedade mato-grossense e em especial aos sindicalistas e trabalhadores acerca dessa mudança.Gilmar tem o direito de ter lado e de mudar de lado quando bem entender. Não pode, contudo, mudar completamente seu modo de agir sem explicações, como se vivesse completamente só no Mundo, como se não devesse uma explicação aos antigos companheiros que esperavam dele mais coerência e clareza. Seu silêncio só não é maior do que o silêncio da Ong Moral. Afinal, a Ong Moral tem compromisso com a classe trabalhadora ou se enfiou no bolso do colete de Pedro Taques?

  2. - IP 200.101.25.23 - Responder

    Gauchinho de repente se refugiou em silêncio ensurdecedor… será que perdeu o amor pelo debate?

  3. - IP 200.101.25.23 - Responder

    Mas também pode ser ressaca moral…

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quatro + 16 =