UM OUTRO MT É POSSÍVEL: Julier tira férias em dezembro e pode se afastar da magistratura já no início de 2014. PC do B e PMDB sonham com filiação do magistrado. “O importante é que ele seja candidato e aliado com governo Dilma Rousseff”, pondera William Sampaio, presidente do PT

O juiz Julier Sebastião da Silva, antes de entrar para a magistratura federal, pertencia aos quadros do Partido dos Trabalhadores, em Mato Grosso. Por isso, a confiança de William Sampaio, atual presidente do PT, de que ele volte a se filiar no partido

O juiz Julier Sebastião da Silva, antes de entrar para a magistratura federal, pertencia aos quadros do Partido dos Trabalhadores, em Mato Grosso. Por isso, a confiança de William Sampaio, atual presidente do PT, de que ele volte a se filiar no partido

Férias de Julier esquentam a concorrência entre siglas

THIAGO ANDRADE E THAISA PIMPÃO
DIÁRIO DE CUIABÁ

 

O anúncio de que o juiz federal Julier Sebastião da Silva estaria disposto a não retornar à magistratura depois de suas férias, que devem ter início em dezembro, reacendeu a disputa partidária pela sua filiação. Desta vez, brigam por ele o PT e o PCdoB.

O segundo se apresenta como uma opção melhor à eventual candidatura do juiz ao governo do Estado por não ter caciques políticos. Segundo o presidente regional da legenda, Aislan Galvão, o partido vem mantendo conversas quase que semanalmente com Julier.

Ressalta ainda que o ministro dos Esportes, Aldo Rebelo (PCdoB), também tem procurado estreitar os laços com o juiz sempre que vem a Cuiabá. “O PCdoB é um campo onde ele pode construir sua candidatura, colocando toda a nossa máquina partidária a seu favor”, argumenta.

Conforme Galvão, a candidatura de Julier seria uma prioridade para a direção nacional da agremiação, já que não há muitos candidatos ao governo pelo restante do país.

Para o analista político Louremberg Alves, no entanto, a tendência é que Julier vá para o PT ou PMDB, devido a sua inexperiência política. “Ele busca um partido que agrega outras forças. O PCdoB não tem uma grande desenvoltura política. Neste meio é preciso ceder aqui e ali para poder agregar”, avalia.

O presidente do diretório regional do PT, Willian Sampaio, por sua vez, rechaça a tese de que o juiz federal poderia se filiar ao PMDB ou PCdoB.

“Estamos conversando regularmente. Além da condição de presidente do partido, tenho amizade com Julier de muitos anos. Continuamos apostando que ele decidirá se filiar ao PT”, sustenta Sampaio.

O petista, apesar de otimista quanto à escolha do magistrado, afirma que não tem dúvidas de que Julier é o melhor nome para unir partidos e para ganhar a eleição, independente do cargo que escolher. “O importante é que ele seja candidato e aliado com o governo Dilma Rousseff”, pondera.

A filiação, tanto ao PCdoB quanto ao PT, pode mesmo ser costurada por meio de uma articulação nacional. Isso porque, na semana passada, Dilma esteve na convenção nacional do PCdoB e a direção da legenda aproveitou a oportunidade para pedir mais espaço no governo, já que acompanha o PT desde o primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Conforme a legislação, o juiz tem até abril do ano que vem para abandonar a toga e escolher um partido se quiser concorrer a algum cargo no próximo pleito.

Categorias:Jogo do Poder

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 201.88.214.128 - Responder

    Julier Sebastião tem o melhor perfil dos pretensos candidatos a Governador,sempre corajoso,com muita personalidade nas suas posturas com figura pública.Outro fator importante, tem trânsito e prestígio em Brasília para alavancar grandes projetos para o Estado!!

  2. - IP 201.22.171.41 - Responder

    Se o Juiz se aliar aos petralhas, ele perderá a credibilidade.

    A nação se divide hoje entre os que e os que não são apoiadores dos mensaleiros.

    Será que ele vai ficar com os puxa-saco de ladrões???

  3. - IP 201.15.105.170 - Responder

    Parece que este artigo foi escrito antes do cumprimento do mandado de busca e apreensão!!!
    kkkk

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

1 × três =