“Um dos mais estranhos e sinistros encontros que já tive na vida”: assim o comediante inglês Stephen Fry define a entrevista que fez com o deputado Jair Bolsonaro para seu documentário ‘Out There”, em exibição pela BBC no Reino Unido. No documentário, Fry mostra como a homofobia avança em várias partes do mundo. Veja a entrevista

Stephen Fry entrevista Jair Bolsonaro, vergonha nacional

Stephen Fry veio ao Brasil especialmente para ver "como funciona" o deputado Jair Bolsonaro, representante da extrema direita no Congresso Nacional

Stephen Fry veio ao Brasil especialmente para ver “como funciona” o deputado Jair Bolsonaro, representante da extrema direita no Congresso Nacional

“Um dos mais estranhos e sinistros encontros que já tive na vida”: assim o famoso comediante inglês Stephen Fry define a entrevista que fez com o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) para seu documentário Out There, atualmente em exibição pela BBC no Reino Unido. No documentário, Fry mostra como  a homofobia avança em várias partes do mundo. Infelizmente, para nossa vergonha, o Brasil aparece ao lado de Uganda e Rússia como um dos países onde existem políticos e líderes religiosos que perseguem homossexuais.

Fry, que é gay assumido, chegou a tentar o suicídio durante as filmagens, certamente deprimido com o que presenciou. “Ver tanta ignorância, brutalidade, estupidez e horror não ajudou”, reconheceu. No encontro com Bolsonaro, o comediante conta que se concentrou para não perder a calma diante dos absurdos que ouviu. “Nenhum pai tem orgulho de ter um filho gay”, afirma o deputado, atribuindo as agressões a homossexuais em nosso país ao uso de drogas e à prostituição. “Mas não há razão para clamor, não existe homofobia no Brasil”, dispara, antes de cair na gargalhada.

(Parêntese: não adianta se irritar: o único jeito de se livrar de figuras como Bolsonaro é não votando nele. Espalhe essa ideia.)

Assista o trecho do documentário, com legendas em português, onde Stephen Fry entrevista a mãe de Alexandre Ivo, garoto carioca de 14 anos assassinado em 2010 por skinheads, e Jair Bolsonaro.

2 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.74.63.251 - Responder

    Assisti a entrevista . Esse Ingles ( que deve ser gay) já veio com uma idéia pré concebida . Começa exibindo um caso de assassinato ; supostamente cometido em razão de o jovem ser gay. Ora , uma palhaçada . Jair Bolsonaro é defensor de idéias ; que boas ou ruins ele tem direitos de as ter . Oque não se pode é dizer que as crianças tem de ver e aceitar a homossexualidade como algo normal para sua idade . Nào . Se um adulto quiser ser homossexual é problema dele , mas crianças devem ser orientadas a regra da maioria; que é a relação heterossexual.
    O maior dos defeitos dos gays é quererem impingir ao resto do país seus costumes homossexuais .

  2. - IP 177.141.84.238 - Responder

    O único defeito meu querido colega que comentou acima, é vocês héteros formados acharem que nós homossexuais queremos que todos sejam como nós. Queremos simplesmente que todos tenham a liberdade de escolher ser quem eles realmente querem. E apenas ensinar as crianças o respeito perante as diferenças. Isso não quer dizer que queremos torná-las gays, lésbicas ou transexuais!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dezesseis − nove =