Truculência do governo Silval atinge fiscais de tributo

Ricardo Bertolini, presidente do Sinfate

A administração do governador Silval Barbosa vem agravando o seu conflito com os fiscais de tributo e a sua representação sindical. O sindicalista Ricardo Bertolini, presidente do Sinfate (Sindicato dos Fiscais de Tributos Estaduais de Mato Grosso) informou nesta quinta-feira a esta PAGINA DO E que a entidade deve ingressar, nos próximos dias, com mandado de segurança na Justiça estadual visando invalidar o decreto 1.040, de 22 de março de 2012, que desde a sua publicação vem revoltando o conjunto dos fiscais e representa uma verdadeira declaração de guerra do atabalhoado governo do Estado, já desgastado em tantas frentes, contra a categoria. Através do decreto draconiano, assinado pelo governador Silval e seus secretários José Lacerda (Casa Civil) e Edmilson dos Santos (Fazenda), o governo estadual tenta impedir novas criticas do Sinfate contra a política fiscal que vem adotando, adotando a posição escravagista de ameaçar reduzir os vencimentos daqueles trabalhadores que formularem restrições ou simplesmente apoiarem as posições críticas de sua entidade sindical com relação à atual administração comandada pela coligação PMDB-PR-PT. O decreto representaria uma disparatada resposta governamental contra posicionamentos adotados pelo Sinfate, por exemplo, no caso do reajuste da UPF – Unidade de Padrão Fiscal, reajustada em 30% sem qualquer consulta à sociedade,  gerando elevação abusiva nos impostos, taxas, contribuições cobradas pelo fisco estadual, em prejuizo de todas as atividades econômicas de Mato Grosso – o que foi duramente criticado pelo Sinfate. “Estamos aqui não só para defender os nossos interesses, mas os interesses de todo a comunidade mato-grossense, e esse reajuste da UPF pesa sobre o bolso de todos que vivem neste Estado”, destaca Ricardo Bertolini. Além do mandato de segurança, o Sinfate já articula o encaminhamento de denúncia ao Ministério Público Estadual, ao Ministério Público do Trabalho e, através da Nova Central Sindical, da qual Ricardo Bertolini é um dos dirigentes, uma denúncia também à OIT – Organização Internacional do Trabalho, diante da surpreendente ameaça à livre organização sindical. Na quarta-feira, durante solenidade de posse dos dirigentes da Nova Central Sindical, em Mato Grosso, diversos dirigentes sindicais, encabeçados pelo presidente nacional da entidade classista, sindicalista José Calixto Ramos, assinaram nota de repúdio ao ato do governo Silval e de solidariedade a Ricardo Bertolini, ao Sinfate e a todos os fiscais de tributo de Mato Grosso. (Enock Cavalcanti)

Categorias:Cidadania

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

um + 4 =