Teatro da UFMT a todo pano só em 2016. Depois de dois anos de reformas, espaço mais nobre de Cuiabá retomará espetáculos de música, teatro e dança

CULTURA

 

Teatro da UFMT a todo pano só em 2016

Depois de dois anos de reformas, espaço mais nobre de Cuiabá retomará espetáculos de música, teatro e dança

 

BEATRIZ SATURNINO

Diário de Cuiabá

Muito mais que um meio de entretenimento, o Teatro da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) é palco formador de opinião e de talentos nas áreas da música, teatro e dança, há 33 anos. Reinaugurado há nove meses, agora mais moderno e revitalizado, ele está com programação voltada aos 45 anos da UFMT, que deve apresentar mais de 50 artistas convidados, com pelo menos 30 ações culturais, entre concertos, lançamentos de disco, festivais de música e eventos acadêmicos. Ou seja, fica para o ano de 2016 o usufruto do edital de utilização do espaço, o mesmo que deve ser lançado junto com as comemorações, ainda em dezembro deste ano.

Enquanto há o preparo do edital, que deve ser simples, o Teatro da UFMT é palco festivo do aniversário da universidade, que comemora a data em 10 de dezembro. De acordo com o pró-reitor de Cultura, Extensão e Vivência, Fabrício Carvalho, que também é maestro da Orquestra da UFMT, o produtor se inscreve e, mediante a característica do evento, a universidade irá avaliar o entendimento da necessidade do projeto.

Será por qualidade de oferta. Terá um equilíbrio entre as matrizes culturais, entre a música, teatro, dança, ou seja, artes cênicas em si, literatura e educação científica.

“Será tudo novo, com uma nova perspectiva. A qualidade de nossos artistas é absurda, mas queremos possibilitar, em nível de referência para o artista local, um intercâmbio com apresentações também nacionais. Abrir na verdade para o circuito nacional de espetáculos. O edital estará mais democrático, observando o incentivo e fomento aos novos artistas”, explica Fabrício Carvalho.

Seguindo esta perspectiva, quem está começando e os consagrados, que já tem uma história importante em Mato Grosso, é que serão os pilares para esta retomada do Teatro da UFMT, na programação que comemora os 45 anos da Universidade até o final do ano, enquanto o Teatro vai sendo entregue aos poucos.

Já foram realizados quatro eventos testes desde a inauguração. O primeiro foi entre os dias 9 e 11 de dezembro do ano passado, com a Orquestra Sinfônica da UFMT e o Ópera Ballet. Depois foram feitas adequações técnicas vistas nos detalhes pós-obra, como reposição de lâmpadas, adequação do carpete soltando, conserto de uma fechadura e outra torneira, por exemplo.

Em abril teve mais um evento teste, também de carga máxima, novamente com a Orquestra, que é da casa, com o músico Flávio Venturini, na semana festiva do aniversário de Cuiabá (MT). Onde notou-se a necessidade de outras adequações, que culminou com o acréscimo de uma caixa d’água sobressalente para evitar problema de falta d´água.

E a partir daí começa o processo de entrega definitiva e oficial da obra, com o olhar mais clínico da engenharia, pois o Teatro já tinha sido aprovado pela análise artística.

“Ou seja, estamos funcionando a pleno vapor, comemorando os 45 anos da UFMT. Já começamos com a apresentação de dois dos maiores atores do Estado, Lioniê Vitório e Justino Astrevo, que começaram a atuar como Nico e Lau no palco da UFMT e voltaram para comemorar 20 anos de carreira em casa”, diz Fabrício Carvalho.

Considerado um dos espaços mais privilegiados para a área artística cultural, o Tetro da UFMT mantém o projeto original do arquiteto, mundialmente reconhecido, Igor Sresnewsky, que garantiu a excelência na acústica, após reforma e renovação, sendo o único a ter um fosso onde a orquestra posiciona-se para tocar.

Na época, em 1982, o espaço alcançou a posição de 10ª melhor acústica do país, superando, por exemplo, o Teatro Nacional de Brasília. O tempo passou e trouxe a modernização com equipamentos elétricos, aposentando o trabalho manual de posicionar as cortinas, a iluminação, entre outros mecanismos do palco para a cena.

O sistema de iluminação do palco também ganhou novos personagens, e vai permitir produções mais elaboradas. As portas acústicas refletem o avanço da tecnologia. Há portas finas com o mesmo efeito das antigas placas de 60, 70 cm. Até a tinta usada interfere nas ondas sonoras.

Por anos o Teatro Universitário foi a única opção para espetáculos na cidade, também um marco nas artes de Mato Grosso, nos anos 80.

É um lugar sagrado das artes para o Estado de Mato Grosso e berçário de muitos artistas, com um palco de 500 metros quadrados. Readequado por uma reforma que durou dois anos, com um custo de R$ 9 milhões, agora o palco tem dois novos camarins individuais, com banheiros interno, além dos dois coletivos que receberam adequação e ganharam chuveiros.

Detalhes importantes, explica o supervisor do Teatro Universitário, Amauri Saturnino da Silva, foram o acréscimo da rampa de acessibilidade e dos quatro elevadores para PNEs (Portadores de Necessidades Especiais). As poltronas reformadas deram lugar a algumas novas, com cinco para obesos e 10 para cadeirantes, reduzindo de 506 para 475 lugares na plateia.

Sem contar o novo espaço embaixo chamado de “Salão dos Tachos”, decorado com as peças de cobre vindas do rio Cuiabá abaixo, compradas das comunidades Ribeirinhas e instaladas em 1983. Além de ser um acesso aos artistas, também com banheiros e cozinha, será utilizado para vernissages, lançamentos de livros e outros eventos.

O Teatro também pretende ser um ambiente educador e formador de técnicos em teatro, com cursos para cenógrafos, iluminadores, maquiadores e figurinistas.

O telefone de contato do Teatro da UFMT é o (65) 3615-8373 ou pelo email [email protected].

 

LEGENDA

Foto Luzo Reis/Divulgação

1 e 1

Fabrício Carvalho com o cantor Flávio Venturini,  conversando acomodados nas poltronas da plateia e, em cena, no Teatro Universitário, agora renovado. “Queremos possibilitar, em nível de referência para o artista local, um intercâmbio com apresentações nacionais”, anuncia o pró-reitor de Cultura, Extensão e Vivência da UFMT

 

Categorias:Plantão

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

onze + oito =