TÁ PARECENDO FARINHA DO MESMO SACO: Pedro Taques marcou encontro com empresário Rodolfo Campos, alvo da Operação Ararath que desarticulou organização envolvida com desvio de recursos públicos, lavagem de dinheiro e corrupção. Rodolfo é representante da Encomind, empresa que teria realizado “compra simulada” de 3 milhões de litros de biodiesel da Amazônia Petróleo. A PF suspeita que a transação entre a Encomind e a Amazônia Petróleo mascarou pagamento de propinas a agentes públicos e financiamento ilegal de campanha eleitoral do grupo do ex-governador Blairo Maggi

Pedro Taques com Blairo Maggi. Mal foi eleito, Taques calou denúncias que fazia em relação ao Escândalo dos Maquinários. Hoje, aparece cada vez enreda com personagens dos pretensos esquemas que Maggi teria articulado à sombra do seu poder em Mato  Grosso

Pedro Taques com Blairo Maggi. Mal foi eleito, Taques calou denúncias que fazia em relação ao Escândalo dos Maquinários. Hoje, aparece cada vez enreda com personagens dos pretensos esquemas que Maggi teria articulado à sombra do seu poder em Mato
Grosso

Pedro Taques marcou encontro com empresário suspeito de lavar dinheiro

Operação Ararath interceptou diálogo de senador de Mato Grosso em dezembro de 2011

por Fausto Macedo – O ESTADO DE S PAULO

O senador Pedro Taques (PDT/MT) telefonou e marcou um encontro com o empresário Rodolfo Campos, alvo da Operação Ararath – missão da Polícia Federal que desarticulou organização envolvida com desvio de recursos públicos, lavagem de dinheiro e corrupção.

O telefonema do senador para Campos ocorreu no dia 11 de dezembro de 2011 e foi interceptado pela PF. Taques convida o empresário para ir ao seu escritório político.

O diálogo entre o senador e o investigado da Ararath foi captado pela PF porque Rodolfo Campos estava na mira da operação. Ele é representante legal da Encomind Engenharia e Comércio, empresa que teria realizado uma “compra simulada” de 3 milhões de litros de biodiesel da Amazônia Petróleo ao preço de R$ 2,91/litro no total de R$ 6,75 milhões.

A PF suspeita que a transação entre a Encomind e a Amazônia Petróleo, datada de 2010, mascarou pagamento de propinas a agentes públicos e financiamento ilegal de campanha eleitoral do grupo ligado ao ex-governador de Mato Grosso, Blairo Maggi (PR), hoje senador.

O diálogo entre Pedro Taques e o empresário sob suspeita, interceptado pela PF, foi breve – leia abaixo a íntegra da conversa, divulgada pelos sites de Cuiabá (MT) Mídia News e Olhar Direto.

A PF não imputa nenhum ato ilícito ao senador, mas a transcrição da conversa consta dos autos de uma das etapas da Operação Ararath.

Foto: Ed Ferreira/Estadão

O contato com o empresário investigado não é a única citação ao senador pedetista nos autos da Ararath.

Em 19 de fevereiro de 2014, a PF fez buscas nas residências de aliados políticos de Blairo Maggi e de Pedro Taques. A PF procurava provas do esquema de crimes financeiros e lavagem de dinheiro.

Os agentes federais vasculharam a casa de Fernando Mendonça, que foi o maior doador da campanha de Pedro Taques nas eleições de 2010. Ele doou R$ 230 mil, que representam 20% do total (R$ 1,1 milhão) arrecadado pelo pedetista.

Mendonça é filiado ao PDT. Uma filha dele, Ariane Victor de Matos Mendonça, trabalha no gabinete do senador em Brasília. A PF suspeita que Mendonça tenha participação no suposto esquema de lavagem de dinheiro.

A doação de Mendonça ao senador foi feita por meio da Vale Formoso Distribuição Ltda. A campanha de Pedro Taques declarou o repasse à Justiça Eleitoral.

O senador disse, por sua assessoria, que é amigo de Mendonça há 15 anos. Ele ressaltou que o empresário tem direito de defesa.

Sobre o telefonema de Pedro Taques para o empresário da Encomind, a assessoria de imprensa do senador informou que ele “conhece Rodolfo Campos há anos”. Segundo a assessoria, Campos foi uma das principais testemunhas do homicídio do jornalista Sávio Brandão, “já que estava com este no momento dos fatos”.

Pedro Taques, à época procurador da República, atuou no caso.

“Só no ano de 2011, ao qual se refere o diálogo divulgado, o senador Pedro Taques promoveu no gabinete de apoio em Cuiabá 1406 audiências, recebendo diversos segmentos da sociedade mato-grossense, sindicatos, associações, pessoas físicas e, inclusive, empresários, tratando, sempre, de assuntos de interesse público e ações do mandato para Mato Grosso”, assinala em nota a assessoria do senador.

“Com relação ao encontro marcado com Rodolfo Campos, conforme diálogo publicado, foram tratados temas ligados ao segmento da construção civil no Estado”, anota o gabinete de Pedro Taques.

O senador, “em nome da verdade, esclarece ainda que ele e Campos já conversaram outras vezes”. Taques afirma que “desconhece qualquer fato que desabone a conduta do empresário”.

“O senador reitera a confiança no trabalho das instituições públicas encarregadas da investigação e ressalta o papel fundamental da imprensa em informar à sociedade”, diz a nota da assessoria. “O senador Pedro Taques se coloca à disposição para qualquer outro esclarecimento.”

LEIA A ÍNTEGRA DO DIÁLOGO ENTRE O SENADOR PEDRO TAQUES E O EMPRESÁRIO INVESTIGADO PELA OPERAÇAO ARARATH

“(…)
Taques: – Fala Rodolfo, tudo bem?
Rodolfo: – Tá bom senador?
Taques: – Bom? Liguei pra você pra gente tomar um café aí, pô. Você não tava dormindo?
Rodolfo: – Não.
Taques: – Vamos ver se a gente conversa a tarde. Você está por aqui?
Rodolfo: – Tô, to por aqui hoje, amanhã.
Taques: – Ah! Você que sabe a hora que você tiver um tempo me dá uma ligada aí, tá?
Rodolfo: – Que horas? A tarde?
Taques: – É, vamos duas e meia? Tá bom pra você? Que eu tenho um compromisso as quatro.
Rodolfo: – Tá bom, uai.
Taques: – Então, se você não tiver vamos deixar pra amanhã. Eu to aí tranquilo. Você que sabe ta?
Rodolfo: – Mas nós vamos aonde duas e meia?
Taques: – Aqui no escritório.
Rodolfo: – Tá, ta bom então. (…) Passo aí, ta ok?
Taques: – Falou cara obrigado, um abraço.”

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.59.50.222 - Responder

    Aí Enock,procurando pêlo em ôvo.Rodolfo é cuiabano,vive aqui e é amigo de todo mundo, e com certeza foi envolvido sem apelação nessa história toda,pois, nos governos Blairo e Silval que o seu PT apoiou e apoia incondicionalmente, inclusive nomeando os Secretários de Educação,é assim :OU DÁ OU DESCE senão tá fora das obras! E que secretários de bosta, não é seu Enock,ou será Silvia Maria?

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

5 × três =