SOY LOCO POR TI, AMÉRICA: Agora, é torcer para que a Argentina garanta a presença da América na final. A PAGINA DO E saúda Lionel Messi, o melhor jogador do mundo, e todos os hermanos!

Messi encara a Holanda, país onde surgiu com a camisa da Argentina

Alejandro del Bosco/Photogamma/Fotoarena/Folhapress
O atacante Lionel Messi descansa durante um treino da seleção argentina
O atacante Lionel Messi descansa durante um treino da seleção argentina

ALEX SABINO
MARCEL MERGUIZO
FOLHA DES PAULO

O futebol argentino deve muito à Holanda, rival da semifinal desta quarta-feira (9), em São Paulo. Não apenas por causa da decisão de 1978, ano em que o país sul-americano conquistou a Copa do Mundo pela primeira vez. Foi onde Lionel Messi nasceu com a camisa da seleção.

Pablo Vitti, 28, é um dos que mais lembram da campanha do Mundial sub-20 de 2005. Quando a Argentina estreou no torneio, ele era titular no ataque. Messi era seu reserva.

Michael Kooren – 28.jun.05/Reuters
O argentino Lionel Messi comemora gol contra a seleção brasileira na semifinal do Mundial sub-20, na Holanda, em 2005
O argentino Lionel Messi comemora gol contra a seleção brasileira na semifinal do Mundial sub-20, na Holanda, em 2005

“Leo era o melhor de todos. Não havia a menor dúvida disso. Era questão de tempo para se tornar titular”, declara hoje em dia Vitti, atacante que não engrenou na carreira e que teve passagens por Ucrânia, Canadá, Peru, México e Equador. Atualmente, está no Tigre (ARG).

Quando o Mundial acabou, o então príncipe Willem-Alexander entregou a Lionel os prêmios de melhor jogador e artilheiro da competição vencida pela Argentina. Menos de um ano antes, a AFA (Associação de Futebol Argentino) havia organizado um amistoso às pressas para que o garoto vestisse a camisa da seleção e não pudesse ceder às tentações de atuar pela Espanha.

Hoje em dia rei, Willem-Alexander é casado com a rainha Máxima Zorreguieta, argentina de nascimento. O casal acompanhou jogos da Holanda no Mundial no Brasil, mas não estará no Itaquerão nesta quarta.

Martin Meissner/Associated Press
Rei Willem-Alexander e Rainha Máxima cantam hino holandês antes do jogo contra a Austrália, em Porto Alegre
Rei Willem-Alexander e Rainha Máxima cantam hino holandês no jogo com a Austrália, em Porto Alegre

Messi não é o único campeão mundial sub-20 de 2005 que está na Copa de 2014. Fernando Gago, Lucas Biglia, Ezequiel Garay, Sergio Aguero e Pablo Zabaleta faziam parte do elenco.

“Messi virou titular por causa de Zabaleta. Como capitão, ele viu que Leo não poderia ficar mais no banco”, relembra Vitti.

Liderados pelo lateral direito (na época volante), alguns integrantes do elenco foram conversar com o técnico Francisco Ferraro. Messi tinha de jogar. Ainda mais depois da derrota na estreia contra os Estados Unidos.

Foi este título que consolidou a fama do camisa 10 (na época, 14), como um fenômeno das categorias de base. A Argentina poderia ter decidido o título contra a Holanda, mas os anfitriões caíram nas quartas de final, contra a Nigéria, na disputa de pênaltis.

“Até a preparação para o torneio, a gente não sabia direito quem era aquele garoto. Ele já era famoso, o nome era comentado. Mas ao vivo, era muito mais do que se falava”, assegura Gustavo Oberman, parceiro de Lionel naquele ataque.

Hoje em dia no Olimpo (ARG), Oberman tem um filho que é fanático por Messi. “Um dia disse que já havia jogado com Leo. Ele não acreditou e coloquei um DVD de um jogo daquele Mundial. Ele saiu gritando pela casa: ‘mamãe, papai jogou com Messi!'”, afirma Oberman, em depoimento ao jornalista espanhol Guillem Garangue, autor da biografia autorizada de Messi.

Lionel fez seis gols em seis partidas que foi titular. Um deles contra o Brasil, eliminado pela Argentina na semifinal.

Os holandeses viram, em primeira mão, nascer a lenda. A mesma que pode voltar nesta quarta para atormentá-los em outro Mundial.

Reprodução/Twitter/KJ_Huntelaar
O rei Willem-Alexander, da Holanda, e sua mulher, a Rainha Máxima, argentina de nascimento, no vestiário holandês no Beira-Rio
O rei Willem-Alexander, da Holanda, e sua mulher, a Rainha Máxima, argentina de nascimento, no vestiário holandês no Beira-Rio, durante a primeira fase da Copa

 

—————-

Preocupado com Robben, ténico argentino avisa: Temos Messi

Um dia antes da decisão contra a Holanda, Sabella deu pistas de que jogará com o esquema 4-4-2 na Arena Corinthians

REUTERS/Michael Dalder

O treinador da Argentina, Alejandro Sabella

Sabella : “todos são importantes para suas seleções, mas Messi é o melhor de todos”

São Paulo – O treinador da Argentina, Alejandro Sabella, elogiou nesta terça-feira seu rival holandês, Louis Van Gaal, e alertou sobre o perigo que representa o atacante Robben, mas também avisou, depois da histórica goleada de 7 a 1 da Alemanha sobre o Brasil, que sua equipe tem o melhor jogador do mundo, Lionel Messi.

Um dia antes da decisão contra a Holanda, Sabella deu pistas de que jogará com o esquema 4-4-2 na Arena Corinthians, anunciou que Enzo Pérez substituirá o lesionado Di María e que, apesar de ter chegado a uma semifinal depois de 24 anos, seu objetivo é a final contra a Alemanha no Maracanã.

Sua principal preocupação é com o poder ofensivo da Holanda e de sua estrela, Robben. “Ele é um grande jogador, muito importante para a Holanda, assim como Neymar é para o Brasil e Messi é para a Argentina. Todos são importantes para suas seleções, mas Messi é o melhor de todos”, disse em entrevista coletiva.

Ao analisar a equipe holandesa, o técnico afirmou que a “Laranja” tem um ótimo contra-ataque, mas também administra a posse de bola, muda de ritmo e abre o jogo pelas laterais.

O treinador argentino também foi perguntado se o jogo  será uma revanche ou uma vingança da última derrota dos argentinos para os holandeses em um Mundial, quando foram eliminados nas quartas de final da Copa da França em 1998.

“Estas palavras, revanche e vingança, não entram em meu dicionário. Tentaremos ganhar jogando futebol, que é um esporte”, respondeu.

Sabella revelou que admira o trabalho de seu adversário, o treinador holandês Van Gaal: “É um grande treinador, há pouco disse que a Holanda pode jogar de diferentes maneiras e está extremamente capacitada para fazer variações no esquema. Acho que é uma estratégia muito inteligente”.

O treinador argentino também informou sobre o retorno de Rojos, que cumpriu suspensão na última partida, e que Enzo Pérez substituirá o lesionado Di María. Além disso, antecipou que Agüero terá condições de jogo contra a seleção laranja, depois que ficou de fora das duas últimas partidas após sofrer uma lesão no duelo contra a Nigéria ainda pela fase de grupos.

Sabella deu a entender que não entrará com três atacantes, que a equipe vai atacar “sem muita gente, sem se complicar” na defesa, por causa dos contra-ataques rápidos dos holandeses e da velocidade de Robben.

Com o retorno de Pérez e Rojos, a provável escalação da seleção argentina será a seguinte: Romero, Zabaleta, Garay, De Michelis e Rojos; Biglia, Mascherano, Enzo Pérez e Lavezzi; Messi e Higuaín.

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.221.96.140 - Responder

    O Enock é contra a condenação dos mensaleiros meliantes petistas e petralhas, como Zé Dirceu, Delúbio e Genoino (todos os três muito ricos, Genoino tem duas aposentadorias milionárias)

    O Enock é contra o Joaquim Barbosa que mandou os meliantes para a cadeia.

    O Enock é militante e eleitor do PT.

    Tudo isso pode até ser desculpável, mas torcer para a Argentina, aí não dá!!!!!!.

  2. - IP 200.101.27.133 - Responder

    Tomara que Argentina ganhe mesmo só pra ver a Dilma entregar a taça a eles! kkk

  3. - IP 189.11.216.134 - Responder

    O Quarto lugar nos aguarda.
    Mas o pt nào vai poder faturar nada em cima …………
    É o que nos resta.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dezenove − treze =