PREFEITURA SANEAMENTO

Jornal Nacional e Mensalão: Globo tenta salvar Serra

“Agora é com você. Com seu voto vai dizer de que lado está”, diz a propaganda de José Serra (PSDB), que citou a condenação de integrantes do PT por quadrilha e reproduziu a frase do ministro Celso de Mello: a de que os delitos atribuídos aos petistas são piores do que crimes de sangue; na sequência, dois blocos do Jornal Nacional sobre o tema

BRASIL 247

A última cartada do candidato José Serra (PSDB) na corrida pela Prefeitura de São Paulo é tentar faturar em cima da condenação das lideranças petistas no julgamento da Ação Penal 470, o chamado processo do mensalão. Na propaganda de tevê da noite desta terça-feira, a campanha do tucano usou a manchete do jornal Folha de S.Paulo e citou o ministro Celso de Mello, decano do Supremo Tribunal Federal, que manifestou um duro voto pela condenação de 11 réus, entre eles o ex-ministro José Dirceu, o ex-presidente do PT José Genoino e o ex-tesoureiro Delúbio Soares, por formação de quadrilha.

“Agora é com você. Com seu voto vai dizer se que lado está”, questiona a propaganda do tucano. No primeiro turno, não foi fácil medir a influência do julgamento do mensalão no voto do eleitor Brasil afora. Prova é que houve tanto quem dissesse que o julgamento não teve qualquer impacto como quem, como o secretário-geral da presidência da República, Gilberto Carvalho, que identificou prejuízo ao PT devido à ocorrência, ao mesmo tempo, das eleições e do julgamento.

Seja qual tenha sido o impacto do julgamento do mensalão no primeiro turno, a aposta de Serra é que, agora, com as condenações definidas, o tema ganhe mais impacto no pleito de domingo. Com uma diferença de até 17 pontos para o petista Fernando Haddad, de acordo com as pesquisas de intenção de voto, Serra busca apoio onde pode. Mesmo que o resultado da estratégia não seja lá tão certo assim.

O tucano contou ainda com a ajuda do Jornal Nacional, que dedicou dois de seus blocos ao julgamento “histórico”, destacando frases de efeito de cada ministro. Na narrativa, dinheiro roubado de todos os brasileiros, num esquema comandado pelo PT, subtraía do povo brasileiro as escolas, os postos de saúde e assim por diante.

No primeiro turno, apesar de toda a pressão, o Partido dos Trabalhadores foi a legenda mais votada do País, com 17,2 milhões de votos. Agora, lidera diretamente em capitais, como São Paulo, João Pessoa e Fortaleza, indiretamente com aliados em Curitiba, e também em cidades médias relevantes como Guarulhos e Santo André.

O efeito real da estratégia de Serra, alavancada pela Globo no Jornal Nacional, será conhecido no domingo.

———————-
Vinte minutos do JN causam espanto até na Folha

‘JN’ dedica quase 20 minutos a balanço do julgamento

FOLHA DE SÃO PAULO

O “Jornal Nacional” da TV Globo, programa jornalístico mais assistido da televisão brasileira, dedicou ontem 18 dos 32 minutos de sua edição a um balanço do julgamento do mensalão no Supremo Tribunal Federal.

O telejornal exibiu oito reportagens sobre o tema, contemplando desde o que chamou de “frases memoráveis” proferidas no plenário do STF às rusgas entre os ministros Joaquim Barbosa e Ricardo Lewandovsky, respectivamente relator e revisor do processo na corte.

O segmento mais “quente” do telejornal, dedicado às notícias do dia (debate do tamanho das penas e a decisão de absolver réus de acusações em que houve empate no colegiado) consumiu 3min12s.

O restante foi ocupado pelo resumo das 40 sessões de julgamento.

————————-

Globo é acusada de crime eleitoral por edição do JN

Movimento dos Sem-Mídia, presidido por Eduardo Guimarães, protocola ação contra a Rede Globo em razão dos 18 minutos dedicados ao especial sobre o mensalão, após o horário eleitoral gratuito; emissora comandada por Ali Kamel (dir.), que nunca se recuperou da edição do debate entre Lula e Collor em 1989, é acusada de partidarismo

A edição de ontem do Jornal Nacional, que dedicou 18 minutos a um especial sobre o mensalão, logo após o horário eleitoral gratuito, pode ter infringido a Lei Geral das Eleições. Comandada por Eduardo Guimarães, a ONG Movimento dos Sem-Mídia, decidiu entrar com representação contra a Globo junto à Procuradoria Geral Eleitoral e ao Ministério das Comunicações, acusando a emissora da família Marinho, comandada pelo jornalista Ali Kamel, de agir de forma partidária, assim como ocorreu em 1989, na edição do debate entre Lula e Fernando Collor. Leia abaixo:

ONG representará contra Jornal Nacional na PGE e no Minicom

Até a insuspeita Folha de São Paulo notou a cobertura desproporcional, ilegal e até criminosa que o Jornal Nacional fez da sessão de terça-feira (23.10) do julgamento do mensalão. Segundo a matéria em tela, o telejornal gastou 18 dos 32 minutos de sua edição de ontem com esse assunto.
Há, ainda, um agravante. O assunto foi ao ar no JN imediatamente após o fim do horário eleitoral, que, em São Paulo, foi encerrado com o programa de Fernando Haddad. E tem sido assim desde que começou o segundo turno – o noticiário do mensalão é apresentado pelo telejornal sempre “colado” ao fim do horário eleitoral.

O objetivo de interferir no pleito do próximo domingo em prejuízo do Partido dos Trabalhadores e dos outros partidos aliados que figuram na Ação Penal 470, vem sendo escancarado. Ontem, porém, essa prática ilegal chegou ao ápice.

A ilegalidade é absolutamente clara. Para comprovar, basta a simples leitura da Lei 9.504/97, a chamada Lei Geral das Eleições, que, em seu artigo 45, parágrafo V, reza que:

V – É vedado às emissoras de rádio e televisão, em sua programação normal e noticiário, veicular ou divulgar filmes, novelas, minisséries ou qualquer outro programa com alusão ou crítica a candidato ou partido político, mesmo que dissimuladamente (…)

Apesar de a Globo poder alegar que estava apenas reproduzindo um fato do Poder Judiciário, a intenção de usar as reiteradas menções dos ministros do Supremo Tribunal Federal ao Partido dos Trabalhadores é escancarada ao ponto de ter virado notícia de um jornal absolutamente insuspeito de ser partidário desse partido.

Conforme reza a lei, é vedada prática da qual o JN abusou, ou seja, fazer “Alusão ou crítica a candidato ou partido político, mesmo que dissimuladamente”. Ora, de dissimulado não houve nada. O PT foi citado reiteradamente pela edição do JN de forma insistente e por espaço de tempo jamais visto em uma só reportagem.

A Lei Eleitoral recebe interpretação pela Justiça Eleitoral, ou seja, ela julga exatamente as nuances das propagandas, dos programas em veículos eletrônicos e até mesmo na imprensa escrita e na internet.

O uso de uma concessão pública de televisão com fins político-eleitorais também viola a Lei das Concessões, cujo guardião é o Ministério das Comunicações.

Diante desses fatos, comunico que a ONG Movimento dos Sem Mídia, da qual este blogueiro é presidente, apresentará, nos próximos dias, representações à Procuradoria Geral Eleitoral e ao Ministério das Comunicações contra a TV Globo por violação da Lei Eleitoral, com tentativa de influir em eleições de todo país.

Detalhe: será pedido ao Minicom a cassação da concessão da Rede Globo por cometer crime eleitoral

Por certo não haverá tempo suficiente de fazer a representação ser apreciada por essas instâncias antes do pleito, mas isso não elidirá a denunciação desse claro abuso de poder econômico com vistas influir no processo eleitoral. Peço, portanto, o apoio de tantos quantos entenderem que tal crime não pode ficar impune.

———————

JN da Globo reforça campanha do Serra
Por Altamiro Borges

Alertado por internautas, fui conferir a edição de hoje à noite do Jornal Nacional no sítio da prepotente TV Globo. A emissora, famosa por manipular seus telejornais na reta final de várias campanhas eleitorais (todos se lembram das safadezas contra Leonel Brizola e Lula), jogou pesado. Deu dois longos blocos do JN para tratar do julgamento do chamado “mensalão” e da condenação dos líderes petistas. Numa ação orquestrada e cronometrada, STF, TV Globo e os candidatos demotucanos espalhados pelo país – mas, principalmente, José Serra em São Paulo – deram a sua cartada decisiva para as eleições municipais do próximo domingo.

Antes da edição sensacionalista do JN, o eterno candidato do PSDB na capital paulista também explorou o julgamento no STF no horário eleitoral de rádio e tevê. O programa usou a capa de outro veículo aliado, a Folha, para explorar a condenação dos “chefes da quadrilha”. “Agora é com você. Com seu voto você vai dizer de que lado está”, provocou a propaganda tucana. Segundo pesquisa do próprio Datafolha, do mesmo grupo que edita a Folha tucana, Fernando Haddad abriu uma vantagem de 17 pontos sobre o rival do PSDB. As manchetes dos jornalões e as próximas edições do JN farão de tudo para reverter este quadro dramático.

O bombardeio midiático nestes dias será violento. A TV Globo ainda deverá promover outros golpes até o dia da eleição. Ela está totalmente engajada na campanha de Serra. Vendeu o jingle da sua badalada novela “Avenida Brasil” para a campanha do tucano (leia aqui). Na semana passada, ela teve a caradura de não divulgar o resultado da pesquisa Ibope, encomendada pela própria emissora, que apontou a vantagem de Haddad (leia aqui). O que mais ela fará para tentar salvar o eterno candidato do PSDB?

FONTE BLOG DO MIRO

CONFIRA AQUI A BALA DE PRATA DO JORNAL NACIONAL EM FAVOR DE SERRA

6 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.10.99.202 - Responder

    Essa ONG sem moral, deve ser atrelado ao PT/MENSALÃO, por isso a defes pública; Não interessa, o povo tem o direito de saber que Lula e sua trupe, armaram o maior esquema de desvios de verbas pública do País; Domingo 27, é provável que os Paulistas deêm a resposta, elegendo Serra 45 Prefeito, não se assustando se isso ocorrer, pois vivemos uma época que não existe mais Juiz Intocável, quem dirá meros candidatos e partidos políticos!!!

    • - IP 200.150.67.130 - Responder

      essa direita raivosa que diz democrata e nao aceita resultado das urnas das tres ultimas eleicpes presidenciais usa a PIG ai para se estrebucha

    • - IP 200.239.65.81 - Responder

      Lapada têm levado são os privateiros peéssedebistas nos últimos anos. E vão continuar a levar. Recolham-se ao limbo entreguista e subserviente do capital internacional de onde vcs nunca deveriam ter saído! Deixem o povo brasileiro em paz! PAZ e AMOR!

  2. - IP 177.64.251.188 - Responder

    Meu Deus! Agora, é GLOBO quem chefiou o MENSALÃO!!
    Eu fico indignada com uma coisa dessas. O nosso ex presidente foi um dos
    políticos mais corrupto dos últimos tempos. Isso tem q ser escondido?!
    O filho do LULA, DO NADA, é uma das pessoas MAIS RICAS DO PAÍS!!
    Tem que mostrar o MENSALÃO SIM, lugar de corrupto é na CADEIA. Não fazendo
    comício e sendo aplaudido, por um monte de pessoas humildes que não têm informação
    sobre o q ocorre nos bastidores!!!
    CAMPANHA: “GLOBO MOSTRA O MENSALÃO!”

  3. - IP 200.140.20.236 - Responder

    CORRETA A MATÉRIA DEVERIA A GLOBO TER MUITO MAIS PROGRAMA PARA ESCLARECER AOS
    TELESPECTADORES O QUE FOI O MENSALÃO , ISSO SIM É JUSTO.

  4. - IP 177.65.158.150 - Responder

    A GLOBO ,VEJA,BAND,FOLHA DE SAO PAULO ESTAO TENTANDO É HA MUITO TEMPO APLICAR NO BRASIL O GOLPE PARAGUAIO.MAS NAO VAI SER DESSA VEZ.ABAIXO A CONCESSAO DA GLOBO JA.A TV NAO É DA GLOBO É DO ESTADO ,E ESSA CONCESSAO NAO EXISTE PRA QUE A GLOBO FUNCIONE COMO PARTIDO POITICO .AGORA UMA TV QUERER SER O QUARTO PODER NO PAIS.SE DEPENDESSE DA GLOBO POBRE ESTAVA ERA NA ESTRADA PUXANDO CARROÇA,E NAO NA UNIVERSIDADE COMO FIZERAM LULA E DILMA.POBRE NAO TINHA SE QUER UM CARRO FINANCIADO POIS NAO TINHA CREDITO.SE DEPENDESSE DA GLOBO A PETROBRAS JA TERIA SIDO PRIVATIZADA,O BRASIL SERIA UM GRANDE QUINTAL DE JOGO DO BICHO.MAS O DESEPERO DA GLOBO EM COLOCAR SERRA NO PODER,É PELO PODER QUE PERDERAM A 8 ANOS E PELO ANDAR DA CARRUAGEM NAO RECEBERAO NUNCA MAIS.AINDA SE APROVADA A LEI DE MEDYOS.EU TO LOUCA PRA VER ISSO ACONTECER NO BRASIL AI SIM ESTAREMOS VIVENDO EM UMA DEMOCRACIA.LOGICO TIRANDO O STF POIS DESSA VEZ SE SUPERARAM RASGADO A CONSTITUIÇAO.MAS ISSO É OUTRA HISTORIA.AS ESTRELAS CADENTES DO STF HOJE NOS VAMOS VER NO FUTURO.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

vinte − 9 =