SERIA CÔMICO SE NÃO FOSSE TRÁGICO: O novo “escândalo” fabricado pela revista “Veja” revela o desespero de tentar tirar o aeroporto do Aécio do foco no noticiário. Pior é que tem idiota que ainda dá crédito à “Veja”. Do que se trata o “escândalo”? Um vídeo com parlamentares aliados passando instruções para figuras aliadas, num preparativo para uma CPI. CPI é um evento político. Tem situação e oposição. A situação defende os aliados do governo. A oposição ataca. Escândalo seria o Álvaro Dias tentando ajudar Graça Foster. Ora, se a oposição tem espaço na CPI, então ela que faça as perguntas que quiser fazer. Como fizeram, aliás.

DILMA E A FRAUDE DA VEJA

Veja tenta esconder aecioporto

bessinha09876_1


 

Que a Veja se tornou um fenômeno antes psiquiátrico do que propriamente midiático, disso já sabíamos.

No entanto, ela se supera a cada dia.

Do psiquiátrico ela tem migrado para o escatológico.

O novo “escândalo” fabricado por ela revela o desespero de varrer o aecioporto para debaixo do tapete.

Do que se trata o escândalo?

Um vídeo com parlamentares aliados passando instruções ou apenas conversando com figuras aliadas, num preparativo para uma CPI.

CPI é um evento político. Tem situação e oposição.

A situação defende os aliados do governo.

A oposição ataca os aliados do governo.

Escândalo seria se flagrássemos Alvaro Dias tentando ajudar Graça Foster. Aí sim, todos ficariam espantados!

Tentar criar uma CPI da CPI corresponde ao apogeu do ridículo. É como ver um tucano devorando a própria cauda.

Ora, se a oposição tem espaço garantido na CPI, mesmo minoritário, então ela que faça as perguntas que quiser fazer.

Como fizeram, aliás.

A oposição fez perguntas incômodas a Graça Foster, a Sergio Gabrielli, a Nestor Cerveró.

Eles já foram diversas vezes ao Congresso. Porque há uma redundância. Há duas CPIs, sobre o mesmo tema, acontecendo ao mesmo tempo.

Cada vez que Graça Foster vai a CPI, para repetir a mesma coisa, ela deixa de trabalhar, e isso atrapalha a Petrobrás.

Petrobrás cuja produção tem batido recorde e cujas ações se valorizaram mais de 70% nos últimos meses.

Foster, Gabrielli, Cerveró, estiveram várias vezes no Congresso, em CPIs.

Os tucanos é que nunca dão as caras em CPIs que os investigam.

Como eles são blindados e protegidos pela mídia, quase não há CPI investigando tucano.

E quando há, a mídia faz de tudo para abafá-la, até porque, sempre que se investiga tucano, a mídia entra na história. Como réu.

Foi o caso da CPI do Cachoeira. Mais um pouco, e se tornaria uma CPI da mídia, porque o Brasil estava descobrindo as relações íntimas entre a bandidagem e o jornalismo.

É hora de chamar Aécio Neves numa CPI para explicar porque construiu aeroporto na terra de seu tio, e porque este foi o aeroporto mais caro do Brasil.

É hora de chamar os chefões da Globo para explicar a sonegação de R$ 615 milhões, feita através de uma “intrincada engenharia financeira para ludibriar a Receita”, segundo as palavras do auditor fiscal responsável pelo processo.

A Petrobrás é importante demais para ser alvo de abutres que sempre quiseram destruí-la.

A Petrobrás é uma empresa mista regulada, supervisionada, monitorada, por diversos órgãos, nacionais e internacionais.

Se existe uma coisa a ser investigada na CPI da Petrobrás é o afundamento da plataforma P-36.

Era a maior plataforma do mundo. O prejuízo foi incalculável.

Morreu gente.

Enquanto Gabrielli e Graça Foster compraram refinarias, construíram outras, e apostaram no crescimento da produção de petróleo bruto de um lado e refinado de outro, os tucanos venderam metade da Petrobrás para fundos abutres da Bolsa de Nova York.

Não descobriram petróleo. Não fizeram nem compraram refinarias.

Apenas privatizaram, sucatearam e afundaram a maior plataforma do mundo.

Hoje uma boa parte do lucro da Petrobrás vai para bilionários estrangeiros.

Esses mesmos bilionários fazem pressão, através da mídia, para que a Petrobrás dê lucro rápido e fácil, para eles gastarem em festinhas, iates e… jatinhos.

Jatinhos que pousam em aeroportos particulares construídos, no caso de Minas Gerais, com dinheiro público.

——

VEJA A REPORTAGEM-FARSA DA REVISTA VEJA

Poder

Gravações comprovam: CPI da Petrobras foi uma grande farsa

A CPI da Petrobras foi criada com o objetivo de não pegar os corruptos. Ainda assim, o governo e a liderança do PT no Senado decidiram não correr riscos e montaram uma fraude que consistia em passar antes aos investigadores as perguntas que lhes seriam feitas pelos senadores. A trama foi gravada em vídeo.

Hugo Marques

Era tudo farsa. Mas começou parecendo que, dessa vez, seria mesmo para valer. Em março deste ano, os parlamentares tiveram um surto de grandeza institucional. Acostumados a uma posição de subserviência em relação ao Palácio do Planalto, eles aprovaram convites e convocações para que dez ministros prestassem esclarecimentos sobre programas oficiais e denúncias de irregularidades. Além disso, começaram a colher as assinaturas necessárias para a instalação de uma CPI destinada a investigar os contratos da Petrobras. Ventos tardios, mas benfazejos, finalmente sopravam na Praça dos Três Poderes, com deputados e senadores dispostos a exercer uma de suas prerrogativas mais nobres: fiscalizar o governo. O ponto alto dessa agenda renovadora era a promessa de escrutinar contratos firmados pela Petrobras, que desempenha o papel de carro-chefe dos investimentos públicos no país. Na pauta, estavam a suspeita de pagamento de propina a servidores da empresa e o prejuízo bilionário decorrente da compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, operação que jogou a presidente Dilma Rousseff numa crise política sem precedentes em seu mandato. O embate estava desenhado. O Legislativo, quem diria, esquadrinharia o Executivo. Pena que tudo não passou de encenação.

VEJA teve acesso a um vídeo que revela a extensão da fraude. O que se vê e ouve na gravação é uma conjuração do tipo que, nunca se sabe, pode ter existido em outros momentos de nossa castigada história republicana. Mas é a primeira vez que uma delas vem a público com tudo o que representa de desprezo pela opinião pública, menosprezo dos representantes do povo no Parlamento e frontal atentado à verdade. Com vinte minutos de duração, o vídeo mostra uma reunião entre o chefe do escritório da Petrobras em Brasília, José Eduardo Sobral Barrocas, o advogado da empresa Bruno Ferreira e um terceiro personagem ainda desconhecido.

A decupagem do vídeo mostra que, espantosamente, o encontro foi registrado por alguém que participava da reunião ou estava na sala enquanto ela ocorria. VEJA descobriu que a gravação foi feita com uma caneta dotada de uma microcâmera. A existência da reunião e seus participantes foram confirmados pelos repórteres da revista por outros meios — mas a intenção da pessoa que fez a gravação e a razão pela qual tornou público seu conteúdo permanecem um mistério. Quem assiste ao vídeo do começo ao fim — ele acaba abruptamente, como se a bateria do aparelho tivesse se esgotado — percebe claramente o que está sendo tramado naquela sala. E o que está sendo tramado é, simplesmente, uma fraude caracterizada pela ousadia de obter dos parlamentares da CPI da Petrobras as perguntas que eles fariam aos investigados e, de posse delas, treiná-los para responder a elas. Barrocas revela no vídeo que até um “gabarito” foi distribuído para impedir que houvesse contradições nos depoimentos. Um escárnio. Um teatro.

Geraldo Magela/Ag. SenadoJosé Eduardo Barrocas

TEATRO: Parecia uma encenação — e era mesmo. As perguntas que seriam feitas pelos parlamentares ao ex-presidente da Petrobras Sergio Gabrielli foram enviadas a ele antes do depoimento por José Eduardo Barrocas, chefe do escritório da estatal em Brasília, que aparece no detalhe da foto

————-

A nova e estranha denúncia contra a Petrobras

por : , no DIÁRIO DO CENTRO DO MUNDO

A refinaria de Pasadena

 

 

Falta sentido à mais recente denúncia sobre a Petrobras.

Não exatamente sobre a Petrobras, aliás. Sobre a CPI que investiga a compra da refinaria em Pasadena.

Segundo a Veja, um vídeo mostraria que os convocados tiveram acesso às perguntas. E teriam se preparado para elas.

A história contada pela Veja tem tons rocambolescos, e adjetivos furiosos. O vídeo, diz a revista, foi gravado por alguém com uma microcâmara escondida numa caneta.

Coisa de Bond. James Bond. Tanto mais que a motivação do autor, sempre segundo a Veja, permanece um mistério.

Bem, ajudar a campanha de Dilma certamente não foi a intenção do dono da caneta espiã.

A fragilidade do alegado escândalo se revela quando você sai da superfície e tenta entender a história.

Você pode perguntar: os convocados a depor tiveram acesso a perguntas de arquiinimigos do PSDB e do DEM?

Não.

Não tiveram.

Numa decisão bizarra para quem defendera a CPI com tanto ardor, tanto o PSDB quanto o DEM decidiram não indicar integrantes para a CPI da Petrobras.

Se tivessem feito, PSDB e DEM teriam absoluto controle sobre as perguntas consideradas cruciais para a compreensão do caso.

Mas abdicaram de participar da CPI, por algum estranho cálculo.

Examinemos agora as questões supostamente antecipadas.

Em qualquer sabatina, você se prepara exaustivamente para responder toda sorte de perguntas.

Isso se chama media training.

Muitas vezes, neste treinamento, há uma figura chamada de “advogado do diabo”. Ele faz a você as perguntas que seu pior inimigo faria.

É uma prática também comum para candidatos quando se preparam para um debate.

Que perguntas sobre o caso Pasadena não teriam sido previstas pelos convocados a depor em sua preparação para o depoimento?

É virtualmente impossível imaginar uma “pergunta surpresa” em situações como aquela.

Não é uma prova de vestibular, em que pode cair uma questão sobre a Revolução Russa ou outra sobre a Revolução Francesa.

Na CPI é um assunto só. E um treinamento competente deixa você preparado para a sabatina.

Um esforço genuíno de investigação jornalística se centraria não nas perguntas, mas nas respostas.

Elas foram inconvincentes? Trouxeram informações erradas? Se sim, quais são as falácias e onde está a verdade?

É um trabalho duro para jornalistas, muito mais árduo que bater bumbo em torno de um vídeo tirado de uma caneta.

Você só entende a opção pelo caminho fácil jornalístico à luz de, simplesmente, tentar gerar um escândalo à beira das eleições.

O objetivo, nestes casos, não é esclarecer o público e sim confundi-lo.

Não tem sido fácil transformar Pasadena num novo Mensalão, ou coisa do gênero.

Empresários e executivos acima de qualquer suspeita como Fabio Barbosa, Jorge Gerdau e Claudio Haddad faziam parte do Conselho de Administração da Petrobras na época da compra e a chancelaram.

Por que ninguém os entrevista sobre o assunto?

Porque não interessa. Porque não ajudaria naquilo que se deseja: inventar um mar de lama.

Paulo Nogueira
Sobre o Autor

O jornalista Paulo Nogueira é fundador e diretor editorial do site de notícias e análises Diário do Centro do Mundo.

———-

Para Luis Nassif, a repercussão dada pela grande mídia ao factoide da Veja desta semana – tratando como escândalo o suposto conhecimento prévio, pelos convocados da CPI da Petrobras, das perguntas que seriam formuladas, beira o ridículo. “Não tem o menor cuidado ao se misturar com a lama”, escreve Nassif.

 Veja continua pautando a mídia

Por Luis Nassif, no Jornal GGN:

Nos anos 2.000, a Folha cometeu o maior erro estratégico da sua história moderna, indo a reboque da revista Veja. Não apenas ela, mas os demais veículos.

Dias desses cruzei com o diretor de redação de uma grande publicação, ferozmente anti-governo. Sem que o provocasse, comentou comigo que Veja não faz jornalismo.

Ou seja, mesmo na frente-mídia montada em 2005, o jornalismo de Veja é motivo de vergonha, a maneira como ideologizam qualquer besteira, o fato de não ter a menor preocupação em se ater aos fatos.

Ou seja, o padrão Veja ajudou a desmoralizar o jornalismo como um todo, lançou ao descrédito todos os grupos de mídia. É só conferir o desafio gigantesco da Folha para recuperar a imagem perdida, tendo que “explicar” aos leitores qual sua posição e qual a dos colunistas.

Aliás, a posição de um jornal não é o que sai nos editoriais (de baixa leitura) mas na cobertura diária.

A repercussão dada ao factoide da Veja desta semana – tratando como escândalo o suposto conhecimento prévio, pelos convocados da CPI da Petrobras, das perguntas que seriam formuladas, beira o ridículo. Escândalo é continuar se valendo de instrumentos de espionagem, mantendo o padrão que, na Inglaterra, levou jornalistas à prisão, e por aqui continua sendo totalmente tolerado.

Ontem um amigo me ligou dizendo que o Jornal Nacional dedicou quase dez minutos de cobertura. O efeito-manada faz com que Estadão e Folha vão atrás.

Não adianta. Mesmo com o Instituto Millenium, com o fórum da ANJ, com os consultores midiáticos, a mídia padece de uma ausência total de visão estratégica. Não tem o menor cuidado ao se misturar com a lama.

​ ​

 

10 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 179.216.197.131 - Responder

    A Veja é coisa de estúpido. Mas este blog também anda muito sem crédito, seu blogueiro mais parece porta do PT. Parece?

  2. - IP 179.216.197.131 - Responder

    *porta voz

  3. - IP 189.114.53.188 - Responder

    Quanta besteira do Miguel do Rosário e abonada pelo Enock.

    Eles, os petistas, pensam que um membro de CPI está lá para defender os seus correligionários.

    Mas estão lá para apurar ilícitos, ainda que sejam praticados pelos seus correligionários.

    Tanto é assim, que a Constituição Federal outorgou às CPI”s a autoridade própria dos Membros do Poder Judiciário, por isso que essas Comissões podem aprovar quebra de sigilo bancário, fiscal, telefônico, requisitar documentos, determinar busca e apreensão etc.

    A Dilma já sentiu o cheiro de queimado e está caindo fora, deixando a responsabilidade no colo do Congresso, ao dizer que é uma questão do Congresso e não com ela.

  4. - IP 179.252.51.216 - Responder

    Então o “Jornalista” que assina o texto , chama de idiotas todos os Brasileiros críticos e que não compactuam com essa canalhice. Idiota é sim , quem numa visÃo míope e tosca , se recusa a ver que a compra dessa refinaria , foi um negócio de mentecapto , perdulário e gestor de quitanda de bairro. Idiota é quem ataca de forma virulenta , todos os que são oposição a este governo espúrio que tem por único objetivo perpetuar-se no poder a qualquer custo. Querer criticar e atacar uma revista por denúncias feitas por seus próprios cupinchas chega a ser ridículo. Acaso quem fez a denúnica foi alguém da oposição? Entao para os petistas e para os defensores do goverbo petista , funcionários públicos podem fraudar uma CPI ? Para essa raça degenerada que defende esse governo , é permitido que senadores da república mintam e enganem a população? É mesmo o jeitõ petista de querer tratar como parvos , todo o povo de um pais.

  5. - IP 189.74.60.7 - Responder

    Um cidadão que defende um farsa dessas em pleno Congresso Nacional tem que moral pra falar do Riva? Ele é criança perto desse PT nacional!

  6. - IP 179.253.182.124 - Responder

    Estão querendo criar as condições de pouso do avião de Aécio Neves, cuja candidatura derrente diantes dos escândalos e fatos escabrosos nunca explicados. No Congresso ocorreu uma disputa política vencida pelo Governo e seus aliados. O resto é mimimi e infatilidade política de uma oposição sem piloto nem biruta.

  7. - IP 189.10.11.78 - Responder

    É mais grave pousar numa pista sem reconhecimento da anac ou FRAUDAR uma CPI cujo os desenrolares atingem diretamente a presidente da república??? Concordo contigo melo, o tão criticado pelo dono do blog Riva é um bebê de fraudas perto desses petralhas!

  8. - IP 187.7.192.254 - Responder

    Muito me estranha esse bloq colocar uma tarja de censurado, ou lhes pergunto, censurado porque ou por quem… O cara parece mais um lobista do PT. O que com a CPI da Petrobrás é mais um atentado contra a democracia, tentando esconder do povo mais uma mácula que mancha a história desse país, e o cara que se diz censurado fica tentando usurpar e conturbar a opinião pública, levando a cabo que as denúncias são fraudulenta. Me lembrem, por favor, de não perder mais tempo com esse tipo de mídia direcionada, que estão para a notícia da mesma forma com que o Governo do PT está para os brasileiros, “Se não se pode contrariar os fatos e melhor confundir”, Fui…

  9. - IP 189.114.50.95 - Responder

    É deprimente ler um artigo como este num blog outrora muito bem conceituado.

  10. - IP 201.86.178.131 - Responder

    Primeiro gostaria de parabenizar o Enock por postar todos os comentários mesmo desfavoráveis ao pensamento dele, segundo por favor para de proteger tanto o PT, desse jeito o seu blog cairá em descrédito perante seus leitores, eu sou um deles. A verdade às vezes dói, principalmente para pessoas que nao querem acreditar o PT estáacabando com o pais este escândalo da refinaria de passadena e apenas um entre tantos. Faço como todo bomjjornalista, por favor tente ser imparcial!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

3 × 2 =