Sempre preocupada com sorte dos servidores do Judiciário, PAGINA DO E pergunta: é certo impor uma greve à gestão do desembargador Orlando Perri, para pressionar pela Progressão Funcional se só fazem dois meses que Perri assumiu poder no TJ ? Quantas foram as cobranças feitas pelo Sinjusmat ao antigo presidente, o desembargador Rubens de Oliveira? Se o TJ demonstra interesse em negociar, por que começar logo pela greve?

Rubens de Oliveira, deixou a presidencia do TJ, homenageado pelo Sinjusmat, apesar de assinar e não implementar Progressão Funcional; Rosenwal Rodrigues, presidente do Sinjusmat, parece usar dois pesos e duas medidas; e o desembargador Orlando Perri, mal começou a administrar o TJ enfrenta dura cobrança por obra inacabada de seu antecessor

Rubens de Oliveira, deixou a presidencia do TJ, homenageado pelo Sinjusmat, apesar de assinar e não implementar Progressão Funcional; Rosenwal Rodrigues, presidente do Sinjusmat, parece usar dois pesos e duas medidas; e o desembargador Orlando Perri, mal começou a administrar o TJ enfrenta dura cobrança por obra inacabada de seu antecessor

O sindicalista Rosenval Rodrigues, presidente do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário, está distribuindo, em todas as comarcas do Estado, panfleto em que avisa a população mata-grossense de nova paralisação dos servidores do Poder Judiciário a ser iniciada na próxima segunda-feira, 13 de maio. Sempre preocupada com a sorte dos servidores do Poder Judiciário, esta PAGINA DO E – que sempre soube se manter ao lado destes trabalhadores, em suas lutas – permite-se indagar se esta greve não é uma medida exagerada para o atual momento vivido pelo Poder Judiciário, em nosso Estado. Sim, vivemos um novo momento, não só política como administrativamente.

Vejam que, enquanto o desembargador Orlando Perri assumia o comando do Tribunal de Justiça, no início do recente mês de março, o sindicalista Rosenwal Rodrigues, presidente do Sindicato dos Servidores do TJMT, entregava uma placa para o desembargador Rubens de Oliveira, que deixava a presidencia do TJ, homenageando aquele magistrado como “o melhor presidente do TJ em todos os tempos”, de acordo com a visão dos servidores.

Mas se Rubens de Oliveira foi um presidente tão bom, como escreveu o Sinjusmat em sua placa, por que foi que Rubens de Oliveira não avançou um passo sequer depois de assinar compromisso com o Sinjusmat, em 25 de outubro de 2011, garantindo que iria implementar a progressão funcional dos servidores?

Vejam que Rubens de Oliveira assinou esse compromisso em outubro de 2011, ficou no cargo, apoiado e paparicado por Rosenwal Rodrigues, até o final de fevereiro de 2013, não implentou Progressão Funcional nenhuma, nesse prazo de UM ANO E QUATRO MESES, e mesmo assim recebeu homenagens do Rosenwal, flores do Rosenwal, aplausos do Rosenwal, sendo apontado, com evidente exagero, como o melhor presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

Com relação à nova gestão do desembargador Orlando Perri, todavia, que assumiu o comando do TJ há apenas dois meses, no entanto, Rosenwal e o Sinjusmat – DEPOIS DE POUCO MAIS DE DOIS MESES APENAS, É IMPORTANTE DESTACAR – ameaça com uma greve para estabelecer conquistas para o conjunto dos servidores. A maioria dos servidores do Judiciário concorda com este tipo de negociação, que não reconhece e valoriza um desembargador que sempre esteve ao lado dos servidores, em momentos cruciais?

Esta PAGINA DO E, humildemente, gostaria de entender: Por que o Sinjusmat não cobrou antes, não pressionou antes? O compromisso fora assumido pelo desembargador Rubens de Oliveira e aquele desembarcador não enfrentou um momento de cobrança sequer, até expirar o prazo, em 31 de dezembro de 2012. Foram UM ANO E QUATRO MESES em que o Sindicato e o desembargador Rubens, aparentemente, trocavam sorrisos, agrados, e acabaram trocando placas de homenagem. Agora, de repente, surge este radicalismo que não parece ter base na realidade.

Se neste momento, o Tribunal de Justiça, através do juiz Luiz Otávio de Oliveira Sabóia, juiz auxiliar da presidencia, vem demonstrando empenho em negociar uma saida que beneficie os servidores, ao mesmo tempo que dê tempo para que a nova administração assuma de fato todos os cordéis do poder no TJ, por que o Sinjusmat queima etapas de forma tão apressada?

Não se imagina que a administração do TJ vá deixar de garantir o pagamento de direitos de seus servidores. Esse compromisso já foi assumido em comunicado público. O que nos parece lógico, no entanto, é que se esgotem todas as formas de negociação, antes de se partir para uma ruptura que não preserva o mesmo espirito de negociação que se teve para com a administração anterior. Mesmo porque o juiz Sabóia já abriu a negociação e já demonstrou que é possivel estabelecer prazos e metas sem constranger o restante da população com a greve que é arma para ser usada em momentos de impasses mais graves .

Todos nós conhecemos a combatividade do sindicalista Rosenwal Rodriges, consagrado aqui mesmo nesta PAGINA DO E como um das mais expressivas lideranças do sindicalismo mato-grossense. Neste momento, todavia, é preciso que Rosenwal perceba que falta lógica a este radicalismo que ameaça tumultuar o processo de implantação da gestão de um desembargador, o desembargador Orlando Perri, que sempre demonstrou ser parceiro e defensor dos servidores. Um desembargador cujas atividades serviram de pedra de toque para esta nova fase que vem reestabelecendo a credibilidade do Judiciário mato-grossense diante da sociedade. É constrangedor que os servidores não percebam isso.

 

——————–

VEJAM AQUI A NOTA EM QUE O TJ GARANTE DIÁLOGO PERMANENTE COM OS SERVIDORES E SEU SINDICATO

 

 

 

tjmt paginado e – perri garante reposição de 6,20% para servidores do tjmt by Enock Cavalcanti

——————-
VEJA AQUI COMO O SINJUSMAT, QUE ALIVIOU PRO LADO DO DES.RUBENS AGORA FAZ PRESSÃO CONTRA O DES. PERRI

Pagina Do e Sinjusmat – A Inesperada Greve Contra Perri by Enock Cavalcanti

Categorias:Jogo do Poder

49 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 187.5.109.196 - Responder

    Caro Enock, como é sabido por Vossa Senhoria, há muito estamos dialogando com nosso Valoroso Tribunal bem como seus Presidentes. Acontece que, conforme foi amplamente acompanhado pelo Senhor, de diálogo não aguentamos mais, afinal não sabemos se você se recorda, temos nossas progressões, nossos passivos que teriam como início do pamento no mês de dezembro de 2012, conforme acordo firmado com o Exmo. Desembargador Rubens, OAB, Imprensa (incluindo Vossa Senhoria) bem como o Governo. Foram até mesmo incluídos no orçamento deste ano alguns passivos porém, como se vê não foi cumprido pela Egrégia Corte. Saem os Getores o poder continua, como você bem mencionou, o Desembargador Perri tinha ciência das reivindicações em reuniões com o comitê gestor e, portanto, não pode agora dar uma dedesentendido. Pior, não estamos entendendo por que agora do nada vem “Enock” que sempre esteve ao lado do servidor soltar uma matéria como essa que a meu ver é um contra senso. Não sabemos o que é aumento real, licença-prêmio, progressões vertical/horizontal, SDCR, etc. Tudo acordado com o então Presidente. Era só cumprir. Caso pairem dúvidas, na sede do Sinjusmat estão todos os protocolos feitos à época da formação do comitê gestor que se quer foi chamado as falas para discutir o que foi chamado de aumento por Vossa Senhoria há dias atrás. Quando se mencionou 6.2% na realidade era apenas a reposição inflacionária, quando se mencionou 30% do vale-coxinha o que na realidade não passou de 23% já que hoje a classe já recebe R$315,00. É só fazer as contas e então chegará à conclusão que não passou de meras reposições. Mesmo assim, tenho certeza que, como bom comunicador que é acompanhará de perto nossos anceios e juntamente conosco poderá tecer os elogios que a atual gestão merecer. Abraços.

  2. - IP 187.6.48.226 - Responder

    Boa tarde. Cara Colega Enok. Quanto tempo! Gostaria de expressar minha opinião, nem todos os servidores concorda com o radicalismo de uma greve. Muitos não concorda com as estrategias do Sindicalista, de uma olhada na quantidade de servidores que desfiliaram no ultimo ano. Sou sindicalista, brigo pelo meu direito, porém não tenho segurança neste momento para uma greve. Será que no dia 16/05 na passeata terá uma expressividade de companheiros?

  3. - IP 201.67.63.226 - Responder

    As reivindicações dos servidores do Poder Judiciário são justas. Uma pena é observar o descumprimento da Lei do SDCR, instituída pela própria Casa da Justiça, durante a gestão 2007/2009, da qual o Des. Presidente fazia parte. As progressões são devidas desde 2010, no caso da vertical, e desde 2012, no caso da horizontal. E com relação a esta última, os requisitos são objetivos, cinco anos na classe anterior, e qualificação profissional. Qual a dificuldade do TJ em constatar isso??? Outro ponto que merece destaque, é que agora é hora de união, e não críticas sobre o que o Sindicato poderia ter feito, até porque se o SINJUSMAT se omitiu, nós servidores também nos omitimos.

  4. - IP 187.6.75.203 - Responder

    Fico desanimado como o TJ/MT trata seus servidores. Um servidor com 20 anos de casa esta ganhando igual a um servidor que entrou no último concurso. É uma disparidade imensa. A valorização de servidores passa primeiro por uma boa remuneração…é simples assim….

  5. - IP 187.123.8.40 - Responder

    As reivindicações dos servidores são justas. Essa é uma verdade que cabe aos servidores, em suas assembleias, definirem. As asssembleias são soberanas – mas elas devem sempre se pautar pela lógica dos fatos. A Geane Lira, como servidora, expressa, em seu comentário, a sua insegurança para a greve. Fala em desfiliações em massa do Sinjusmat. A Fabiana apela para a união dos servidores, que é sempre importante e o Preocupado, infelizmente sem se identificar, diz que estaria cansado do diálogo com o Tribunal. Mas se havia cansaço no diálogo com o Tribunal, se o Tribunal, então representado pelo desembargador Rubens de Oliveira, não implementou a Progressão Funcional até 31 de dezembro, como prometera, por que jogar agora, toda essa cobrança sobre o colo do novo presidente sem lhe dar o tempo para conhecer todas as implicações de uma função como esse? E por que, em fevereiro deste ano, dar uma placa para o Rubens de Oliveira, dizendo que ele foi o melhor presidente de todos os tempos para os servidores? Alguma coisa não bate nesta história. Veja, caro servidor que se esconde sob a alcunha de Preocupado: aqui na PAGINA DO E, você não precisa se esconder. Aqui na PAGINA DO E você tem à sua disposição um espaço democrático e todos devem falar de cara aberta e franca, como eu, Enock Cavalcanti, sempre falei, enfrentando a truculência de tantos presidentes deste Tribunal e sempre em defesa da organização e das lutas dos servidores! O que acontece é que, recebendo o panfleto do Sinjusmat, percebendo que uma nova greve está sendo gestada, avaliei que, nesse caso, cabe uma reflexão porque pelo acordo, caro Preocupado, as progressões e os passivos não deveriam começar a ser pagos a partir de 31 de dezembro de 2012. O que acordo estabeleceu foi que esses pagamentos deveriam começar a ser pagos ATÉ o dia 31 de dezembro. O acordo foi assinado em 24 de outubro de 2011, para ser cumprido ATÉ 31 de dezembro de 2012 – e nesse meio tempo, pelo que viu na página do Sinjusmat e nos documentos que anuncia a greve contra a administração do Perri, não houve nenhuma pressão contra a administração do desembargador Rubens de Oliveira. Pelo contrário. O Rosenwal ainda achou um jeito de homenagear o desembargador Rubens de Oliveira, no mesmo momento em que Perri tomava posse, dizendo que Rubens de Oliveira fora o melhor presidente de todos os tempos. Tudo bem, o desembargador Rubens pagou o passivo da URV com muito compromisso, com muita decência. Mas ele fez isso pela pressão organizada dos servidores. Pressionou pressionar duro para o homem reagir. Só que a fila anda, as reivindicações se renovam. O que me parece certo é que Rubens de Oliveira, o presidente que assumira o acordo da Progressão Funcional, deveria ter sido cobrado em fevereiro de 2012, em março de 2012, em abril de 2012, e em todos os outros meses daquele ano mas parece que isso não aconteceu e que o Sinjusmat, agora, está querendo jogar todas as cobranças no colo de um novo presidente que assumiu há apenas dois meses. Esse é a conta que eu estou fazendo, caro Preocupado, cara Fabiana, caros servidores todos. E falo com a tranquilidade de quem sabe que a ação do desembargador Orlando Perri, junto aos servidores, sempre foi uma ação de reforço, de apoio, de solidariedade, em momentos importantes para a categoria e para o sindicato. Então, por que é que o Perri deve ser cobrado com um pressão que não existiu contra o desembargador Rubens de Oliveira, depois que ele pagou a URV? Comparem a história do relacionamento de Perri com a história do relacionamento do Rubens com os servidores e vejam quem é que deve merecer mais consideração. Como jornalista e militante social que acompanhou bem de perto a história recente de depuração por que passou o Tribunal de Justiça de Mato Grosso, me sinto tranquilo para dizer que o desembargador Orlando Perri merece um crédito de confiança por tudo que ele fez. Não pensem que o recente processo de revalorização do TJ e do TRE, em Mato Grosso, teria sido possível se Perri não tivesse atuado como atuou no caso da Maçonaria. Defender o TJ contra as panelinhas de magistrados também é defender o interesse dos servidores, os interesses desta instituição chamada Tribunal de Justiça. É sobre todas estas questões que refleti quando resolvi escrever esta matéria discordando dessa greve que imagino prematura. Sei que a decisão final cabe ao conjunto dos servidores mas me dou a liberdade de emitir minha opinião, que eu, Enock Cavalcanti, nunca fui de ficar calado. Acho que o cidadão e magistrado Orlando Perri deveria, dada a sua trajetória (notadamente em comparação com a trajetória do ex-presidente da OAB e atual desembargador Rubens de Oliveira) ter um outro tipo de tratamento. Gentileza gera gentileza. Sempre foi assim. Por que é que os servidores resolveram, agora, pular esta etapa? O Perri merece um prazo para esquentar os motores, juntamente com a sua equipe. Se depois disso ele cagar no pau, como se diz, aí vamos todos descer o porrete no vacilão, porque ele efetivamente passará a merecer. Por enquanto, não. Por enquanto, em matéria de sacanagem com os servidores, ele ainda é cabaço.

  6. - IP 187.6.48.90 - Responder

    Senhor Rosenval, da nossa situação, o único culpado é o senhor, pelo acordo absurdo que o senhor fez na greve passada, sem pedir autorização dos servidores, o senhor representa a categoria, mas não decide por ela, como vem acontecendo, e agora o senhor quer novamente usar os servidores, para promover uma greve e colocar a batata quente nas mãos do atual Presidente, Desembargador Perri, que está há dois meses no comando. Isso deveria ter sido feito na gestão passada, porém todo o acordo que o senhor fez na gestão passada, deveria ser cumprido no final da mesma, porque será?… livrando o Presidente anterior e caindo tudo agora nas mãos do recente Presidente. Sou contra greve, não farei greve, e a maioria dos servidores já não acredita mais no senhor.

  7. - IP 177.1.235.142 - Responder

    Bom dia. Sou servidor, pode-se dizer que greve não é esse o momento, porém, gostaria de Enock registrasse através de reportagens bem esclarecidas de que nos últimos 10 (dez) anos os desembargadores e magistrados tiveram alguns aumentos salariais, enquanto que os servidores tiveram REPOSIÇÃO SALARIAL, o que já ofende toda a classe dos servidores, e consequentemente, um serviço sem vontade a população, que diga-se de passagem não tem haver com isso. Agora reporto ainda, que as conversas de aumento e que as categorias teriam tiriam melhores salários estão dentro da progressão que era para ter sido colocado em prática desde 2010. Agora não devemos falar sobre questão RUBENS ou PERRI, áliás a questão aqui é outra, pois não são os presidentes devedores de qualquer situação da não colocação em prática, pois são responsáveis pelos seus atos administrativos que em nada fazem para conceder DIREITOS AOS SERVIDORES, passa anos e anos, e a mesma conversa “DIALOGAR”, enquanto que os desembargadores e juízes tiveram AUMENTO REAL EM SEUS SALÁRIOS, e o momento é que os servidores devem buscar seus direitos. O problema está na classe dos servidores que NÃO CHEGAM A UM CONSENSO E A UM SINDICATO DESMORALIZADO pelas ações tomadas sem ASSEMBLÉIA pelo seu presidente ROSENVAL. A desmotivação é grande, pois há sempre uma alegação do Tribunal para não colocar emprática a Lei do SDCR, e ainda, que NÃO TEM ORÇAMENTO, pois não fazem isso validar. PARA CONHECIMENTO DA POPULAÇÃO DESDE 2010 JÁ TERIA QUE HAVER A IMPLEMENTAÇÃO DE TUDO, e estabarramos em um mesmo direito rechaçado DESONESTIDADE, CONCHAVOS, FALTA DE INTERESSE andam lado a lado e caso o CNJ – Conselho Nacional de Justiça não venha a intervir está lei é mais uma lei brasileira que fica na gaveta que teria que dar direito aos mais fracos e nada ocorre. INDAGO A VOCÊ ENOCK A RELATAR EM MATÉRIA NOS ÚLTIMOS DEZ ANOS QUANTOS AUMENTO SALARIAIS TIVERAM OS JUÍZES E MAGISTRADOS, enquanto que os SERVIDORES NÃO TIVERAM AUMENTO ALGUM, somente REPPOSIÇÃO SALARIAL. Quanto é para os servidores não existe orçamento e é fato esta ALEGAÇÃO DO TRIBUNAL. Termino com somente uma frase “A INDIGNAÇÃO É DE QUE OS SERVIDORES NÃO CONHECEM SEUS DIREITOS E NÃO CONSEGUEM UNIÃO PARA FAZER UM MOVIMENTO DIGNO COM ESTE SINJUSMAT – SE CONHECER DE SEUS DIREITOS LUTEM, LUTEM …”

  8. - IP 201.88.56.221 - Responder

    CARÍSSIMOS COLEGAS, EU NÃO VEJO MOTIVO NESTE MOMENTO PARA CRITICAR O PRESIDENTE DO SINDICATO, ESSE CARA PROCURA DE TODAS AS FORMAS FAZER COM QUE O TJ/MT., CUMPRA A LEI PARA COM OS SEUS SERVIDORES. AMIGOS É DIFÍCIL TRABALHAR SEM UMA REMUNERADO DIGNA, NOS SERVIDOS DO BAIXO CLERO (TÉCNICO) NECESSITAMOS DE UMA SOLUÇÃO PARA COM O NOSSO SALÁRIO, VEJA BEM, EU TENHO 25 ANOS DE SERVIÇO COM UM SALÁRIO DE 1.900,00 É DIFICIL OU NÃO É? PELO MENOS AUMENTE O AUXILIO ALIMENTAÇÃO PARA 900,00, JÁ ALIVIA UM POUQUINHO. quero lhe dizer ao Senhor Enock, voce esta proibido de fazer qualquer comentário neste site sobre os servidores do Poder Judiciário, se voce tem alguma coisa contra o Sindicalista vá até ele e expresa o seu sentimento, pelo que parece voce, faz aqui uns questionamento como se fosse funcionário da instituição, portanto cale-se.

    • - IP 200.181.73.186 - Responder

      Estou precisando descobrir quais são as outras vantagens pagas com o salário, porque eu não tenho recebido. E o problema do salário dos professores quem deve discutir é a categoria deles não a nossa. Se para eles está bom, se eles não se manisfestam não temos nada a ver com isso. Ou quem sabe, na classe de professores existem pessoas que preferem se acomodar, preferem ficar calado puxando o saco dos superiores hierarquicos, já vi muito disso. Porque nos compararmos aos professores e não aos servidores da justiça federal que fazem trabalho semelhante ao nosso. Digo semelhante porque a estrutura deles é bem melhor que a nossa. Quem sabe porque eles fazem mais greves do que nós, porque eles brigam por seus direitos mais que nós ou quem sabe porque eles são mais unidos para buscar a melhoria da coletividade? Pense nisso também. Não sou favorável a movimentos grevistas, porém não sou de me conformar com as injustiças que sofremos. Se greve é o único meio, vamos lá buscar os nossos direitos. Sem contar que pelo menos o plano de carreira dos professores é cumprido. Assim que completam o estágio probatório já são elevados de categoria. Suas licenças são deferidas etc.

  9. - IP 201.67.58.21 - Responder

    CONCORDO COM VC ENOCK! PORQUE SO AGORA QUEREM FABRICAR UMA GREVE! ORA O JUSRIDICIONADO A POPULAÇÃO NAO PODE PAGAR DE NOVO!!! ADEMAIS COLEGA JOSE LUIZ, O SENHOR ALEGA QUE GANHA “SOMENTE” 1.900,00. ORA COLEGA O SENHOR SABE QUANTO GANHA UM PROFESSOR DO MUNICIPIO DE CUIABA E DO GOVERNO NO MÁXIMO 1.300,00.

    COLEGA O SENHOR ESQUECEU DE DIZER AS OUTRAS VANTAGENS QUE SÃO PAGOS JUNTAMENTE COM O POUCO “1.900,00”. NÃO A GREVE! SIM AO TRABALHO. Um abraço pense nisso.

    • - IP 179.252.13.184 - Responder

      Ronaldo pq vc não compara com o salarios dos Juizes e Desembargadores?? estamos falando de Judiciario e não da Educação, nada contra essa ou aquela classe é apenas para vc refletir, ok, abraço

    • - IP 179.253.24.16 - Responder

      Tá por fora Ronaldo… [E melhor se informar pra depois opinar.

  10. - IP 187.5.109.196 - Responder

    Acho um ABSURDO entrar em greve agora. Pq essa proposta paredista não foi apresentada aos servidores no ano passado!??! Essa progressão já era pra ter sido iniciada em 2012. Não foi. Pq esse senhor, o Rosenwal, que não me representa, deixou de tomar providências em relação à gestão anterior?!? O que mais se falava no site do Sinjusmat é do tal do “diálogo”. E agora? Pq não continuar esse diálogo, a fim de dar tempo à atual administração para solucionar os problemas? Acho isso, no mínimo, estranho. O que será que está por trás dessa greve!??! Em 2010 nós perdemos 16,6% por conta de uma palhaçada que servia pra atender aos interesses de pucos e acabou não contemplando as reivindicações de ngm. O que será que está por vir? Tenho medo..

  11. - IP 187.5.110.146 - Responder

    Triste porque nos servidores levamos o judiciario nas costas com a sobrecarga de trabalho que todo mundo sabe como é, aguenta comentário da sociedade sobre a lentidão do andamento dos processos e “enquadram” a gente nas leis mau feitas que policia prende e justiça solta alpme das “coisas” feias que os graudos do judiciário fazem e a lama respinga na gente também.
    Sem falar dos credenciados que vem trabalhar só seis horas por semana, atingem o teto estabelecido e os concursados podem correr risco de processo administrativo …
    Queria tanto nossos direitos atendidos ….

  12. - IP 189.10.103.106 - Responder

    Percebo que alguns comentários têm sentido pessoal. Pura vaidade. Isso não nos interessa. Órgão Público não tem dono específico. Quem administra tem que cumprir a Lei, independente de quem era o anterior.

  13. - IP 189.10.103.106 - Responder

    Comentários pessoais. Pura vaidade.

  14. - IP 189.10.103.106 - Responder

    Percebo que alguns comentários têm cunho pessoal. Pura vaidade. Isso não nos interessa. O bem Público não tem dono. Quem assume tem que cumprir na íntegra a Lei. Nos respeite que a recíproca será verdadeira.

  15. - IP 189.10.103.106 - Responder

    Fico honrado por ter meus comentários excluídos!

  16. - IP 177.3.50.74 - Responder

    A direção do T.J. precisa mandar abrir inquérito para investigar a gastança absurda que o Presidente do Sindicato dos Servidores,Rosenwal Rodrigues,realizou no Município de Jangada na última eleição,onde o mesmo disputou para Prefeito,sendo derrotado.Com salário de Oficial de Justiça será que consegue guardar milhões,ou pode ser recursos desviados do Sindicato e consequentemente dos Servidores??Disputou a eleição com o nome de “Dr. Rosenwal”,Dr. em quê ?Abre o olho funcionários,pelo jeito o moço quer fazer caixa de novo !!!

  17. - IP 187.6.48.226 - Responder

    Sr. Enock, o Sr. está mesmo preocupado com os servidores? O Sr. conhece todas as inúmeras negociações dos servidores com TJ? Parece que o Sr. está criticando os servidores em defesa pessoal do desembargador Orlando Perri, está até estranho. O Sr. sabe o poder que tem a mídia! Está querendo criticar os servidores e o presidente do sinjusmat pelo poder que tem na mídia? A luta dos servidores NÃO É PESSOAL em face de Presidentes do TJ. Os direitos desrespeitados dos servidores vem de longa data, o Sr. sabe. Não é questão de dois meses de gestão do novo Presidente do TJ. Se não foi sanado os problemas durante as outras gestões é uma questão que somente se arrasta no tempo. A greve é uma necessidade para os servidores terem seus direitos respeitados frente ao TJ. O Presidente do Sinjusmat somente está desempenhando suas funções, a decisão pela greve é dos servidores, cansados. E o que dizer de aumentos salariais já concedidos a magistarados? E o que dizer do novo concurso de juiz prometido para este ano? e terceirização de serviço braçal já prometido ? Chega de campanha contra Rosenwal ou a favor de tal ou qual! Estarei em greve lutando pelos meus direitos!!

    • - IP 187.6.48.90 - Responder

      Fique a vontade para fazer greve, pois é nisso que acreditamos, na liberdade de escolha, a única coisa que falta é você analisar mais detidamente, pois você diz que Enoc está fazendo campanha em favor do atual presidente, ….não vejo dessa forma, muito pelo contrário, vejo é que Rosenval teve a grande oportunidade de lutar por nossos direitos, principalmente sobre a aplicação do SDCR, enquanto estava o Presidente anterior, e simplesmente depois de uma luta que enfrentamos, com muita garra eu diria, na última greve, de uma hora prá outra foi aceito uma proposta absurda, de um acordo que deveria ser cumprido até o final de 2012, e mesmo depois de vencido o prazo, nada foi feito, isso eu acho muito mais estranho, seria para evitar confronto com o Presidente anterior????…. realmente não dá mais prá confiar em Rosenval, mas como eu disse, cada “tem ” que ser livre para decidir, e não deixar ser manipulados como fomos no final da última greve, com um acordo assinado antes de uma assembléia… e agora de novo manipulados….. ha não….dessa vez não…. pelo menos eu, e a maioria dos servidores com quem temos contato…..

  18. - IP 187.5.109.196 - Responder

    Fui censurado pelo Enock….. Postei um comentário sem ter ofendido quem quer que seja, ao contrário das reportagens que o digno jornalista tem veiculado neste site…. #pena

  19. - IP 187.4.97.223 - Responder

    O Tribunal de Justiça de Mato Grosso, sob a presidência do desembargador Orlando Perri, vai gastar R$ 27 mil com a palestra “Aprenda a elevar o seu nível de felicidade”, em comemoração ao Dia das Mães. A palestra acontece nesta quinta-feira (9), no Fórum de Cuiabá.

    O contrato, com inexibilidade de licitação, foi assinado entre a empresa Qualidade Produções Ltda. e Michele Campos Assaóka Lustosa, diretora do Departamento Administrativo do TJ. A informação é da coluna Data Vênia, do site MidiaJur.

    • - IP 187.6.109.130 - Responder

      Michele Campos Assaóka Lustosa – nao entendi o que a senhora quer dizer em seu comentario… boa tarde.

  20. - IP 179.216.199.142 - Responder

    Prezado Paulo Carvalho, prezados servidores e servidores, nesta PAGINA DO E não existe censura. Todos os comentários são liberados. Acontece que não dedico todo meu tempo à produção desta PÁGINA DO E. Entre 14 horas e 18 horas, estive acompanhando a reunião de sindicalistas do Fórum Sindical com o governador Silval Barbosa e com o secretário Faiad e com o deputado federal Carlos Bezerra. As 18 h30 fui até o Sintep Cuiabá participar de uma entrevista sobre as recentes decisões da Justiça com relação ao deputado Geraldo Riva. Agora, vou jantar e assistir ao Jornal Nacional. Volto daqui a pouco para analisar mais detidamente os comentários recebidos. Quase 20 horas e continuamos na labuta.

  21. - IP 179.216.199.142 - Responder

    Prezada Michele, 27 mil por uma palestra sobre nível de felicidade?! Acho, também, que esse é um investimento que poderia ser dispensado. Alguém da direção do TJ pode comentar?

  22. - IP 179.216.199.142 - Responder

    Rubens Falcão, condenar sem provas fica mal. Você tem provas de que o Rosenwal realizou gastança absurda em sua campanha, lá em Jangada? Você sabe, pelo menos, quanto ele gastou? Para acusar é preciso provar bem provado. Se você tem elementos que possibilitem uma investigação, que tal procurar o Ministério Público Eleitoral e formalizar uma denúncia? Mesmo as críticas devem ser bem formuladas – se não, a gente cai na mesma situação de alguns dos ministros que julgaram o caso do Mensalão, no STF, e agora talvez tenham que reformular suas sentenças por que realizaram condenações sem provas. Mas essa é uma discussão para outro momento. Agora, por exemplo, seria importante saber se o fato do Rosenwal se afastar para fazer campanha eleitoral em Jangada, esvaziou o Sinjusmat de tal forma que o Sindicato não teve competência de fazer as cobranças ao desembargador Rubens de Oliveira que deveriam ter sido feitas com relação ao compromisso assumido em outubro de 2011 e não cumpridos até fevereiro de 2013 quando ele deixou o comando do TJMT. O absurdo em toda esta história é o des. Rubens não cumprir o que assinou como compromisso e, mesmo assim, receber uma placa de homenagem do Sinjusmat como maior presidente de todos os tempos no TJMT em se tratando de benefícios aos servidores. Aí está a grande contradição deste processo.

  23. - IP 179.216.199.142 - Responder

    Prezada Servidora, eu sei o que poder que tem a mídia por isso apoio a regulação da mídia no Brasil. Esse negócios das grandes empresas de mídia, no Brasil, serem controladas por um pequeno grupo de famílias, não está certo. Como também não está certo a imprensa de Mato Grosso, e notadamente as televisões, estarem nas mãos de uma pequena panelinha de políticos. A direitona, quando ouve falar em regulação de mídia, grita logo que estão querendo censurar a imprensa! Claro, os atuais donos da mídia no Brasil querem que tudo continue do jeito que está. Mas será que não interessa para nós, aqui em Mato Grosso, saber como Júlio Campos, Sérgio Ricardo, Silval Barbosa, Maksuês Leite, etc, etc, passaram a controlar a informação em nosso Estado? Essa é uma discussão que me interessa e gostaria de vê-la cada vez mais engajada nisso. Para democratizar a mídia, por que é que vocês, servidores, não conseguiram, até agora, ter um espaço na internet, um fórum aberto, onde possam debater democraticamente seus interesses, suas concordâncias e suas discordâncias com relação ao trabalho que fazem, aos benefícios que recebem, à sua relação com seus patrões, os magistrados, etc, etc. Ficar esperando que a mídia traga as informações que transformarão nossa vida é uma coisa que não dá mais. Informação é poder, você percebeu bem. Então, que esta informação seja cada dia mais democratizada. Digo para você também que não faço essas observações pura e simplesmente para defender o desembargador Perri – mas defendo muitas das ações que ele assumiu, nestes últimos anos, como no caso de sua permanente parceria com o Sinjusmat e os servidores. Várias vezes vi o desembargador Perri sendo convocado, e não se negando a comparecer a encontros com o então presidente José Silvério, como uma espécie de intermediador convocado pelo Sindicato. Se o Perri merecia participar do diálogo ontem por que é que não merece participar agora? Quanto ao que você propõe, de varrer o passado completamente para debaixo do tapete, não concordo. Digo que há uma contradição séria em se assinar um acordo com des. Rubens, ficar um ano e meio esperando que ele fizesse alguma coisa pela Progressão, o desembargador não fazer nada – e depois ainda ser o homenageado com uma placa como o melhor presidente de todos os tempos. E, depois de dois meses, os servidores iniciarem uma greve contra o novo presidente porque ele estaria desconsiderando as reivindicações dos servidores. Com um pouco de sensibilidade acho que daria para perceber que o dialógo funcionaria melhor, neste momento, principalmente em se tratando da administração de um desembargador que sempre procurou ouvir os servidores.

    • - IP 187.6.48.226 - Responder

      Sr. Enock, fico feliz pelo espaço de debate democrático aqui. Data venia, não é varrer o passado pra debaixo do tapete, mas a luta do servidor vem de longa data. Houve avanço nas “negociações” com o Des. Rubens de Oliveira, tanto o é que o passivo da URV começou a ser pago e outros débitos em atraso, férias vendidas e não pagas etc. O Des. Perri também é conhecedor de longa data dos direitos dos servidores. E quanto à suposta pressa nas “negociações” com o Des. Perri, não concordo e a maioria dos servidores não vê pressa, vê demora injustificada no Tribunal em cumprir a Lei do SDCR. E por falar em pressa, saiu uma portaria hoje no DJE 9047, p 40 concecedendo prazo até dia 17/05/2013 para os servidores apresentarem documentos “observados os critérios de lançamento nos campos específicos”. “O servidor que não realizar o cadastramento dos cursos no prazo estabelecido será automaticamente excluído do processo de concessão da progressão horizontal”. Até dia 17/05/2013.

  24. - IP 179.216.199.142 - Responder

    Caro Triste, você fala de “credenciados” que estariam trabalhando apenas 6 horas por semana. Para mudar essa situação, tenha coragem de dizer quem são eles, onde estão, de quem são protegidos. Chega de fofoquinha de corredor. E assuma seu comentário, para que o nível do debate se eleve.

  25. - IP 179.216.199.142 - Responder

    José Luiz é um truculento, Se manifesta livremente na PAGINA DO E, mas tenta me impedir o Direito de me manifestar. Se comporta como um idiota e não contribui em nada com o debate que se procura criar aqui. Não quer que eu fale do Sinjusmat, como se a greve do Judiciário não dissesse respeito a todos os cidadãos deste Estado! Ponha a mão na consciência, rapaz, aprenda a viver em democracia.

  26. - IP 179.216.199.142 - Responder

    RICARDO BARSAND, que já liderou a Oposição no Sinjusmat, se manifesta contra a greve. Me parece uma posição sensata, no atual momento. Mas o Ricardo Barsand precisa intervir mais intensamente neste debate, analisar ponto por ponto a proposta que está conduzindo à greve, ajudar seus companheiros a construírem um discurso melhor articulado em favor de uma negociação menos truculenta com a nova administração, no atual momento. Mostrar como é que está o nivel de organização e mobilização dos servidores lá no Norte do Estado. Não sei como anda a saúde do Ricardo, ele que já enfrentou barras muito pesadas em termos de saúde, mas espero que ele tenha fôlego para contribuir mais neste debate. Sim, é preciso fazer do debate democrático uma prática mais constante entre os servidores do Poder Judiciário. Que o Rosenwal também venha para esta discussão pois, certamente, será a categoria dos servidores do Poder Judiciário que sairá ganhando. O pessoal do Sindojus também não pode pretender ficar atuando nas sombras, notadamente agora que ganhou reconhecimento e legitimidade diante do comando do Judiciário. Por que será que sinto que ainda existe muito medo por parte de alguns servidores de se exporem neste debate? Será que os servidores temem serem perseguidos e reprimidos pelo desembargador Perri como foram pelo des. Silvério, quando soltou aquela absurda resolução desestimulando o servidor de fazer comentários em sites da internet?

  27. - IP 201.24.171.188 - Responder

    Boa noite. Primeiramente, entendo que todos os comentários são válidos, afinal, o objetivo é esse aqui, contudo, importante é ressaltar que um Tribunal de Justiça deve CUMPRIR A LEI, e infelizmente, como nós meros servidores, podemos cumprir decisões judiciais, mandados de prisão, liminares… se o próprio Tribunal de Justiça não cumpre a lei? Todos sabem que o plano de Carreira dos servidores é uma LEI! E porque deve-se haver discussão, acordos, planejamento, se a lei está aprovada e deveria ser cumprida a partir da publicação?

    Eu sei que para muitos de fora, não servidores, é difícil ouvir reclamações de servidores dizendo que ganham pouco, que trabalham muito e etc, porque afinal, como vários dizem, porque não pedem exoneração e procuram outra coisa?

    Infelizmente, muitos não tem essa opção. Um servidor de nível médio em início de carreira no tribunal, ganha 1805 reais, mais 315 de vale alimentação. Um servidor de nível superior, ganha quase 3500 mais 315 de vale alimentação, e ao contrário dos comentários acima, não há mais nenhum outro “benefício” ou coisa do tipo. Todas as nossas remunerações são públicas, estão no site do TJ, então basta vocês acessarem..

    De fato, o que é injusto, é que infelizmente, concordando ou não, as pessoas precisam entender que os servidores do Tribunal trabalham de forma cruel, com um volume de trabalho desumano, sempre com falta de servidores, falta de estrutura, e falta de remuneração. Todos nós somos obrigados a fazer plantão, trabalhar além do horário, em finais de semana, pra não ganharmos 1 real sequer, apenas, compensatórias que nunca podemos tirar, e que nunca serão pagas.

    Ai, além de tudo isso, os benefícios que poderiam ser pagos, que neste caso são as progressões, simplesmente NÃO SÃO PAGAS.

    Então, Sr. Enock, respeito e entendo seu posicionamento, mas creio que se um dia o senhor tiver que cumprir uma decisão judicial com prazo, nenhum Juiz no Brasil irá dizer ao senhor que pode ser feito um “acordo” ou “uma reunião” pra postergar pro ano que vem…

    A LEI DEVE SER CUMPRIDA

    Nós literalmente não queremos saber qual presidente irá pagar, queremos que o presidente do Tribunal cumpra a Lei IMEDIATAMENTE, porque qual a credibilidade de um Tribunal que determina que a sociedade cumpra leis, se ele mesmo não cumpre??

    Não acho que mais uma série de negociações sejam feitas, lei não se discute.

    Segunda feira É GREVE! OU O TRIBUNAL CUMPRE A LEI, OU ENTÃO A LEI NÃO SERÁ CUMPRIDA PELOS SERVIDORES QUE EXECUTAM A JUSTIÇA NO ESTADO DE MATO GROSSO!

    • - IP 187.6.109.130 - Responder

      verdade amigo estou com voce… é greve mesmo… chega de sermos humilhados… por este povo

    • - IP 179.252.13.184 - Responder

      MUITO COERENTE O SEU COMENTARIO, PARABÉNS COLEGA

  28. - IP 201.67.19.20 - Responder

    Bom dia a Todos e Todas

    Ora senhor Lucas o servidor da Justiça de nível médio já começa com o inicial de 1.800,00 mais vale alimentação de 300,00 contos!

    Agora pense um professor ganha inicial 1.160,00 e sem vale alimentação de passe de onibus rsrsrsr! e vc está achando pouco seu salário!!!!.

    Pense na população MT que e que vai pagar essa conta “greve” não a greve! um abraço.

    • - IP 187.6.109.130 - Responder

      bom no caso de professores e de policiais e oiutros colegas isso é problema deles, então por que voce nao diz com relação aos servidores do MP, olha pau que bate em chico bate em orlando perri… aprenda a postar comentarios com isonomia, com justiça… se professor ganha mal, se servidor do MP ganha bem ??/ se nos ganhamos mal estamos lutando pelos nossos direitos, por que eles tb nao lutam…. por que eles nao fazem o governo sinval pagar o que lhes é devido?? piso salarial do professor ou coisas assim… por que os policiais nao correm atraz da pec que diz que os salarios tem que ser igual ou superior dos policiais do DF… ha cara vai te catar

  29. - IP 177.64.224.170 - Responder

    pelo que entendi, eu que sou só uma leitora atenta da pagina do enock, de tudo que li, pintou um conchavo brabo do presidente do sindicato, rosenval, com o desembargador rubens, que era o presidente anterior e a maioria dos servidores não está querendo falar disso a serio. medo de que? esse rubens é muito bravo? esse rosenval é algum tipo de santo?

  30. - IP 201.67.19.20 - Responder

    Caro colega williann

    Acho que vc nao entendeu, a isonomia que o senhor citou, porque vcs nao ganham como professor? vcs são melhores que eles? acho que o ilustre presidente TJ tem que fazer a isonomia com os salarios professores e policiais não acha? se essas categorias conseguem viver com 1.200,00 porque não os servidores do judiciário?

    Ao meu humilde ponto de vista, em vez de o sindicato fazer “politica” tem que solicitar reciclagem para os servidores judiciário, como “atendimento de qualidade”.

    Um abraço e fique em paz!

    • - IP 179.252.13.184 - Responder

      FAZ ESSAS COMPARAÇOES SALARIAIS COM OS JUIZES E DESEMBARGADORES, AFINAL ESTAMOS FALANDO DE JUDICIARIO E NÃO DE OUTRAS CLASSES. ABRAÇO

  31. - IP 187.6.48.226 - Responder

    Senhores sevidores, saiu hoje uma portaria n. 002/2013 CRH, no DJE 9047, p 40 concecedendo prazo até dia 17/05/2013 para os servidores apresentarem documentos para progressão horizontal “observados os critérios de lançamento nos campos específicos” na página do servidor: “O servidor que não realizar o cadastramento dos cursos no prazo estabelecido será AUTOMATICAMENTE EXCLUÍDO do processo de concessão da progressão horizontal”. Prazo até dia 17/05/2013. OS DOCUMENTOS JÁ MANDAMOS, SÓ FALTA PAGAR, FAZ HORAS. A LEI TEM QUE SER CUMPRIDA! CHEGA DE PORTARIA E DE “NEGOCIAÇÃO”. GREVE!!

    • - IP 187.7.192.170 - Responder

      É verdade colega..o que eu ja gastei de cópias e requerimentos, encaminhando ao TJ diploma, cursos, vc nem imagina….mais em fim, vamos encaminhar mais uma vez….

  32. - IP 189.11.200.145 - Responder

    Ué pessoal, se não estiverem contente com o Rosenval, vcs tem a prerrogativa de tira-lo do trono, oque eu acho que já demorou!

    • - IP 179.252.13.184 - Responder

      COMENTARIO MUITO SENSATO, EU JA ABANDONEI ESSE BARCO E OLHA QUE OS OFICIAIS JA FIZERAM A MESMA COISA, É A CLASSE DELE!!

  33. - IP 201.24.171.188 - Responder

    Entendo sim os comentários dos nobres colegas acima, mas que fique bem claro uma coisa, os servidores do judiciário não estão buscando aumento de salários, e sim, direitos já adquiridos, que são a progressão nas carreiras pelo trabalho desenvolvido por alguns critérios específicos. Infelizmente, a desigualdade salarial no Brasil é clara, contudo, cada um estudou e escolheu os caminhos que quis conquistar. Se eu fiz um concurso para trabalhar no Judiciário, então sabia exatamente o que queria. Quem fez um concurso para Professor Estadual, sabia também dos prós e contras. Então, não acho justo dizer que há diferenças, quando na verdade, isso é questão de escolha, e de opção. Se for assim, um servidor federal ganha absurdamente mais do que os servidores estaduais e municipais, mas, ele estudou e se esforçou pra isso, e se eu quero perceber remunerações mais altas que a minha, devo lutar por isso.

    Contudo, as reivindicações de nós, servidores do judiciário, são baseadas em LEI, e não são apenas meras reclamações, SÃO DIREITOS ADQUIRIDOS E NÃO CUMPRIDOS!

    Acredito que o Tribunal não aguentará o prejuízo causado por mais uma greve, e encontrará uma forma de cumprir a lei dentro dos limites orçamentários.

    • - IP 187.7.192.170 - Responder

      Concordo com seu comentário….Cuprir a lei simplesmente…

  34. - IP 200.101.39.115 - Responder

    Percebe-se que a maioria dos comentários dos “ditos servidores” foram postados no período que deveriam estar trabalhando – meia dia às 19:00 hs. Lugar de serviço é tão somente para trabalhar, usar a internet exclusivamente para entrar no APOLO, um absurdo. É por isso que demoram “anos” para juntar uma petição no processo e fazer carga para o Juíz despachar, fico puto com um trem desse, a justiça não é lenta à toa.

  35. - IP 187.5.109.196 - Responder

    Prezado ENOCK. É com muita tristeza e preocupação que vejo esta situação, pois UM SINDICALISTA que repetitivamente conduz os servidores a greves e mais greves e o resultado de todas é um só. Basta ele conseguir algum beneficio próprio pra eles e seus parceiros, A GREVE ACABA e acaba de forma desastrosa pra todos os servidores. Pergunto? fez um MALVADO ACORDO COM A ADMINISTRAÇÃO PASSADA, NO QUAL PERVESAMENTE PROIBIU TODOS OS SERVIDORES DE LUTAREM POR SEUS DIREITOS E EM ULTIMO CASO ENTRAREM EM GREVE. VENCEU O PRAZO DO ACORDO E NÃO COBROU A EXECUÇÃO DO MESMO E APÓS QUASE 05 MESES É QUE VEM COM A CARA DE PAU CONDUZINDO O PESSOAL PRA GRAVE SEM NENHUM RESPALDO E QUERENDO TRANSMITIR PRA SOCIEDADE MATOGROSSENSE QUEW TEM RAZÃO. ENFIM ESPERO QUE DESSA VEZ ELE SIRVA PRA SEUS ALIADOS PELO MENOS UM PICOLÉ DA KIBOM. É O MINIMO QUE PODE SER FEITO POR UM SINDICATO QUE ARRECADA MUITO E MUITO.

  36. - IP 179.102.189.188 - Responder

    Muito me preocupa toda esta discussão a respeito de ser justa ou injusta a greve dos servidores do Judiciário. Não posso dizer com exatidão mas ao que me consta foram feitas reuniões em Comarcas polos antes de começar a greve, e mais ainda me parece que esta greve é tão somente uma continuação do que foi decidido a muito tempo, quando então os representantes dos servidores assinaram um termo onde se comprometeram em não entrar em greve até dez/2012, e o TJMT se comprometeu em cumprir com as reivindicações dos servidores. Pois bem, parece que o único lado que cumpriu o acordo foi o lado dos servidores. Sei da seriedade do Presidente Orlando, acredito sinceramente que ele vai olhar com justiça para os servidores e entender que não só temos direito como também merecemos tudo o que está sendo pedido. Ser justa ou injusta a greve não é o ponto a ser discutido. O que deve ser discutido são nossas reivindicações. Outra coisa que me deixa enquanto servidora, profundamente triste é ver que a OAB, não nos apoia nunca, parece que somos todos bandidos, enquanto somos nós, senhor presidente da ordem, que nos dedicamos mais de 06 horas diárias em cima dos processos, somos nós que perdemos o dia das mães em plantões, somos nós que nunca sabemos o que sair do trabalho antes do sol se por, para bem atender os advogados e seus clientes. E sabe o que nós recebemos por isso??? Eu lhe respondo, NADA, porque consta das regras do TJMT que temos direito a compensatórias, sim temos, porém quando vamos gozá-las, se nunca temos servidores suficientes e se nossas compensatórias são deixadas em pastas para quando for possível tirá-las. E isso significa nunca ou quase nunca. Sem contar se ficarmos doente, nosso vale-coxinha é cortado, ou seja, se você está doente não precisa comer. E não precisamos delirar muito, ou sonhar que um dia teremos nossos proventos igualados aos da Justiça Federal, lamentarmos a desigualdade entre servidores estaduais e federais, basta olhar que o auxilio alimentação dos servidores do Ministério Público Estadual é de R$- 1.100,00 (MIL E CEM) enquanto o nosso auxílio é de R$- 315,00(TREZENTOS E QUINZE REAIS). Será que a nossa greve é injusta?? Precisamos rever os conceitos de justiça. A minha Comarca nunca entrou em greve, porque sempre pensamos que os jurisdicionados sofreriam com isso, porém, passaram-se 10 anos e as coisas estão iguais, então por unanimidade aderimos a greve. Confio no bom senso do presidente do Tribunal, não confio no presidente do SINJUSMAT porque já nos traiu muitas vezes, mas no DR. Orlando Perri eu acredito e sei que ele vai nos ouvir e nos atender, contamos com isso.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

14 − dez =