Campanha Coronavirus

SAÚDE É O QUE INTERESSA: Vereador Allan Kardec insiste na importância de Cuiabá aderir ao Programa Mais Médicos. Kleber Lima, secretário de Governo, anuncia que questão passará por nova análise do secretário de Saúde Ary Souza Jr

Allan Kardec volta a lembrar que Cuiabá é a única capital brasileira que não aderiu ao Programa Mais Médicos, criado pela presidenta Dilma para garantir atendimento às comunidades carentes das periferias brasileiras

Allan Kardec volta a lembrar que Cuiabá é a única capital brasileira que não aderiu ao Programa Mais Médicos, criado pela presidenta Dilma para garantir atendimento às comunidades carentes das periferias brasileiras

 

Petista cobra adesão de Cuiabá ao “Mais Médicos”; prefeitura rebate

Jacques Gosch
RD NEWS

O vereador Allan Kardec (PT) cobra desde 2013 a adesão de Cuiabá ao programa Mais Médicos do governo federal. Segundo o petista, a Capital está entre os 44 municípios mato-grossenses considerados mais vulneráveis na questão da saúde e precisa de medidas concretas para ajudar a reduzir a falta de profissionais nas unidades.

Nesta etapa, 1,5 mil municípios brasileiros terão nova oportunidade de receberem profissionais do Mais Médicos. Em Mato Grosso, são 44 cidades aptas a participarem do programa, incluindo Cuiabá. A Capital atende pacientes de todo o Estado no pronto-socorro e demais unidades de saúde. Os prefeitos têm até o próximo dia 29 para solicitarem vagas.

Para Kardec, não existe justificativa plausível para Cuiabá ainda não ter aderido ao programa Mais Médicos. O vereador ainda lembra que a gestão Mauro Mendes (PSB) já entrou no terceiro ano e a secretaria municipal de Saúde é comandada pelo terceiro secretário. Apesar disso, Kardec pontua não houve melhorias significativas na pasta e as reclamações dos pacientes são constantes. Entre os problemas relatados pelo petista está a falta de médicos nas policlínicas, postos de saúde da família, na Upa Morada do Ouro e no pronto-socorro.

O secretário de Governo de Cuiabá, Kleber Lima, por sua vez, afirma que o Executivo decidiu não aderir ao Mais Médicos em julho de 2013 porque o programa oferece profissionais para atenção básica enquanto o município enfrentava problemas com falta de especialistas que atuam na medicina de média e alta complexidade. Além disso, lembra que a resistência das entidades representativas da classe e o número limitado de profissionais disponivéis também balizaram a decisão tomada na época. “Agora, a adesão não está descartada. Depende da avaliação do secretário de Saúde Ary Sousa Júnior e da equipe técnica da pasta de Saúde”, explica.

Expansão

Ao anunciar a expansão do programa, o Ministério da Saúde explicou que o objetivo é assegurar profissionais em municípios com dificuldade de contratação na atenção básica. O novo edital abre uma nova oportunidade para 1,5 mil prefeituras e garante a incorporação de 100% das vagas do Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica (Provab). A seleção, que foi aberta nessa sexta (16), integra 424 cidades que ainda não participam do Mais Médicos. Municípios e médicos terão até os dias 28 e 29 de janeiro, respectivamente, para confirmar sua participação e efetuar a inscrição no sistema do programa (http://maismedicos.saude.gov.br/).

Balanço

Desde a criação em 2013, 14.462 mil médicos passaram a atender a população de 3.785 mil municípios, o equivalente a 68% dos municípios do país e os 34 Distritos Sanitários Indígenas. Cerca de 50 milhões de brasileiros são beneficiados. (Com informações do Ministério da Saúde)

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

3 + um =