Rosenwal perdeu a primeira. Sinjusmat será renovado?

Rosenwal Rodrigues, sindicalista e ilusionista. Ele  tentou inovar no sindicalismo de Mato Grosso, convocando "assembleia oculta", só para os seus apaniguados. Mas o alerta da PAGINA DO E pode ter gerado o começo de uma reação que pode levar à renovação do comando daquele sindicato

Rosenwal Rodrigues, sindicalista e atual presidente do Sinjusmat. Ele tentou inovar no sindicalismo de Mato Grosso, convocando “assembleia oculta”, só para os seus apaniguados. Mas o alerta da PAGINA DO E parece ter gerado o começo de uma reação que pode levar à renovação do comando daquele sindicato

Após a revelação desta PAGINA DO E de que o sindicalista Rosenwal Rodrigues convocara “Assembleia Geral oculta” para eleição dos membros da Comissão Eleitoral do processo de renovação da diretoria do Sinjusmat – Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário de Mato Grosso, aparentemente rompeu-se o roteiro de desmobilização que havia sido traçado pelos atuais dirigentes da entidade.

Duas chapas foram formadas para compor a Comissão Eleitoral. A chapa proposta pelo grupo comandado por Rosenwal ficou com 27 votos, enquanto a chapa alternativa, surgida da mobilização dos setores que se esforçam para construir uma oposição à atual diretoria, conquistou 44 votos, quase o dobro, portanto.

A função da Comissão Eleitoral, eleita nesta data de 18/9/2015, está previsto no Estatuto do Sinjusmat:

“Art. 63 – O processo eleitoral será presidido por uma Comissão composta de 03 (três) membros filiados ao Sinjusmat, de notória idoneidade, eleitos por seus pares quando da realização da Assembléia Geral Eleitoral, nos termos do art. 17. Parágrafo primeiro- junto à Comissão Eleitoral serão indicados três suplentes. (…)
Art. 65 – Compete à Comissão Eleitoral:
a) publicar edital de convocação das eleições;
b) tomar providências que julgar convenientes à execução do processo eleitoral;
c) organizar e remeter às mesas coletoras as cédulas eleitorais padronizadas e os modelos de atas, bem como expedir orientações sobre a eleição;
d) praticar os atos relativos à mesa apuradora;
e) julgar os recursos interpostos pelas chapas;
f) proclamar o resultado das eleições;
g) dar posse à diretoria eleita”.

A Comissão Eleitoral eleita ficou assim constituída,evidentemente sujeita, no prazo regulamentar,  às impugnações também previstas no estatuto:

Presidente: Servidora Maísa Izabel Saddi Ornellas de Almeida;
Vice-Presidente: Servidora Jusciara Jesuína de Jesus;
Secretária: Servidora Marilza Santos Lopes;
Suplentes: Servidores Ricardo Nogueira de Souza; Bernardina Pereira Tocantins e Heitor Roberto de Arruda Siqueira.
Em dezembro/2015, as chapas que vierem a ser inscritas concorrerão para compor a diretoria e ao conselho fiscal do Sinjusmat. Os eleitos conduzirão a política sindical dos servidores do Poder Judiciário Estadual pelos próximos quatro anos, no período de 2016 a 2020.

 

—-

ENTENDA O CASO:

http://paginadoenock.com.br/rosenwal-convoca-assembleia-oculta-para-definir-comissao-eleitoral-para-renovacao-do-comando-do-sinjusmat-por-que-uma-assembleia-oculta-fica-evidente-o-desejo-do-rosenwal-de-dar-um-passa-m/

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 200.129.246.38 - Responder

    COMO SEMPRE, JUNTO COM A GALERA, FAZENDO TUDO ESCONDIDO, QUIETINHO COMO ELE SEMPRE FAZ, NA SURDINA, QUE NEM QUANDO SE ……………………………………………………………………BA.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

oito + quinze =