ROBERTO BOAVENTURA: O estudante reprova em alguma disciplina na UFMT, vai a uma privada qualquer e volta com o papel – de “aprovado” – na mão. Depois – “mui respeitosamente” –, solicita ao Colegiado na UFMT aproveitamento daquilo. E há quem aceite!

De acordo com o professor Roberto Boaventura, da Faculdade de Letras, alunos medíocres estão aplicando golpes em docentes da UFMT para conseguiram aprovação mesmo com baixo desempenho nas matérias

 

Parafraseando um articulista da Folha de S. Paulo, nossos problemas são como retirar lenço de papel das caixinhas. Você puxa um, mas vêm vários…

Por conta do que expus em “Conluio dos medíocres” (04/04), ou seja, do aproveitamento de “estudos” de disciplinas cursadas – on line – em instituições privadas – simultaneamente com matrícula na UFMT –, solicitei uma reunião com a Magnífica Reitora.

Por respeito aos meus pares do Colegiado do Curso de Letras, convidei-os para o encontro, ocorrido em 05/04. Uma colega se fez presente.

De sua parte, a Reitora convocou a Pró-Reitora de Ensino de Graduação (Proeg) e um servidor administrativo.

Sem delongas, a Magnífica disse que minhas preocupações eram semelhantes as suas. Disse que a PROEG já estava elaborando uma “normativa” para compatibilizar um conjunto de leis existente sobre a matéria.

Ótimo, pois, ao que tudo indica, há outros colegiados referendando aproveitamentos semelhantes.

Entrementes, fui reler o Título VIII, da Resolução 14, de 1º de fevereiro de 1999, que trata dessa questão.

Por incrível que pareça, o Art. 84 – o primeiro do referido título – apresenta boa redação, não oferecendo margem para erros de interpretação.

Eis o artigo: “O aproveitamento de estudos será concedido por disciplinas, pelo Colegiado de Curso pertinente, quando se tratar de Processo para ingresso de portadores de diploma de Curso Superior, transferência de outra instituição de Ensino Superior, transferência interna e transferência de regime, e no caso de transferência de curso, via novo Vestibular (grifos meus), obedecida as normas previstas neste regulamento”.

Um tipo de zeugma existente na construção acima – “de Processo para” – não dá abertura a ambiguidades. Logo, aproveitar estudos simultâneos de disciplinas do mesmo curso, em instituições diferentes, parece ser erro grosseiro para qualquer professor.

Diante disso, queria entender como alguém aceita aproveitamentos de disciplinas cursadas simultaneamente em outras instituições, algumas – repito – on line, sem a menor credibilidade, ainda que aprovadas pelo MEC. Com que amparo legal isso é feito?

Aceitar tais solicitações instiga-me a duas perguntas:

1ª) há colegas que não dominam adequadamente a língua portuguesa?;

2ª) há colegas na Federal com mentalidade de agente privado?

Até aqui, tratei de um golpe explícito, ou seja, de alunos medíocres da UFMT que engabelam docentes de colegiados de cursos, solicitando aproveitamento de “estudo” de disciplinas cursadas a distância. Contudo, há outro golpe, mas bem mais sofisticado.

Esse outro golpe vem igualmente de acadêmicos medíocres que ludibriam professores.

Trata-se de aproveitamentos de “estudos” de disciplinas cursadas em regime presencial – mas também simultaneamente com matrícula na Federal – em faculdades e universidades privadas; e não se refere à mobilidade acadêmica, o que seria legal.

Explico: o estudante reprova em alguma disciplina na UFMT, vai a uma privada qualquer e volta com o papel – de “aprovado” – na mão. Depois – “mui respeitosamente” –, solicita ao Colegiado na UFMT aproveitamento daquilo.

E há quem aceite!

Isso é chute na cara de docentes e discentes que ainda não abandonaram o rigor acadêmico na Federal.

Agora, entendo melhor alguns dos motivos pelos quais muitos foram se afastando do sindicato, que luta pela qualidade do ensino. Essa luta contraria interesses e práticas de muita gente dentro das próprias federais.

Espero que a UFMT faça revisão de todos os processos indevidamente aprovados.

É o mínimo.

ROBERTO BOAVENTURA DA SILVA SÁ é professor de Literatura na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

Categorias:Cidadania

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 187.4.68.176 - Responder

    SO FALTOU DIZER O NOME…
    APOSTO QUE A MAIORIA VEM DA UNIC…

Deixe uma resposta para CARLÃO    ( cancelar resposta )

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quatro × cinco =