CPI DOS MAQUINÁRIOS: Depois do promotor Gilberto Gomes, conselheiro Valter Albano, do Tribunal de Contas, respalda licitação de máquinas que Mauro Mendes contratou com Wanderley da Trimec. Toninho de Souza parece que também jogou a toalha e diz a Abdalla Zarur que CPI para investigar possível favorecimento de Mauro à Trimec está arquivada. Leia voto de Albano e parecer do promotor.

Valter Albano diz que licitação de maquinários feita por Mauro Mendes foi legal by Enock Cavalcanti

O conselheiro Valter Albano, o prefeito Mauro Mendes, o empresário Wanderley da Trimec, o vereador Toninho de Souza e o promotor de Justiça Gilberto Gomes: as investigações que unificaram setores de Oposição em Cuiabá, em torno de possíveis irregularidades na locação de maquinário para a Prefeitura, parece que deu chabu.

O conselheiro Valter Albano, o prefeito Mauro Mendes, o empresário Wanderley da Trimec, o vereador Toninho de Souza e o promotor de Justiça Gilberto Gomes: as investigações que unificaram setores de Oposição em Cuiabá, em torno de possíveis irregularidades na locação de maquinário para a Prefeitura, parece que deu chabu.

A semana começa com a Prefeitura de Cuiabá distribuindo a informação de que o Tribunal de Contas de Mato Grosso, através do conselheiro Valter Albano, se somou ao Ministério Público, representado pelo promotor Gilberto Gomes, confirmando a legalidade dos procedimentos adotados pela administração do prefeito Mauro Mendes para alugar os maquinários que estão sendo utilizados na execucação do Programa Poeira Zero (agora rebatizado como Novos Caminhos).

Em seu relatório preliminar, o conselheiro Valter Albano chegou a uma conclusão que deve ter soado como música para os ouvidos de Mauro Mendes e Wanderley da Trimec: “Não foi constatado conflito de interesse decorrente de relação comercial, uma vez que não há vedação legal de participação interessado em certame promovido pela administração pública que seja sócio, em outra empresa, de representante da administração licitante”. (Confira no destaque)

O período parece que é de vacas gordas para o empresário-prefeito e seu sócio, o Wanderley da Trimec. É que mesmo o vereador Toninho de Souza, um dos proponentes da CPI dos Maquinários, conversando com o reporter Abdalla Zarour reconheceu que dificilmente as investigações no Legislativo com relação ao contrato de aluguel de máquinas serão levadas adiante.

De acordo com Toninho de Souza, quando o vereador Leonardo Oliveira (PTB), líder do prefeito, entrou na justiça alegando que a composição da CPI seria formada apenas por vereadores de oposição a Mauro Mendes, a direção da Casa teve um prazo para formatar uma nova composição ou entrar com recurso contra a decisão da justiça. “A direção não entrou com recurso e nem foi feito uma nova composição, com isso, a CPI foi enterrada”, disse Toninho.

Toninho de Souza, no encontro com Abdalla Zarour, parecia estar com seu impeto investigatório aplacado pois nem recorreu ao velho esperneio de explicitar o bordão de que “o que é legal, nem sempre é moral”. Aparentemente, é mais um opositor de Mauro Mendes que, ao estilo de Antero Paes de Barros, está jogando a toalha e reconhecendo a vitória de seu oponente.

Promotor Gilberto Gomes arquiva pedido de investigação contra Mauro Mendes by Enock Cavalcanti

————————-
CONFIRA AS DECLARAÇÕES DO VEREADOR DE OPOSIÇÃO TONINHO DE SOUZA

TCE diz que não há irregularidades em licitação entre prefeitura e Trimec

Após o MPE arquivar denúncia, TCE diz que procedimento foi legal

Abdalla Zarour
MATO GROSSO NOTICIAS

Após o Ministério Público do Estado (MPE) arquivar a denúncia de irregularidades no processo de licitação de máquinas pesadas entra a prefeitura de Cuiabá e a Trimec, no valor de mais de R$ 9, 5 milhões.

O Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE) confirmou a legalidade dos procedimentos do pregão presencial para registro de preço 11/2013, realizado pela prefeitura de Cuiabá no primeiro semestre deste ano para a locação de máquinas para a execução do programa Novos Caminhos

A conclusão do TCE/MT consta do Relatório Técnico Preliminar da auditoria realizada pela Secretaria de Controle Externo (Secex) da Segunda Relatoria do TCE, vinculada ao conselheiro Valter Albano, relator das contas do município de Cuiabá relativa a 2013.

A auditoria foi solicitada pelo prefeito Mauro Mendes em 18 de junho passado, e reiterada em 22 de agosto, depois que setores da imprensa e Câmara de Vereadores passaram a questionar a legalidade da licitação. A mesma auditoria também analisou denúncia anônima encaminhada ao TCE relatando diversas supostas irregularidades, todas consideradas improcedentes.

O resultado da auditoria foi comunicado ao prefeito Mauro Mendes no último dia 9 pelo presidente do TCE, conselheiro José Carlos Novelli.

Entre outros apontamentos, a auditoria reconheceu a necessidade de contratação dos equipamentos, e que nenhuma das 11 empresas credenciadas no certame possuía impedimento de participar de licitações, inclusive as cinco vencedoras dos 19 lotes ofertados, e que não houve conflito de interesse nem direcionamento ou favorecimento a nenhuma das empresas que participaram.

“Não houve sobrepreço do objeto adjudicado, pelo contrário, a administração obteve êxito com ofertas bastante vantajosas”, diz trecho do resumo do relatório técnico assinado pelo conselheiro Valter Albano.

Os auditores do TCE reconheceram não apenas a economia verificada na contratação em relação aos preços de referência do edital – de mais de 30% em média -, mas também a economia obtida pelo município de Cuiabá na comparação com licitações semelhantes realizadas em cidades de outros seis estados do país.

A prefeitura de Cuiabá conseguiu um desconto de 58,97%, por exemplo, na contratação de locação de pá-carregadeira numa comparação com os valores médios praticados pelas cidades de Araguaína (TO), Alcobaça (BA), São João do Triunfo (PR), Palmas (TO), Sabará (MG) e Ariquemes (RO).

Na comparação feita pelo TCE com as licitações desta seis cidades com a de Cuiabá, o menor desconto obtido pela capital de Mato Grosso foi de 11,02% – na locação de rolo vibratório -, e a média é de 35,54% em 16 lotes comparados.

O relatório preliminar ainda será submetido ao plenário do TCE e depois será encaminhado para publicação do acórdão. (com assessoria)

CPI na Câmara de Cuiabá

Uma CPI chegou a ser criada na Câmara de Vereadores da Capital para investigar uma possível ligação entre Mauro Mendes (PSB) e o dono da empresa, Wanderley Torres, que segundo as denúncias, seria sócio do prefeito e que por isso, o certame teria direcionamento.

O vereador Toninho de Souza (PSD), que seria do presidente da CPI dos Maquinários, disse que a Comissão Parlamentar de Inquérito da Câmara de Cuiabá que poderia investigar a licitação entre a prefeitura da Capital e a empresa Trimec não existe mais.

Segundo ele, quando o vereador Leonardo Oliveira (PTB), líder do prefeito, entrou na justiça alegando que a composição da CPI seria formada apenas por vereadores de oposição a Mauro Mendes, a direção da Casa teve um prazo para formatar uma nova composição ou entrar com recurso contra a decisão da justiça. “A direção não entrou com recurso e nem foi feito uma nova composição, com isso, a CPI foi enterrada”, disse o parlamentar.

Toninho disse que, após tomar conhecimento da nova decisão do Tribunal de Contas de que não há irregularidades no processo de licitação, a saída é aceitar o resultado do TCE/MT e do Ministério Público do Estado.

Categorias:Jogo do Poder

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.59.69.195 - Responder

    Se uma entidade seríssima como o Tribunal de Contas de Mato Grosso disse que está tudo certo, um abraço: Mauro Mendes fica praticamente no nível da Madre Tereza de Calcutá. Ninguém mais pode suspeitar de que ele seja o prefeito mais honesto que já passou pela prefeitura. Tanto quanto Anildo Lima, Frederico Campos, Roberto França Auau, o Galinho e o Galindo. Ou seja, Cuiabá é uma cidade feliz, felicíssima em matéria de chefes do executivo.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

1 × quatro =