Racha na Academia Mato-grossense de Letras. Depois da eleição da nova diretoria, “imortais” estão saindo no pau

Meus amigos, meus inimigos: pintou um clima de guerra dentro da Academia Mato-grossense de Letras. Felizmente, é uma guerra literária. O confronto é resultado da recente eleição para a escolha da nova diretoria da Casa Barão, que consagrou a chapa capitaneada pela jornalista e empresária Sueli Batista, que contou com apoio do atual presidente, o historiador Sebastião Carlos. Essa foi uma das raras vezes em que houve disputa pelo comando da vetusta AML. Contra Sueli Batista, concorreu a chapa capitaneada pela professora aposentada do IFMT, Cristina Campos, que contou com apoio do advogado Eduardo Mahon, ex-presidente da Academia, e que atuou como o grande marqueteiro da campanha dissidente, caprichando na provocação. Criativo como ele só, Mahon resolveu transformar a eleição … Continue lendo Racha na Academia Mato-grossense de Letras. Depois da eleição da nova diretoria, “imortais” estão saindo no pau