PSD de Riva pode se fundir com PSB de Valtenir

Será que as bases socialistas, em Mato Grosso, estão sabendo – ou essas coisas só são colocadas para a análise dos caciques? Se PSD perder o direito ao tempo de tevê e ao fundo partidário, o prefeito de São Paulo, Kassab, defende uma fusão do partido com o PSB, de Eduardo Campos; seria formada assim a terceira bancada do Congresso, com 76 deputados e quatro senadores; articulação tornaria inviável aliança do PSB com Haddad, em SP. Confira o que divulga o site Brasil 247 (EC)

O plano B de Kassab
Brasil 247

Nos próximos dias, a Justiça Eleitoral definirá se o PSD, partido criado pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, terá direito aos recursos do fundo partidário e ao tempo de televisão nas eleições municipais de 2012. Sem esses dois ativos, o PSB corre o risco de sofrer uma debandada e ver seu balão ser esvaziado tão rápido como subiu.

Kassab não conta com a derrota, fala até num placar de seis votos a um na Justiça Eleitoral, mas o fato é que já tem um plano B. Caso o TSE entenda que o partido não tem direito ao tempo de tevê e ao fundo partidário, o PSD irá se fundir com o PSB, presidido pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos. Assim nasceria a terceira maior bancada do Congresso Nacional com 76 deputados (47 do PSD e 29 do PSB) e quatro senadores (dois de cada partido), capaz de rivalizar com PT e PMDB.  A informação sobre a fusão consta da coluna do jornalista Luiz Carlos Azedo, do Correio Braziliense.

Kassab e Campos já se encontraram várias vezes nos últimos meses e deixaram claro que atuarão juntos no plano nacional. O prefeito sonha até com uma candidatura presidencial do governador pernambucano em 2014. Nesse contexto, a eventual fusão praticamente inviabilizaria a tentativa do PT de atrair o PSB de São Paulo para a órbita da candidatura de Fernando Haddad.

Liderado pelo deputado estadual Márcio França, o PSB tem secretarias no governo de Geraldo Alckmin e na própria prefeitura de Kassab. França já deixou claro que pretende apoiar o candidato tucano José Serra, que tem 31% no Ibope, contra 3% de Haddad. O mau desempenho nas pesquisas até agora é outro fator que tem fragilizado as potenciais alianças de Haddad.

Categorias:Jogo do Poder

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 201.22.173.115 - Responder

    No Brasil tudo é possível, poucos políticos entendem e respeitam a diferença entre socialistas e capitalistas do mal. Dai eu não me surpreender com tal aliança.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

3 × 2 =