Ponto para o advogado Paulo Taques. Secretário chefe da Casa Civil conseguiu dar uma qualificada no diálogo entre o Governo do Estado e os militares da PM e do Corpo de Bombeiros. Lideranças da Assof, da Assoade, da ACS puderam falar, sentar naquelas poltronas confortáveis que existem lá no Paiaguas, beber cafezinho e guaranazinho que rola com fartura naquele ambiente governado por Zé Pedro Taques, mas o mais importante: conversaram com um secretário que demonstrou boa vontade para com eles. Mas é entranho que o Gcom não tenha distríbuido fotos e reportagem sobre esse encontro. Jean Campos tá querendo livrar a cara do Mauro Zaque?

Paulo Taques, advogado e secretário da Casa Civil

Paulo Taques, advogado e secretário da Casa Civil

 

Bem, o secretário Paulo Taques assinou os Decreto da Fome I e II, que tanto revoltaram os servidores militares de Mato Grosso. Mas nessa quarta-feira ele cresce no conceito desses mesmos servidores quando assume uma negociação franca e aberta com as Associações representativas da categoria, que o secretário de Segurança Pública, Mauro Zaque, não fora capaz de conduzir a contento.

Depois da manifestação da nossa soldadesca, na tarde desta quarta-feira, quando marcharam da Praça da Bandeira até a sede do Governo do Estado, a negociação aconteceu em ambiente de maior tranquilidade, no gabinete do secretário Paulo Taques.

Digamos assim, foi um momento de civilidade.

Dirigentes das associações dos militares, na ante-sala do gabinete de Paulo Taques, às 11h30 desta manhã de 29 de outubro

Dirigentes das associações dos militares, na ante-sala do gabinete de Paulo Taques, às 11h30 desta manhã de 29 de outubro

Lideranças da Assof, da Assoade, da ACS puderam falar, sentar naquelas poltronas confortáveis que existem lá no Paiaguás, curtir o ar condicionado na temperatura perfeita, beber o cafezinho  e o guaranazinho que rola com fartura naquele ambiente governado por Zé Pedro Taques, mas o mais importante: conversaram com um secretário que demonstrou boa vontade para com eles.  Um Paulo Taques bem mais atento do que o Paulo Taques que assinou o Decreto da Fome que ele agora mandou invalidar. Não sei se ele disse diante dos policiais: “Eu errei” – mas se não disse deveria ter dito.

Vejam que, fazendo uma espécie de autocritica pública, o secretário Paulo Taques, determinou a revogação do Decreto 305, de 24 de outubro de 2015, o tal “Decreto da Fome II”. E disse que vai defender o seguinte: se existe uma comissão que está discutindo, no âmbito do governo, o valor a ser pago de auxilio alimentação para PMs e Bombeiros, as três associações representativas da categoria tem que fazer parte desta comissão.

Uma atitude ponderada, inteligente. Coisa que se viu pouco, até aqui da parte do secretário Mauro Zaque, pelo que relatam os servidores militares.

Importante dizer que a Assoade, a ACS e a Assof deixaram claro que o que a categoria quer é um vale alimentação, ou que nome tenha, no valor mínimo de R$ 400 e que seja pago a todos os agentes da PM e do CB, e não só para aqueles que cumprem jornadas de 12 horas. E que esse dinheiro vá direto para a conta de cada servidor militar, sem qualquer tipo de intermediação. Ponto.

Sem maiores estresses, a negociação vai prosseguir depois desse feriadão de Finadas.

Ponto para o secretário Paulo Taques.

Foi uma reunião importante e eu fiquei esperando por uma bela matéria sobre o encontro. Só que, até agora, 8 horas da noite, não encontrei nada no saite da Secom.

Não é entranho que o Gcom não tenha distribuído fotos e reportagem sobre esse encontro? Será que o jornalista Jean Campos tá querendo livrar a cara do Mauro Zaque cuja falta de tato, na comparação com Paulo Taques, fica tão evidente?
Bem, desse jogo palaciano eu não entendo muito.

Só posso dizer que mais uma vez os jornais amigos e os jornalistas amestrados saem mal deste episódio, pois fugiram da notícia, escondem o fato como se existisse para propagar apenas os interesses dos atuais detentores do poder.

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dezenove + cinco =