Na Assembléia, deputados servis garantem todo poder a Riva

Para alegrar o poderoso chefão Riva, nesta quarta-feira tão ditosa, só falta mesmo o juiz Julier Sebastião da Silva proclamar que o VLT, imposto por Riva, vai continuar sendo o modal vigente em Cuiabá - custe o que custar!

Meus amigos, meus inimigos: em uma Assembléia Legislativa em que impera a subserviência política, expressa no comportamento de deputados como Alexandre César, Percival Muniz, Ademir Brunetto, Romualdo Jr, Walter Rabello e outros que tais, só poderia acontecer uma coisa dessas: José Geraldo Riva, o deputado mais processado por corrupção neste Brasil varonil, acaba de ganhar o direito de se reeleger presidente da Assembléia Legislativa, sempre que achar necessário.

Que adianta o desembargador Rui Ramos dizer que não devemos nos comportar como uma republiqueta, se nós temos uma Assembléia que se comporta dessa forma, sempre nivelando a atividade parlamentar pelo seu nível mais rasteiro?!

Na Assembléia de Mato Grosso, o poderoso chefão Geraldo Riva faz o que bem quer. Ele conta com 23 deputados, das mais diversas legendas, sempre a seu serviço. Os que, às vezes, não votam com ele, como Luciane Bezerra e  ZecaViana, se calam quando o assunto é Riva. E o jornalista Eduardo Gomes, em sua revista “MTAqui”,  já revelou que “a ultima cartada” de Riva, já que tudo indica que não poderá mais disputar uma eleição, tendo em vista as condenações que já mereceu no Tribunal Regional Eleitoral e também no Tribunal de Justiça, é tentar encerrar sua carreira como governador de Mato Grosso.

A trama se desenvolveria assim: no inicio de 2014, Silval Barbosa deve se afastar do governo para se candidatar a uma vaga de deputado federal (Silval dificilmente se elegeria senador, não tem estofo para isso). Chico Daltro, o vice-governador, que é homem de Riva, e que deveria assumir a governadoria, deve ser indicado para mais um cargo de conselheiro vitalício, ao lado daquele monte de outros conselheiros vitalícios que já atuam lá no Tribunal de Contas do Estado, ganhando gordos salários às custas do dinheiro público. Pronto. Riva, mantido no cargo de presidente da Assembléia, graças a este acerto operado nesta quarta-feira, 15 de agosto de 2012, se credenciará, então, a governar Mato Grosso por pelo menos uns sete meses, até 31 de janeiro de 2013, quando assumirá o novo governador livremente eleito pelo nosso povo.

Se você pensava que já viu de tudo em Mato Grosso, fique atento. O poderoso chefão Geraldo Riva, que parece controlar a tudo e todos neste Estado, tem sempre uma surpresa no bolsinho do paletó.

Para atrapalhar este roteiro de horror, só mesmo uma decisão judicial exarada pelos dignos desembargadores do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, onde diversos processos contra Riva, impetrados pelos comandados do corajoso promotor Célio Fúrio, aguardam por seu julgamento final. Sim, se o nosso TJMT afastar Riva, este seu sonho de uma noite de verão pode gorar.  Mas será que nossos dignos julgadores já se livraram da conhecida influência que Riva sempre exerceu sobre nosso Judiciário? Eis aí uma questão ainda em aberto. Só vendo pra crer.

O fato é que Riva, ousamente, segue fazendo estas suas articulações, garante seu direito de continuar presidente da Assembléia por quanto tempo quiser – e os jornais amigos e os jornalistas amestrados – tipo Mauro Camargo, Diário de Cuiabá, A Gazeta, Antero Paes de Barros, etc – estão todos vibrando, destacando mais esta “vitória” do baixinho tão poderoso. Como se sabe, nossa elite ilustrada opera descaradamente seu projeto de poder, acreditando sempre que a grande massa popular, formada por eleitores-cidadãos, em sua maioria desatenta às entrelinhas do noticiário, vai continuar sempre trabalhando, sampre pagando seus impostos, sempre acreditando no Bom Deus, sempre elevando seus pensamentos para Jesus Cristo e sempre permitindo que eles continuem operando a política como uma prática “de poucos e bons”.

Para alegrar o poderoso chefão Riva, nesta terça-feira tão ditosa, só falta mesmo o juiz Julier Sebastião da Silva proclamar que o VLT, imposto por Riva, vai continuar sendo o modal vigente em Cuiabá – custe o que custar! Confira o noticiário. (EC)

—————–

AL aprova PEC da reeleição e Riva deve ser reconduzido à presidência

Novo Tempo

A Assembleia aprovou nesta quarta (15) o Projeto de Emenda Constitucional 002/2012 que autoriza que os deputados, que estão na Mesa Diretora, a disputar a reeleição. A medida já era aguarda tendo em vista que há um movimento para que o presidente do Legislativo José Riva (PSD) seja reconduzido ao comando do Parlamento.

O social-democrata, entretanto, argumenta que a alteração tem o objetivo de seguir uma tendência nacional, tendo em vista que 19 Estados já adotaram a prática. “A mudança dá condições a qualquer um dos deputados que estiver na Mesa Diretora de se reeleger. Contudo, para a proposta valer, ainda depende de alteração no Regimento Interno”, explica.

Com 18 votos favoráveis e 2 contrários, a PEC foi aprovada em segunda votação. A proposta também altera o parágrafo 3º do artigo 34 e determina que os deputados realizem reunião preparatória a partir de 1º de fevereiro, no primeiro ano da legislatura, para a posse dos parlamentares e eleição da Mesa, com mandato de 2 anos, também na forma estabelecida no próprio regimento.

Riva argumenta ainda que a alteração corrige um equívoco, pois antes essas questões eram apenas de prerrogativa da Constituição Estadual. “Eleição de Mesa, comissões e Colegiado é para ser estabelecido no Regimento Interno”, frisa. Emanuel Pinheiro (PR), que votou contrário a medida, defende a redução do mandato da diretoria para um ano e queria que a sugestão fosse apreciada junto com a PEC aprovada nesta quarta. Riva garante ser a favor, mas explicou que a proposta precisa ser votada em separado, numa outra PEC.

————

Deputada acionará a Justiça contra PEC

Fonte: Diário de Cuiabá/ RENATA NEVES   

Histórica adversária política do presidente da Assembleia Legislativa, José Riva (PSD), a deputada estadual Luciane Bezerra (PSB) vai acionar a Justiça para tentar derrubar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) aprovada na última quarta-feira (15), que abre a possibilidade para membros da mesa diretora da Assembleia Legislativa e seus respectivos substitutos serem reeleitos.

Conforme a assessoria jurídica da deputada, a PEC foi proposta por “lideranças partidárias”, o que estaria desrespeitando o Artigo 38 da Constituição Estadual, que prevê que a Constituição só pode ser modificada mediante proposta apresentada por, no mínimo, um terço dos membros da Assembleia Legislativa, pelo governador ou por mais da metade das Câmaras Municipais do Estado, manifestando-se, cada uma delas, pela maioria simples de seus membros.

Revoltada com a aprovação da proposta, a deputada usou até mesmo a rede social Facebook para se manifestar. “Esta PEC da reeleição da mesa diretora da AL é o fim mesmo. A oposição sai e a situação aproveita pra ‘aprovar’ nova mesa. E MT vai continuar com a mesmíssima direção do Legislativo. Quem ganha? Poucos. Muito poucos!!!”, postou.

Eleita em 2010 para seu primeiro mandato como deputada, Luciane Bezerra foi a única a votar contra a eleição de Riva para a presidência da mesa diretora da Casa de Leis e lidera movimento para formação de uma chapa de oposição a ele, projeto que manterá firme mesmo após aprovação da PEC. “Estou tentando, conversando com os colegas, mas estou achando muito devagar. Achei que teria mais companheiros com a mesma vontade de mudar. Sei que em outros Estados já foram aprovadas alterações como essa, mas lá eles dão oportunidade para outras pessoas, o que não acontece em Mato Grosso. Estamos na ‘mesmice’ há mais de 20 anos. Até quando vamos permanecer assim?”, questionou, referindo-se à Riva na presidência.

Aprovada por 18 votos a 2, a PEC tira a competência da Constituição Estadual em definir questões ligadas à eleição da Mesa, repassando-a exclusivamente ao Regimento Interno da Casa, que será alterado para acrescentar a autorização para reeleição.

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 177.64.225.94 - Responder

    Uma coisa nada tem a ver com outra deixe o Julier ser justo como ele sempre foi. Tenha certeza que justiça sera feita doa a quem doer.Não sentenciem pelo Dr. Julier, a medida por ele tomada nada tem a ver com Riva ou outra tranquera quarquer me desculpe e me poupe.

  2. - IP 177.175.238.162 - Responder

    O senhor comete uma injustiça com deputado Emanuel Pinheiro. Ele votou contra assim como Dep.márcio Pandolf

  3. - IP 177.41.90.28 - Responder

    Concordo com o comentário do Paulo Lima, justiça seja feita aos 2 corajosos deputados, EMANUEL PINHEIRO E MÁRCIO PANDOLF.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

quatro × 2 =