Mário Friedlander dá grito de alerta para salvar Morro do Japão

Em seu alerta, Mário Friedlander diz que o Morro do Japão, uma das mais belas e preciosas áreas naturais da Chapada, reconhecida mundialmente como local sagrado, uma das últimas áreas naturais da região e nas imediações do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães e junto a APA- Área de Proteção Ambiental Estadual da Chapada dos Guimarães pode ser destruida.

O Facebook virou espaço para a luta ambiental. Nesta terça-feira, em seu perfil no Face, o fotógrafo e ambientalista Mario Friedlander está disparando uma séria de manifestações em defesa de uma das mais belas áreas da Chapada dos Guimarães, o Morro do Japão, que estaria ameaçado de desmatamento. O advogado Rogério Crepaldi nega qualquer intenção do titular dos terrenos – Benedito Paulo Pires de Miranda Filho – de desmatar a área denominada por budistas e ambientalistas de “Terra da Paz”. Só que, ao mesmo tempo, o advogado enviou mensagem com ameaça de processo contra Friedlander caso ele continue com suas postagens. Reproduzo, abaixo, as mensagens de Mário Friedlander e do advogado Rogério Crepaldi que são auto-explicativas. Para deslindar esta questão, e garantir a todos uma completa segurança quanto à preservação do Morro do Japão, sugiro a imediata intervenção do Ministério Público e, mais diretamente, do promotor do Meio Ambiente, Domingos Sávio Arruda. Fala, Domingos Sávio! Confiram, abaixo, o que se divulgou no Face. (EC)

Mario Friedlander, ambientalista, um dos mais ativos ambientalista de Mato Grosso, morador em Chapada dos Guimarães

SOS CHAPADA DOS GUIMARÃES
por Mário Friedlander, no Facebook

PERIGO NA CHAPADA – Ambientalista Mário Friedlander denuncia ameaça de desmatamento no Morro do Japão, em Chapada dos Guimarães

O Facebook virou espaço para a luta ambiental. Nesta terça-feira, em seu perfil no Face, o fotógrafo e ambientalista Mario Friedlander está disparando uma séria de manifestações em defesa de uma das mais belas áreas da Chapada dos Guimarães, o Morro do Japão, que estaria ameaçado de desmatamento. O advogado Rogério Crepaldi nega qualquer intenção do titular dos terrenos – Benedito Paulo Pires de Miranda Filho – de desmatar a área denominada por budistas e ambientalistas de “Terra da Paz”. Só que, ao mesmo tempo, o advogado enviou mensagem com ameaça de processo contra Friedlander caso ele continue com suas postagens. Reproduzo, abaixo, as mensagens de Mário Friedlander e do advogado Rogério Crepaldi que são auto-explicativas. Para deslindar esta questão, e garantir a todos uma completa segurança quanto à preservação do Morro do Japão, sugiro a imediata intervenção do Ministério Público e, mais diretamente, do promotor do Meio Ambiente, Domingos Sávio Arruda. Fala, Domingos Sávio! Confiram, abaixo, o que se divulgou no Face. (EC)

SOS CHAPADA DOS GUIMARÃES
por Mário Friedlander, no Facebook

Neste exato momento uma das mais belas e preservadas áreas naturais da Chapada dos Guimarães em Mato Grosso vai começar a ser desmatada impiedosamente.
Trata-se da região do Morro do Japão, um local considerado sagrado pelos Budistas e de extrema importância ecológica e cênica pelos ecologistas e moradores da Chapada e Cuiabá. Em 2001 uma área de cerca de 2.300 hectares foi legalmente adquirida pela Associação Budista Terra da Paz, para ali instalar um Centro Ecumênico Mundial, um Centro de Conservação e Pesquisa sobre o Cerrado Brasileiro e também para implantar um Ritual Budista com pelo menos dois mil anos de existência que prevê a Circunvolução da Montanha Sagrada, uma prática espiritual onde pessoas de todos os credos e nacionalidades fazem uma caminhada meditativa em volta do Morro do Japão, identificado pelo Monge Budista Shogyo Gustavo Pinto, como uma importante montanha sagrada do ocidente. A caminhada e todas as práticas adotadas na “Terra da Paz” visam estabelecer a Paz Mundial e o Respeito e Equilíbrio com a natureza.
Depois destes 11 anos de contínuas atividades nesta área, inclusive com o estabelecimento de vários projetos de Restauração Ambiental, como a recuperação de mil hectares de pastagem artificial que foram convertidos novamente em um vigoroso Cerrado, a Justiça do estado do Mato Grosso entendeu que parte desta área pertence a outras pessoas e acaba de conceder o núcleo da Terra da Paz a terceiros, que já comunicaram que vão promover o imediato desmatamento e loteamento da área natural e de parte importante da área de restauração ambiental.
Portanto neste exato momento, a mais bela e preciosa área natural da Chapada, reconhecida mundialmente como local sagrado, uma das últimas áreas naturais da região e nas imediações do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães e junto a APA- Área de Proteção Ambiental Estadual da Chapada dos Guimarães estará sendo destruída.
———————

SOS CHAPADA DOS GUIMARÃES II
por Mário Friedlander, no Facebook

Sou voluntário e colaborador da Associação Terra da Paz desde seu surgimento em 2001, trabalhei muitos anos pela construção da Terra da Paz no entorno do Morro do Japão entre Cuiabá e Chapada dos Guimarães, part
icipei de todas as etapas de sua implantação, inclusive quando ela sofreu uma invasão e teve início uma longa batalha judicial que culminou com uma decisão judicial a favor de terceiros e não o Monge Budista Shogyo e seus inúmeros parceiros.
Além do excepcional trabalho espiritual realizado pelos Budistas nesta área, houve um formidável esforço para a preservação, recuperação e conservação ambiental, cujo resultado mais visível, é a vigorosa regeneração natural de 1000 hectares de pastagens artificiais que voltaram a ser um vigoroso Cerrado, abrigando muitas espécies faunísticas raras e ameaçadas de extinção e servindo de abrigo e refúgio para toda a fauna de uma vasta região que vem sido sistematicamente desmatada para o plantio de eucalipto, hoje a Terra da Paz tornou-se uma ilha natural em meio ao mar de eucaliptos e pastagens.
No último sábado, 01 de setembro, um oficial de justiça, acompanhado de diversas pessoas e um caminhão chegou à Terra da Paz para promover a reintegração de posse, foram recebidos pelo zelador e sua família e rapidamente fizeram a retirada de pertences e outros objetos da fazenda, nesta ocasião, afirmaram que nesta próxima semana iriam começar a passar o “correntão” e iriam desmatar tudo.
Como colaborador e voluntário, fui alertado e passamos e examinar as alternativas para evitar que isso viesse a ocorrer, foi a partir dessa perspectiva que na segunda-feira bem cedo, escrevi e postei um manifesto denominado “SOS Chapada dos Guimarães” para tornar pública a situação que estávamos enfrentando e que poderia trazer sérias consequências ao meio ambiente e a paz de espírito de muitas pessoas que sabem da importância do Morro do Japão e da Terra da Paz.
A postagem teve mais de 500 compartilhamentos e muitos comentários, e o melhor é que alertou muitas pessoas que estão agora se organizando para agir em defesa desse patrimônio ambiental e espiritual de Mato Grosso.
Entretanto, fui intimidado pelo advogado de uma das partes sobre os crimes que eu estou cometendo e como o pleno exercício da cidadania, ainda que de modo tão simplório, poderia ser caracterizado como “formação de quadrilha” e que eu estarei sendo processado por criar esta postagem em defesa da nossa natureza.
Portanto, nada mais resta a fazer a não ser continuar este movimento e pedir apoio das mesmas pessoas que compartilharam e de outras, inclusive da imprensa para que possamos aprofundar essa questão, que agora já extrapola o ambiental e deve interessar a todos que querem se expressar livremente, assim como respirar ar puro e beber água limpa.
Conto com vocês e leiam a carta do advogado que está nos comentários da postagem “SOS Chapada dos Guimarães

————-

Conforme me foi pedido, segue:
Email divulgado pelo advogado da parte contrária.

“Prezado Mário; Boa tarde!

Sou um dos advogados de Benedito Paulo Pires de Miranda Filho.

Acabei de ler o que você postou em seu perfil do facebook.

Eu e meus sócios advogados reintegramos Benedito Paulo Pires de Miranda Filho na área que vocês denominavam “Terra da Paz”.

Informo que é seu direito e de todos os interessados fazer qualquer questionamento em órgão públicos, privados, entidades entre outros, no que tange a propriedade e posse da área.

Quanto ao desmate, informo que a área não está sendo desmatada.

Informo também que Vossa Senhoria está incitando pessoas boas a cometerem crime de falsa denúncia.

Denunciação caluniosa
Art. 339. Dar causa à instauração de investigação policial, de processo judicial, instauração de investigação administrativa, inquérito civil ou ação de improbidade administrativa contra alguém, imputando-lhe crime de que o sabe inocente:
Pena – reclusão, de dois a oito anos, e multa.
§ 1º – A pena é aumentada de sexta parte, se o agente se serve de anonimato ou de nome suposto.
§ 2º – A pena é diminuída de metade, se a imputação é de prática de contravenção.

Informo que cada denuncia caluniosa será apurada e também será apurado, dependendo de quantas denúncias forem feitas, o crime de formação de quadrilha.

Quadrilha ou bando
Art. 288 – Associarem-se mais de três pessoas, em quadrilha ou bando, para o fim de cometer crimes:
Pena – reclusão, de um a três anos.

Quanto ao litígio em questão, estamos a disposição para conversar desde o princípio.

Acredito que o caminho é o entendimento, a PAZ que vocês tanto propagam, não o caminho que você está tomando.

Atenciosamente, Rogério Crepaldi
email: [email protected]

 

8 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.6.84.242 - Responder

    Parabéns pela matéria e obrigada.
    Precisamos estar sempre juntos na luta pela preservação do verde água, flora e fauna.
    O bicho homem é tão estúpido que não é capaz de perceber,que sem verde, sem vida ,ele também não sobreviverá.
    Precisamos que continuem apoiando a causa e o Mário, uma pessoa de olhos azuis que consegue ver todas as cores deste paraíso que papai do céu deixou.
    Parabéns ao Mário ele é um homem de muito valor!

  2. - IP 177.132.242.210 - Responder

    Enock:

    Nota-se que a aflição do Mário se prende a uma EXPECTATIVA de desmatamento numa área que, além de ter importância ambiental, para ele, tem algum valor cultural por ser “sagrada”.

    Duas questões devem ser destacadas :

    1) Não há como se tomar qualquer iniciativa/providência por conta de mera EXPECTATIVA de que o proprietário/possuidor de uma área possa vir a desmatá-la, irregularmente. Imagine se isso fosse possível….Certamente, os órgãos ambientais, o Ministério Público, a Polícia e todos os demais ficariam, o tempo todo, alertando os que detêm áreas florestadas acerca dos cuidados que se devem tomar para se promover qualquer desmatamento…É, mais ou menos, como que se esperar que as Polícias saissem pelas ruas avisando que não se pode matar nem roubar….. Ademais, note que no e-mail enviado pelo advogado do proprietário/possuidor da área foi destacado que a área não está sendo desmatada.

    2) De qualquer sorte, conforme determina o Código Florestal, qualquer desmatamento deve ser precedido por autorização do órgão ambiental competente que, então, analisará sua viabilidade, considerando, para isso, se não se trata de área protegida.

    É isso,

    DOMINGOS SÁVIO

  3. - IP 187.123.1.223 - Responder

    Em se tratando de questões jurídicas os nobres advogados estão corretos em suas afirmações, mas na prática a gente já sabe muito bem o que vai acontecer, esse filme passa todos os dias e se não ficar de olho, vai acontecer novamente. O Mário não está “afirmando” que irão desmatar, está dando um aviso de ALERTA baseado nos precedentes que já foram encaminhados como a desapropriação da área da entidade Budista que tinha por finalidade a preservação do terreno. A intimidação da “bancada” jurídica com citações de penas e reclusões poderia ser menos truculenta e deselegante simplesmente comunicando que o proprietário não tem interesse na especulação imobiliária da área. Eu e muitos amigos do Mário Friedlander com certeza não fazemos parte de nenhuma quadrilha ou bando como quer sugerir o advogado, mas se assim for de seu entendimento e compreensão haja cadeia pra tanta gente.

  4. - IP 201.71.176.148 - Responder

    O doutro promotor já ouviu falar em “medida cautelar”?

  5. - IP 177.0.80.60 - Responder

    Se a legislação ambiental funcionasse, MT não seria o campeão de desmatamento todo ano.

  6. - IP 201.10.151.26 - Responder

    Na verdade o Mario Friedlander era o principal articulador dos budistas para construir cravada no morro do Japão uma imagem de buda. Ir-se-ia destruir parte do morro para criar um buda à imagem e semelhança daquele que foi destruído lá pelas terras de Alá – no Afeganistão.
    Existe, portanto, um grande interesse pessoal por trás dessa história de preservacionismo.
    O que chateia nesses preservacionistas extremos é isso – sempre existe um interessezinho escondido, alimentado quase sempre com recursos públicos.
    Mesmo assim, o Mário é um grande sujeito, um artista mágico que há anos retrata a natureza matogrossense em fotos de altíssima qualidade, um vanguardista na defesa do meio ambiente.

  7. - IP 187.6.1.19 - Responder

    Meu caro Antunes, nunca fui articulador dos Monges Budistas para nada, eles nao precisam disso, sao muito articulados, fui o responsável pela Conservação e Recuperação Ambiental da Fazenda Menino Jesus que veio a se tornar a Terra da Paz,, trabalhei muitos anos para desconstruir uma fazenda de gado cravada num lugar magico e hoje esse lugar se transformou num Santuário inigualável, agora todo esse santuário pode voltar a ser simplesmente uma pastagem com capim e vacas magras e sei que Mato Grosso nao precisa de mais um pastinho qualquer, mas sim desse Santuário importante para a natureza e para as pessoas.
    Meu interesse particular nao esta escondido, foi postado para todos verem e compartilharem e nunca houve dinheiro publico na Terra da Paz, somente doações de particulares interessados neste grandioso projeto.
    Em relação a esculpir estatuas no paredão, isso foi proposto em 2001 e ao longo desta década, so esculpimos trilhas pelo Cerrado e plantamos arvores, nada alem disso.
    Nao fique chateado com os ecologistas e visionários, dificilmente eles destroem alguma coisa, fique chateado com os grileiros de terras, com os políticos corruptos e com os desmatadores de áreas naturais, faz mais sentido assim.

  8. - IP 187.90.129.165 - Responder

    ha chupa meu tiu ganho 87 equitares no morro do japao e meu pai 5 equitares bem no pe do morro
    iremos fazer a trilha que tem e passa bem proximo a minha terra

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dois × 3 =