PAULO BOMFIM: É preciso orar e vigiar a candidata a prefeita Michele do Banco, parceira de Thelma

OITO NOMES E UM SÓ DESTINO PARA CHAPADA DOS GUIMARÃES

Orar e vigiar a candidata Michele do Banco

POR PAULO BOMFIM

 

Prosseguimos a série das avaliações, denominada “Oito nomes e um só destino para Chapada dos Guimarães”. Avaliaremos hoje, Pelo partido Progressista – PP, a vereadora Michele Weber, mais conhecida como Michele do Banco, como candidata a prefeita e como vice o pastor Erlindo, do Partido Social Cristão – PSC.

Inicialmente volto a ressaltar, que um dos fatos que nos pede e merece um olhar mais apurado é a mistura de partido / processo eleitoral / Fé / Religião / Igreja / com o voto. Não se deve tentar misturar religião com política e, muito menos com processo eleitoral. A religiosidade é uma realidade intrínseca ao Ser Humano. É imperioso o respeito a Fé, independente da religião professada.

Esta mistura de Fé com voto tornou-se indigesta. Exploração da Fé para se obter o voto dos eleitores evangélicos, é repugnante. Exemplos, principalmente nos últimos tempos, estão espalhados por todo o Brasil de como esta combinação é trágica. Política e processo eleitoral é do mundo dos homens, simples mortais. A Fé é da esfera Divina e imantada por conceitos, que fogem a compreensão humana.

Os eleitores de Chapada dos Guimarães necessitam recordar como foi o comportamento da vereadora Michelle do banco durante mandato de vereadora.

E um aspecto muito importante do comportamento da vereadora Michelle do banco no exercício de seu mandato, tornando-se marca registrada, foi a sua fidelidade à prefeita Thelma de Oliveira e ao partido em que esteve filiada, PSDB, durante 3 anos e 6 meses, antes de decidir-se lançar-se como candidata a prefeita. Atitude natural, já que era filiada ao mesmo partido da prefeita.

Justiça seja feita, nem o PSDB e muito menos a prefeita Thelma de Oliveira podem queixar-se da vereadora Michelle do banco, pois sempre esteve à disposição para ajudar em votações muito importantes. Sempre foi fiel e imagino que continue fiel agora,

No exercício do mandato de vereadora, Michelle do banco, foi fidelíssima aliada da gestão e correligionária de Thelma de Oliveira – PSDB. Durante três momentos do mandato, a vereadora Michelle do banco, pôde tentar demonstrar que estava, verdadeiramente, ao lado da população de Chapada dos Guimarães e agiu de forma completamente diferente. Esses dados estão lá nos arquivos da Câmara de Chapada e os recordo aqui:

Em 14/03/2019, foi realizada sessão plenária na Câmara Municipal para a votação sobre o acolhimento e abertura de processo de cassação da prefeita Thelma de Oliveira, em função das denúncias realizadas por cidadãos e eleitores, decorrentes do comportamento anormal de atraso no envio do APLIC; atrasos nos encaminhamentos dos projetos de leis de Lei de Diretrizes Orçamentárias – LDO e Lei Orçamentária Anual- LOA, do exercício de 2019 para a Câmara Municipal; aquisição de materiais com preço superfaturados; aquisições suspeitas de grama para jardinagem e mudas de árvores; concessões irresponsáveis de suprimentos de fundos para funcionários efetuarem compras e desatender requerimentos de informações dos vereadores.

A denúncia foi acolhida e foi instalada a Comissão Parlamentar de Inquérito que, em Relatório, manifestou-se pela Cassação do Mandato da prefeita Thelma de Oliveira.

Em sessão plenária votaram pela cassação os vereadores: Aline Muniz, Bozó, Mariano, Rosa Lisboa, Thomaz Jefferson e Carlinhos do PT. Votaram a favor da prefeita Thelma de Oliveira os vereadores Michelle do banco, Cidú, Joair Siqueira, Netinho e Dudu.

Em 10/12/2018 foi realizada sessão plenária na Câmara Municipal para a votação sobre o acolhimento e de abertura de processo de cassação da prefeita Thelma de Oliveira, em função da denúncia realizada por cidadãos e eleitores, decorrente do comportamento de mau uso do dinheiro público, com o superfaturamento na aquisição de produtos de consumo diversos, com a não entrega dos respectivos produtos.

Votaram contra o recebimento da denúncia e apuração das irregularidades os vereadores, Michelle do banco, Aline Muniz, Thomaz Jerfferson, Cidú, Joair Siqueira, Netinho e Dudu. Votaram a favor da cidade e pelo recebimento da denúncia e apuração das irregularidades os vereadores Bozó, Mariano, Rosa Lisboa e Carlinhos do PT.

Em 30 de agosto de 2017, com base na delação premiada, feita pelo ex-governador Silval Barbosa – Termo de Declarações de números 12 e 28 do processo nº 45169 junto ao Supremo Tribunal Federal – STF, em sessão plenária foi apresentada denúncia por cidadãos e eleitores de suposta propina exigida pela prefeita Thelma de Oliveira – PSDB, quando deputada federal. A prefeita Thelma de Oliveira – PSDB teria exigido a sua parte, no valor de R$ 1 milhão de reais do recurso repassado pela FUNASA, sobre o repasse de recurso do Governo Federal, no valor R$ 10 milhões de reais, cuja finalidade era resolver o problema do abastecimento de água do município de Chapada dos Guimarães.

Em sessão plenária votaram a favor pelo recebimento os vereadores Bozó, Mariano, Rosa Lisboa e Carlinhos do PT. Votaram contra o recebimento da denúncia com a apuração das irregularidades e, portanto, a favor da prefeita Thelma de Oliveira os vereadores, Michelle do banco, Aline Muniz, Thomaz Jerfferson, Cidú, Joair Siqueira, Netinho e Dudu.

É uma temeridade a vereadora tentar apresentar-se como oposicionista, dizendo-se “nova na política” e ficha limpa. Na verdade a candidata Michelle do banco, pelo que está registrado nos arquivos da Câmara. sempre esteve ao lado desta atual gestão lastimável e catastrófica, ressaltando-se que até hoje mantém familiares nomeados em cargos comissionados na administração, desempenhando funções estratégicas, da mais alta relevância na Procuradoria do município. Não questionamos o desempenho desses nomeados mas é uma comprovação de que o conceito da vereadora junto à administração da prefeita segue inabalado.

Agora, diga-se de passagem, a sra. Michelle, também está amparada por estruturas políticas que seriam comprometidas com o que há de pior na política do Estado do Mato Grosso e do Brasil. Conta com o apoiamento do ex-Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Mapa e deputado federal, Neri Geller – PP que quase teve o mandato cassado por prática de Abuso de Poder Econômico na campanha de 2018 sendo, também, preso logo após, em novembro, pela Polícia Federal em um desdobramento da Operação Lava Jato, denominada Operação Capitu, sobre supostos pagamentos de propina a servidores públicos e agentes políticos que atuavam direta ou indiretamente no ministério, em 2014 e 2015. Não sou eu que invento, são fatos registrados pela PF, pela mídia e pelos cidadãos mais atentos às idas e vidas da política.

Outro fator que merece um olhar apurado é a liderança exercida, dentro do Partido Progressista – PP, pelo ex-deputado Pedro Henry. O ex-deputado Pedro Henry foi investigado por envolvimento em um esquema de desvio de dinheiro da Petrobrás, que veio à tona com o “Escândalo do Mensalão”, transformado depois na “Operação Lava Jato”, sendo condenado em dezembro de 2012, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro a 7 anos e 2 meses de prisão e que chegou a ficar preso em 2013, no presídio da Papuda no Distrito Federal.

O ex-deputado Pedro Henry, também, já havia sido foi investigado na década de 90, no processo do escândalo que ficou conhecido como “Máfia das Ambulâncias”, em sua gestão como vice-prefeito do PSDB, no município de Cáceres.

Outro fato de forte expressão é o suspeitíssimo apoio aberto e declarado que o deputado Paulo Araújo, também do seu partido, PP, declarou em vídeo a reeleição da prefeita Thelma de Oliveira – PSDB. Indaga-se: por que Paulo Araújo gravou video defendendo a prefeita e não sua antiga parceira tão fiel, a vereadora Michele do banco? Paulo Araujo, pelo que parece, sabe das coisas – e isso precisa ser melhor explicado aos cidadãos eleitores de Chapada.

São valores em torno 15 milhões/ano, em contratos de compras e prestações de serviços mantidos pela prefeitura, que estão em jogo, podendo ter atraído a atenção do PP. Contratos estes que hoje estão nas mãos do presidente da Assembléia Legislativa, deputado Eduardo Botelho – DEM, cuja família possui várias empresas, com importantes e milionários contratos de prestações de serviços e fornecimentos de peças e equipamentos, firmados por Thelma de Oliveira na prefeitura de Chapada dos Guimarães.

O povo Chapadense, imigrantes e os eleitores precisam tomar consciência para saber evitar, não permitindo enganar-se por estas e outras estruturas políticas. Todos precisam tomar conhecimento da estrutura que a candidata do PP, vereadora Michelle do banco, tem como suporte político e sobre seus correligionários, para assumir o comando do executivo municipal em Chapada dos Guimarães.

Ao final desta atual gestão, em dezembro, já terão sido consumidos mais de 300 milhões de Reais de dinheiro de público, em 4 anos, entre receita própria e repasses estaduais / federais e a cidade sofreu considerável queda em qualidade de vida, ressentindo-se da carência da completa falta de investimentos em sua infra-estrutura básica.

Soma-se a isto o fato de não ter sido equacionada a dívida astronômica com Fundo de Previdência Social dos funcionários públicos municipais, Previ – Serv.

A candidata do PP, vereadora Michelle do banco, não fala em rever e muito menos em auditar contratos. Por que não fala? Como se viu,pelas suas votações, ela não enxergou irregularidades na atuação da prefeita. Ou, se enxergou, não acreditou no que viu.

A nossa Chapada não pode se tornar escrava destas danosas estruturas políticas. Precisamos entender a rede de interesses que envolvem as candidaturas. Que motivos levaram Michele do banco a trocar o PSDB pelo PP e hoje se apresentar como oposicionista? Será que é oposição pra valer? – os Chapadenses certamente que precisam fazer essa reflexão, atentando principalmente para o voto expresso pelo lider do PP, deputado Paulo Araújo.

Como nos orientam pastores e padres, é preciso orar e vigiar! E que Deus abençoe a todos, que saiamos maiores e melhores desta eleição, não nos deixando levar pelas tentativas de engodo e de enganação.

 

 

Paulo Bomfim é Cidadão e eleitor de Chapada dos Guimarães

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dezenove − 2 =