PAULO BOMFIM: A rodovia MT 403, o prefeito Flávio Daltro, a Eletroconstro e a 1ª delação premiada de Chapada dos Guimarães

Paulo Bomfim

A Estrada tem muitas estórias para nos contar.

PAULO BOMFIM, especial para a PAGINA DO E

Estrada por onde passei

Nesse mesmo carro
Estrada que me viu feliz
Com ela ao meu lado
Ó árvore onde um dia paramos
Para descansar
Ofertou com carinho
Sua sombra amiga
Prá gente se amar…….

Eu voltei
E quem sabe se aqui
Ela voltará prá mim
Matar essa saudade
Me trazer felicidade-
Ou marcar o meu fim
Matar essa saudade
Me trazer felicidade
Ou marcar o meu fi

Estrada por onde passei….

(Trecho da música) Estrada – Chitãozinho e Chororó

O Brasil tem desde 2011 um Festival de Música na Estrada. Está em sua Sétima edição, que teve início em Outubro de 2017 e tem final previsto para Março de 2018.

O Festival Música na Estrada é um dos maiores e expressivos Projetos Culturais do Norte do País Promove acessibilidade e aprimoramento cultural através do intercâmbio e da valorização de conteúdos artísticos de várias regiões do País. A programação artística visa conectar pessoas através da música e outras Artes.

Aqui, por Chapada dos Guimarães, existe uma de nossas Estradas que tem um charme especial. Só que a música tocada foi em Dó, Dó maior.

A Rodovia MT 403 que, na época, era denominada Estrada do Rio da Casca, e que faz a ligação entre a região do Manso e a Cidade de Campo Verde – MT 020 com a BR 070, atravessando a região do Distrito do Rio da Casca.

No ano de 2012 foi lançado o documentário “Heróis não renunciam” de Aníbal Alencastro, tendo Joel Leão como produtor e diretor. O filme retrata a passagem da Coluna Prestes pelo Estado de Mato Grosso em 1926.

Coluna Prestes foi um movimento político-militar brasileiro existente entre 1925 e 1927 e ligado ao Tenentismo de insatisfação com a República Velha, exigência do voto secreto, defesa do ensino público e a obrigatoriedade do ensino primário para toda a população.

Deslocou-se pelo interior do país pregando reformas políticas e sociais e combatendo o governo do então presidente Artur Bernardes e, posteriormente, de Washington Luís.

Vale citar, sem a intenção de aprofundar ou mesmo remeter à Juízo de Valor, que a Coluna Prestes teve relevante importância na História do Brasil e, em particular, em Mato Grosso. O Estado de Mato Grosso teve participação marcante na marcha realizada pela Coluna Prestes, que foi um dos episódios mais relevantes da primeira metade do século XX no Brasil, por sua relação direta com os movimentos políticos da Reação Republicana liderada por Nilo Peçanha e a própria Aliança Liberal.

Em sua marcha pelo Brasil, os integrantes da Coluna Prestes denunciavam a pobreza da população e a exploração das camadas mais pobres pelos líderes políticos.  

Os Revoltosos da Coluna Prestes tinham saído do Rio Grande do Sul com destino à buscar abrigo na Bolívia.

Faz parte da memória coletiva da Comunidade local, no Distrito do Rio da Casca, que ao montarem acampamento na então Estrada do Rio da Casca, atual Rodovia MT 403, nos anos compreendidos entre 1926 e 1930, os componentes Revoltosos da Coluna Prestes foram emboscados pelo Exército Brasileiro através de um grupo de soldados comandados pelo Coronel Pinto Paca, que havia se deslocado do Estado da Bahia e os perseguia pelo interior do Centro-Oeste do País.

Tinham estes revoltosos Tenentes, pelo menos, uma causa justificável senão Digna.

Nestes mesmos tempos, década de 1930, surgia no Brasil a palavra Bossa. Apareceu pela primeira vez na música São Coisas Nossas, samba do popular cantor Noel Rosa

O destino, sempre o destino. Vamos em frente.

Uma segunda emboscada aconteceu, no mês de Novembro do ano de 2013, na mesma região da então, já Rodovia, MT 403 em Chapada dos Guimarães.

Desta vez não do Exército, da farda verde-oliva comandados por um Coronel.

Os tempos mudaram, os Agentes são outros, as armas são outras.

As armas e munições utilizadas foram a Constituição Federal – calibre 129, a Lei Federal nº 8.625/1993 – calibre 25 e a Lei Federal nº 8.429/1992 – calibres nº 16 e 17.

Foi a emboscada dos Agentes Públicos do Ministério Público do Estado do Mato Grosso, que tentam proteger a Sociedade contra um grupo de pseudo revoltosos, componentes da Coluna dos Imprestáveis, Agentes Políticos e Empresariais, que tentam se apropriar do dinheiro público, utilizando-se de manobras fraudulentas e criminosas.

Estes revoltosos, contemporâneos, não tem causa alguma na cabeça que não seja a firme determinação de apropriar-se do dinheiro do Povo Trabalhador de Chapada dos Guimarães, do Estado do Mato Grosso e do Brasil.

A Dra. NAYARA RONAN MARIANO SCOLFARO, brilhante, diligente e combativa Promotora da 1º Promotoria Cível de Chapada dos Guimarães – Ministério Público do Estado do Mato Grosso, determina através da Portaria nº 056/2013 a abertura de Inquérito Civil Público para apurar Prática de Ato de Improbidade Administrativa pelo então Prefeito Flávio Daltro Filho, na Celebração do Convênio nº 97/2012, firmado entre a Prefeitura Municipal de Chapada dos Guimarães e O Governo do Estado do Mato Grosso – Secretaria de Estado de Pavimentação Urbana –SEPTU, no valor de R$ 199.809,24, com Recursos do Programa MT Integrado, para a manutenção da Rodovia Estadual MT 403, numa extensão de 88 quilômetros, região que interliga à localidade de Cachoeira Rica e Assentamento Água Branca.

Este Convênio gerou a contratação da Empresa Construtora Eletroconstro Eletrificação e Construção Ltda. pelo Contrato de Prestação de Serviços nº 038/2012, no valor de R$ 199.251,15.

O destino, sempre o destino.

A brilhante, diligente e combativa Sra. Promotora, Dra. NAYARA RONAN MARIANO SCOLFARO é transferida de Chapada dos Guimarães.

O destino, sempre o destino.

Não adiantou, uma nova e derradeira emboscada acontece.

Em meados de 2015 toma posse da 1º Promotoria Cível de Chapada dos Guimarães o Coronel, perdão, digo, Promotor Dr. LEANDRO VOLOCHKO, aparentemente, discípulo da Estratégia Militar de Sun Tzu“, trava conhecimento dos detalhes do Processo e acrescenta os conceitos da Inteligência, concentrando-se contidos no capítulo 13, lançando mão dos conhecimentos da Literatura Milenar datada de 500 aC,

Com a Medicina e o Direito, aprendi que as Ações e Procedimentos tem de ser aplicados em doses homeopáticas, aos poucos, sempre de acordo com as manifestações do organismo físico do paciente ou justificativas de Defesa, nos casos dos inquiridos judicialmente.

Em 22 de Novembro deste mesmo ano, o Sr. Promotor, determina algumas outras seqüenciais diligências, ainda mais asfixiantes, ajusta o calibre e eleva a pressão em grau máximo.

Certeiro.

Como tornou-se popular, em todo o País após o filme Tropa de Elite, lá pelas bandas do Rio de Janeiro, diz-se: perdeu, perdeu!!!

Em 2017 temos o 1º caso de DELAÇÃO PREMIADA em nossa Chapada dos Guimarães.

Chapada entra para a História Contemporânea Brasileira fazendo a sua estréia nos Palcos da DELAÇÃO PREMIADA.

Encurralados, os Revoltosos da Coluna dos Imprestáveis, Agentes Públicos, Políticos e Empresariais aceitam colaborar com as investigações e é firmado um TERMO DE AJUSTE DE CONDUTA – TAC – Simp nº 0001602-028-2013.

Não foi realizada obra alguma na Rodovia MT 403.

O Contrato de Prestação de Serviços nº 038/2012, no valor de R$ 199.251,15 nunca foi executado.

O Atesto de Cumprimento da obra é uma fraude.

O processo Licitatório foi todo fraudado.

O Processo Administrativo da prestação de contas do Convênio nº 97/2012, ao Governo do Estado foi uma grotesca montagem, por conseqüência outra grande fraude.

O dinheiro foi usado para pagamento de dívidas de campanhas de Ex-Deputados e de Deputados Estaduais com Mandatos atuais, políticos da nossa Capital Cuiabá.

Era uma a certeza cristalina, absoluta e inexorável da impunidade.

Os Revoltosos da Coluna dos Imprestáveis, Srs. Empresários da Empresa Construtora Eletroconstro Eletrificação e Construção Ltda. comprometem-se a devolver aos Cofres Públicos Municipais R$ 690.000,00.

O também Revoltoso Sr. ex- Prefeito Flávio Daltro Filho, diante da Delação dos Empresários amigos, estando acuado, sem pode poder utilizar todo o seu arsenal de argumentos intelectuais, sem ter para onde ir e como escapulir, capitula e rende-se, aceitando devolver R$ 60.000,00.

Já na forma de Movimento Político / Musical, no final da década de 1950, emergiu no Brasil o gênero musical chamado de Bossa Nova. Foi lançado por João GilbertoTom JobimVinícius de Moraes e jovens cantores compositores de classe média da Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro, derivado do Samba e com influência do Jazz.

O Revoltoso Sr. ex- Prefeito Flávio Daltro Filho deve lembrar-se muito bem da saudosa cantora e Compositora, Maysa que em 1958 lançou o LP “Convite para ouvir Maysa Nº 2” onde, maravilhosa, nos brindava com a sua interpretação da música “MEU MUNDO CAIU”.

Está encerrada a fase Civil da investigação.

Agora vem a fase Criminal. Coisas das nossas Leis truncadas.

A 1º Promotoria Cível de Chapada dos Guimarães – Ministério Público do Estado do Mato Grosso, com o Sr. Promotor Dr. LEANDRO VOLOCHKO está Gerenciando diretamente a aplicação destes Recursos, que somam R$ 750.000,00, em Projetos Sociais junto ao Conselho Tutelar da Cidade, Obras de Infra-estrutura e adequação necessária para a implantação do Projeto Escola Plena na Escola Estadual Rafael Siqueira e na Estruturação do Parque Municipal da Quineira.

O Município de Chapada dos Guimarães está impedido de Celebrar novos Convênios com o Governo Federal e Estadual para o Desenvolvimento e execução de Projetos por absoluta falta de prestação de Contas de Convênios firmados desde o ano de 2005.

São 16 com o Governo do Estado do Mato grosso e 11 com o Governo Federal.

A Estrada é longa, mas o caminho percorrido da MT 403 já está identificado.

Outras haverão de surgir. Há uma luz ao final do túnel e não é um trem vindo em sentido contrário.

Ter passado pela Rodovia MT 403, no Distrito do Rio da Casca, está a custar caro, ontem e hoje. Muito caro!!!

Os revoltosos da Coluna dos Imprestáveis formada, em nossos tempos atuais, por Brasileiros que fazem parte de uma elite que não tem quaisquer escrúpulos de praticar atos de corrupção.

Que não querem ter a consciência que a corrupção destrói o Patrimônio Público em favor de poucos, que acumulam dinheiro e outros bens materiais sem pensar nos pobres, nos famintos, nos que não tem casa, nos doentes nas macas dos postos de saúde e hospitais públicos, amargando as dores físicas, morais e psicoemocionais, com os sofrimentos na alma pela ausência de remédios, equipamentos, com médicos e enfermeiras trabalhando em condições extremamente precárias, nas nossas crianças nas escolas sem merenda escolar, nos analfabetos, nos idosos que necessitam de amparo, nos Programas Sociais de Amparo as Famílias que encontram-se abaixo da linha da pobreza, no Direito Universal á água bem tratada a que todos nós temos, na rede coletora e no tratamento de esgoto das nossas cidades.

Como a Língua Portuguesa é rica e cheias de nuances, peço licença para recomendar ao Ilustre Leitor um cuidado especial para não confundir as posições.

Existem os Revoltosos, que são aqueles que se revoltam e rebelam-se contra as injustiças e os comportamentos indignos e a sua contra-posição de diferenciação.

Ou seja, os Revoltosos, aqueles que são revoltantes, que agem de forma a gerar inspirações de manifestações dos instintos mais primitivos no Ser Humano, causando revolta e indignação.

Mas como diz o verso da Música.

…..”Estrada por onde passei

Nesse mesmo carro
Estrada que me viu feliz
Com ela ao meu lado
Ó árvore onde um dia paramos
Para descansar
Ofertou com carinho
Sua sombra amiga
Prá gente se amar”…….

A História já se encarregou de julgar os personagens Revoltosos da Coluna Prestes de 1926/1930.

Para os Revoltosos da Coluna dos Imprestáveis………o exemplo….. À Justiça, com as penalidades previstas em Lei.

Com os Atos Heróicos Promotores de 2012 / 2013 / 2015 / 2016 e 2017 não haverá de ser diferente.

Não sei de quem é a autoria, mas aprendi nos anos de 1970, em minhas andanças e contatos com o Povo lá das Minas Gerais que: “A História não reserva lugar para os covardes”. Frase atualmente deturpada e muito maculada por ter sido utilizada, de forma pejorativa, como argumento de sustentação de interesses pouco nobres, inclusive, por um Deputado Federal preso na Operação Lava Jato.

À Justiça sobre os méritos alcançados, com as merecidas homenagens de reconhecimento!!!

Os Brasileiros moradores e eleitores agradecem de Chapada.

Os não Brasileiros, mas moradores de Chapada dos Guimarães agradecem.

Os demais Brasileiros também agradecem.

O Rio da Casca tem História e tem Chitãozinho!!!

Não tem Chororó.

Chapada dos Guimarães, Fevereiro de 2018.

Em tempo: Vou tomar uma pinga em homenagem a estes Heróicos Promotores.

PAULO BOMFIM – Cidadão e Eleitor de Chapada dos Guimarães.

Termo de Ajustamento de Conduta Eletroconstro Em Chapada Dos Guimarães – MT by Enock Cavalcanti on Scribd

Categorias:Cidadania

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

três × cinco =