PAULO BOMFIM: Ricardo Sarmento e Didi formam chapa de profundas e marcantes indefinições, em Chapada

Didi e Ricardo, à direita

OITO NOMES E UM SÓ DESTINO PARA CHAPADA: A INVENÇÃO

por Paulo Bomfim

Com esta iniciativa queremos dar satisfação aos dignos leitores que nos cobraram, em comentários de redes social, que as oito candidaturas e seus respectivos candidatos ao cargo de Prefeito/a de Chapada dos Guimarães fossem, igualmente, avaliadas.

Hoje iniciamos a série, com as oito avaliações, denominada “Oito nomes e um só destino para Chapada dos Guimarães”. Para esta primeira avaliação chamaremos, “A Invenção”.

Começamos com a candidatura do Partido Democrata – DEM, que tem o empresário Ricardo Sarmento homologado, como candidato a prefeito e, como vice outro empresário, Benedito Ribeiro, conhecido como Didi da Pousada. Em chapa puríssima, pois não se coligará com nenhum outro partido, estando ainda indefinidos, não se sabendo os nomes e possível número de candidatos/as a vereadores/as;

O novo vestido pelo velho. Em meados de agosto deste ano, o ex-prefeito de Várzea Grande, ex-governador, ex-senador da república, ex- conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Mato Grosso, Júlio Campos, em áudio muito divulgado nas redes sociais, faz severas advertências ao presidente municipal do Partido Democratas, em Chapada dos Guimarães, Sérgio Rezende. “… seu dia está chegando….”!

Em um áudio encaminhado ao próprio Rezende, o ex-senador e ex-governador pede para o correligionário parar de sacaneá-lo, tentando desmoralizá-lo no grupo de WhatsApp do DEM, e dispara: “quem é você para me criticar e falar mal de mim toda hora!”.

Acusa-o, também, de “sempre fazer negócio com o partido DEM, de Chapada, em tempos de processo eleitoral.

Júlio Campos, insiste e acusa Sérgio Rezende de, além de sempre vender o partido, fazer coligações esdrúxulas e impedir o DEM de lançar candidatura a prefeito de Chapada. “Seu dia está chegando e vamos ter candidatura própria”, disse Júlio.

Ocorre que a candidatura própria, defendida pelo experiente Júlio Campos, era o do tradicional candidato e “correligionário das antigas”, Didi da Pousada e a candidatura que, Sérgio Rezende estaria “comprometido” e tentando fazer o DEM engolir, com seus negócios e interesses próprio, era a do empresário Ricardo Sarmento.

Em intensas negociações de bastidores, Sérgio Rezende venceu Júlio Campos e sua “candidatura predileta”. A candidatura com quem Rezende estaria comprometido, a de Sarmento, foi homologada em convecção do partido Democratas.

São muitas as indefinições no DEM.

A questão não terminou. Está empatada, confusa e indefinida!

Indefinida em três aspectos, pressupondo-se que Júlio Campos tenha falado verdades, em suas afirmativas.

Primeiro; O DEM, não tendo efetivado coligações com outros partidos, na convenção partidária, implica no raciocínio lógico de que Júlio Campos teve a força suficiente para impedir que o presidente municipal, Rezende, novamente, fizesse negócios com o DEM de Chapada, no aspecto das coligações partidárias. Fica o questionamento, sobre quais armas Júlio Campos teria utilizado para vencer Sérgio Rezende, na “disputa” e impedido as costumazes ações de Rezende, com coligações esdrúxulas, que denunciou em áudio?

Segundo; Com a vitória na convenção partidária da possível “candidatura inventada”, de Ricardo Sarmento, por Sérgio Rezende na “cabeça de chapa”, porém, tendo na vice o candidato Didi da pousada, de Júlio Campos, fica os questionamentos: tendo Júlio Campos razão nas afirmativas será, realmente, a candidatura de Ricardo Sarmento uma invenção de Sérgio Rezende? Fica, outro questionamento sobre quais armas Sérgio Rezende teria utilizado para vencer Júlio Campos, na “disputa” e feito valer a homologação da candidatura, sua “invenção”?

Terceiro; Conforme as próprias palavras do Júlio Campos, que reproduzo: …“vc que sempre vendeu o partido aí na chapada, fazendo coligações esdrúxulas, não deixando o DEM lançar nunca candidato a prefeito da Chapada….não pense que vc este ano, vc vai fazer a mesma barbaridade que vc fez no passado,…nós vamos ter candidato próprio aí na Chapada dos Guimarães, e candidato para disputar prá valer, não de mentira como vc sempre inventa ok…”: Quais argumentos teria feito o cacique maior, Júlio Campos, convencer-se e aceitar, na convenção do DEM a candidatura que, segundo suas palavras, de mentira do Ricardo Sarmento, abrindo mão da “cabeça de chapa”, preterindo o seu candidato preferido, Didi, para uma candidatura de mentira, “invenção” de Sérgio Rezende, conforme denunciou?

Teria Júlio Campos conciliado os seus interesses com a “invenção” de Sérgio Rezende?

Como os leitores podem imaginar, “tem muito caroço debaixo deste angú”!

Com certeza, e com certeza absoluta é que, nem Júlio Campos, Sérgio Rezende, Ricardo Sarmento, e muito menos Didi da pousada, nenhum destes, até o final destas singelas linhas, não levantaram a voz para manifestar qualquer sentimento de indignação e contrariedade com o quadro de descalabro e o mau uso do dinheiro público que, acorrem nesta gestão de Thelma de Oliveira – PSDB, à frente da prefeitura da cidade.

A chapa é de indefinidos, não se sabe ao certo o que farão, caso cheguem ao comando da administração municipal. Talvez, seja pelo fato de que não poderão nunca contrariar os interesses empresarias do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho – DEM, cuja família possui várias empresas, com importantes e milionários contratos de prestações de serviços e fornecimentos de peças e equipamentos, firmados por Thelma de Oliveira na prefeitura de Chapada dos Guimarães.

A chapa fica indefinida, entre a prefeita Thelma de Oliveira e o ex-prefeito Gilberto Mello.

Se o cacique partidário nacional e regional Júlio Campos falou a verdade, no áudio, a candidatura do Ricardo Sarmento é pura invenção do presidente municipal do DEM, Sérgio Rezende.

Não está claro o porquê do controverso presidente municipal do DEM, Sérgio Rezende, uma pessoa acostumada a negociações espúrias, conforme palavras ditas por Júlio Campos, no áudio, querer inventar a candidatura de Sarmento para o comando da administração pública municipal e o próprio Júlio aceitar.

Para fazerem o quê, com a prefeitura, caso vençam as eleições???

E o que pensar das articulações divulgadas pelo jornalista Enock Cavalcanti, em seu Blog?

São valores em torno 15 milhões/ano, em contratos mantidos pela prefeitura, que podem ter causado a volúpia no DEM!!!

É uma chapa de profundas e marcantes indefinições, em vários campos. Deixarão tudo como está, pela satisfação dos interesses do presidente da ALMT, deputado Eduardo Botelho – DEM e outros, ou trabalharão a favor da população de Chapada dos Guimarães???

A quem trairão?

Quem vai trair quem, primeiro???

Vale sempre lembrar que com o orçamento público em cerca de 70 milhões de Reais, para o corrente ano de 2020, mas com projeções iniciais de dívidas estimadas da ordem de 30 milhões de Reais, observando-se que, estando em setembro, a chefe do executivo ainda não enviou à Câmara Municipal a Lei de Diretrizes Orçamentárias – LDO e a Lei do Orçamento – LOA, para o ano de 2021. Corre-se o risco de, por completa incompetência desta atual gestão, o próximo governo ter de repetir o orçamento de 2020.

O quadro é lastimável. Esta é a realidade!!!

Com 8 candidaturas no páreo, Chapada registra o maior número de candidaturas a prefeito dos últimos 15 anos. Essa “inflação” de candidaturas, muitas delas impulsionadas por forças ocultas, em um município onde não há segundo turno, acaba por beneficiar eleitoralmente o projeto de reeleição do PSDB da prefeita Thelma de Oliveira, que encara a campanha com o poder da máquina administrativa e muitos contratos lesivos, aos interesses da população, e com a suposta “oposição” fatiadas.

O novo vestido pelo velho!!!

O quadro é de muita indefinição, e isto não é nada bom!!!

Chapada não precisa de mais “invenções”, chega!

Vaidade e arrogância em política são a véspera do fracasso.

Qualquer pessoa prepotente, arrogante, agressiva, violenta ou demasiado impositiva não será bem-vinda na sua forma de ser e estar neste mundo moderno, e por que não dizer, também, na política administrativa do município de Chapada dos Guimarães.

Existem outros aspectos nesta chapa. Continua…no capítulo 2.

Paulo Bomfim é Cidadão e eleitor de Chapada dos Guimarães. Especial para a PAGINA DO E

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

cinco × 2 =