PREFEITURA SANEAMENTO

PARECE QUE JÁ COMEÇOU A BANDALHEIRA: Governo de Pedro Taques, que se nega a pagar reajuste de policiais civis, garantido pela Lei Complementar 540/2014, é suspeito de efetuar pagamento irregular (nada menos que R$ 3 milhões) para empreiteira de familiares do deputado Nininho. Secretário de Infraestrutura apresenta justificativa desmentida facilmente por dados do Fiplan. Marcelo Duarte, de forma equivocada e incompetente, diz que foi feito pagamento de serviços novos, contratados em janeiro, mas documentos mostram que grana liberada para Nininho é relativa a processos de 2014 – cujos pagamentos, pretensamente, estariam suspensos e sendo auditados. Governo estaria começando a pagar o preço pela vitória que teve ao eleger uma Mesa da Assembleia atrelada ao Paiaguás

Suspensão de pagamento a empreiteiras do Estado seria um blefe, questiona deputado Zeca Viana, do mesmo partido do governador Pedro Taques. É que um pagamento injustificado foi feito pelo Governo do Estado a empreiteira da familia do deputado Nininho

Suspensão de pagamento a empreiteiras do Estado seria um blefe, questiona deputado Zeca Viana, do mesmo partido do governador Pedro Taques. É que um pagamento injustificado foi feito pelo Governo do Estado a empreiteira da família do deputado Nininho, segundo denúncia feita no plenário da Assembleia pelo deputado Mauro Savi

Mudam as moscas, mas a merda, aparentemente, continua a mesma. Assim pode ser definido o debate que marcou o plenário da Assembleia Legislativa, neste seu início de trabalhos, no ano de 2015. É que o deputado Mauro Savi (PR) fez uma revelação que rendeu um debate infinito, que expôs aquele que talvez seja o primeiro escândalo da atual administração: a prática de pagamentos seletivos a empreiteiras de protegidos do governo de Pedro e do seu primo Paulo Taques.

Savi protocolou, na terça-feira (24), um requerimento-bomba solicitando informações do governador Pedro Taques (PDT) e do seu secretário de Fazenda, Paulo Brustolin, sobre o pagamento o pagamento de cerca de R$ 3,3 milhões feito no último dia 13 deste mês a construtora Trípolon. Esse pagamento de R$ 3 milhões a Trípolon contraria o decreto assinado pelo governador no início da gestão em janeiro que suspendeu qualquer tipo de pagamento para empresas. “Estou fazendo este requerimento para saber o por quê se pagou para um não para outros. Vivemos num país de direitos iguais”, ironizou o republicano.

Em apoio a Mauro Savi, os deputados Zeca Viana (PDT), Zé Carlos do Pátio (SDD) e Emanuel Pinheiro (PR) se revezaram, na tribuna, para cobrar do atarantado deputado Wilson Santos (PSDB), líder do governo na Assembleia, explicações sobre o pagamento feito.

Esse pagamento de R$ 3 milhões a uma empreiteira controlada por familiares do deputado Nininho acabou sendo justificada pelo secretário de Infraestrutura e Logística, Marcelo Duarte, como pagamento por novos serviços de tapa buraco contratados e realizados, de forma emergencial, nesse inicio de ano, na rodovia MT 130. Pelo menos foi o que Wilson Santos relatou da tribuna, depois de conversar com Marcelo.

.

A informação foi contestada, da tribuna, pelo próprio presidente regional do PDT – mesmo partido do governador -, o deputado Zeca Viana, para quem não há justificativa para pagamentos novos, no momento em que existe auditoria em andamento e a maioria das empreiteiras não tem recebido pagamento nenhum, porque todos os pagamentos de contratos do governo anterior estariam pretensamente suspensos, por ordem do próprio governador Pedro Taques, sempre apoiado por seu primo, Paulo Taques, chefe da Casa Civil. Além do mais, disse Zeca Viana, não haveria porque celebrar novos contratos com a empreiteira Tripolon já ele ainda teria ordens de serviço do ano passado a cumprir.

“Estou defendendo a transparência e a legalidade das coisas. Não se justifica o pagamento [à Tripolon Ltda]. Foi duvidoso! Apresentei requerimento pedindo explicações do governo e do secretário sobre as obras que está pagando”, disse Zeca Viana, rompido com o governador depois de ter sido “esfaqueado pelas costas” no processo de eleição da Mesa, em que sua candidatura a presidente foi impiedosamente dinamitada por articulações forjadas a partir dos gabinetes dos primos Pedro e Paulo Taques, no Paiaguás.

As explicações do secretário Marcelo Duarte cairam, por isso mesmo, em completo descrédito quando foram apresentados dados do Fiplan – Sistema Integrado de Planejamento, Contabilidade e Finanças do Estado de Mato Grosso,  que demonstram que a grana repassada a empreiteira Tripolon são relativos a processos de 2014. Ou seja, para beneficiar o deputado atrelado a seu gabinete, o governo de Pedro e Paulo Taques estaria furando a fila das empreiteiras, fazendo da sua alegada política de suspenção de todos os contratos uma piada, aparentemente com a finalidade de pagar os compromissos que teria assumido com o deputado Nininho durante o processo de eleição da Mesa.

Mauro Savi, com discrição, soltou uma bomba no colo do governador Pedro Taques e do seu primo, o chefe da Casa Civil Paulo Taques

Mauro Savi, com discrição, soltou uma bomba no colo do governador Pedro Taques e do seu primo, o chefe da Casa Civil Paulo Taques

 

MAIS INFORMAÇÃO

 Zeca Viana mantém dúvida sobre pagamento a empreiteira mesmo após explicações de líder

Lidiane Barros e Jonas da Silva – Assessoria

O deputado Zeca Viana (PDT-MT) não se deu por satisfeito com as justificativas apresentadas na tribuna, na manhã desta quarta-feira (25/2),  pelo líder do governo, Wilson Santos (PSDB), a respeito da liberação de pagamento à empresa pertencente à família do primeiro-secretário da Assembleia, Ondanir Bortolini, o Nininho (PR).

Ainda que o governo tenha decretado a suspensão de todos os pagamentos pelo prazo de 90 dias no início do governo até a conclusão das auditorias, a Construtora Tripolo foi beneficiada no dia 19 de fevereiro, como consta no sistema Fiplan. Zeca Viana questiona o fato de empresa de político receber pagamento prioritário.

“A Tripolo ganhou a licitação. Empreiteira de deputado não pode pegar obra, não deve ser favorecida. Como ele tem influência, é curioso e gera dúvida. Estou defendendo a transparência e legalidade das obras”.

O líder do governo explica que os pagamentos foram feitos com base em processo legal de licitação e em medida emergencial, com auditoria.

“Não vejo problema nenhum. São contratos realizados na gestão anterior, foram auditados e o governador autorizou o pagamento. Não tem nenhum problema de licitação ou auditagem, os contratos foram pagos legalmente”, defendeu Wilson.

Wilson explicou que uma das condicionantes para a empresa receber era elas fazerem a recuperação como cortesia de rodovias na região metropolitana, como as que ligam Cuiabá a Chapada dos Guimarães (MT-251), Santo Antonio do Leverger (MT-040) e Nossa Senhora do Livramento (MT-060). Mas o deputado Zeca Viana questionou a negociação.

“Isso gera muita curiosidade, especialmente para quem acompanhou as manobras do antigo secretário da Sinfra Cinésio e os deputados Nininho e Wellington Fagundes”, avaliou o pedetista.

“O secretário atual se sente obrigado a fazer esse pagamento, ainda que a empreiteira tenha recebido uma ordem de serviço em junho do ano passado para realizar as obras na MT-130 e ainda não o fez. E ainda assim, o governo se sente obrigado a pagar o que era de responsabilidade do governo anterior?”

As críticas do deputado sintonizam com o trabalho de cobranças e apontamento de falhas que tem feito desde o início do mandato anterior em 2011.

“Um erro não justifica o outro. Chamar uma empreiteira, se ela tinha o que fazer e não o fez. Agora, ele deve prestar esclarecimentos. Cargas e caminhões já foram roubadas, a estrada está intransitável. Alguns ganham, mas a sociedade fica à deriva”.

Por fim, o deputado Zeca Viana alertou os companheiros que os processos licitatórios são passíveis de curiosidade, especialmente quando deputados são beneficiados.

4 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 189.59.56.152 - Responder

    Em casa, assistindo “Scandal”, penso, em que meu Estado se diferencia nesses jogos de poder?

  2. - IP 187.53.0.167 - Responder

    Pode ser apenas o começo!… Pasmem senhoras e senhores.

  3. - IP 177.193.129.51 - Responder

    “Por fora bela viola, por dentro pão bolorento- Esta é imagem que tenho do governo de Dom Pedrito I,o discurso cheio de promessas e falas vazias cai por terra antes dos cem dias de governo. É apenas uma extensão do desgoverno de seu amigo Mauro Mentes, que nada faz para o povo e apenas procura agradar aos baroes do transportes publicos, os gestores da agua e a chuva de pardais para arrecadar facilmente nas costas dos motoristas que não tem nem ao menos asfaltos decentes para andar. Dom Pedrito com certeza pouco diferenciara de Silval,Riva e Blairo Maggi, basta ver os pagamentos feitos a empreiteiros amigos.

  4. - IP 179.253.63.119 - Responder

    Pedrito pensa que trata exclusivamente com trouxas. Daqui a pouco se ferra. Esperem um pouco.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

seis + 19 =