Para RENATO GOMES NERY, a escolha da nova secretária de Cultura do Estado, “de formação intelectual desconhecida e sem vínculo cultural com os nossos costumes e tradições”, é o fim da picada

No caminho, com Maiakóvski
Renato Gomes Nery

Tenho feito uma série de artigos abordando o descaso e o abandono com que são tratadas pelas autoridades as coisas da nossa terra e da nossa gente. Insurgi-me contra a destruição do Verdão. Contra as obras de mobilização urbana que a população desconhece. Contra o VLT. Contra o corte indiscriminado de quase 3000 árvores para que possa implantar os veículos do VLT. Contra e o endividamento exagerado do Estado para que tudo isto se realize. Contra os incentivos fiscais indistintos que beneficiam os grandes e o arrocho fiscal com que são tratados os médios e pequenos empresários. Enfim contra a apatia da população e de setores organizados da sociedade que assistem tudo bovinamente.

Já falei do apossamento do poder político por gestores sem compromissos com os nossos costumes e tradições. E pela truculência de quem acha que a força da grana tudo pode e tudo faz. E agora enfatizo a nomeação da nova Secretária de Cultura do Estado de formação intelectual desconhecida e sem vínculo cultural com os nossos costumes e tradições. Não se assustem se os áulicos não lhe derem também um assento na Academia dos Imortais das Letras do Estado. Enfim perdemos tudo: a nossa identidade, o nosso brio, o nosso poder de reagir e de indignar. A situação descrita é a materialização de um trecho do poema “No Caminho, Com Maiakóvski” – de exaustiva citação durante o regime militar – atribuído ao genial poeta Bertold Brecht e ao poeta russo Maiakóvski, mas de autoria do nosso querido poeta Eduardo Alves da Costa, publicada no livro do mesmo nome, pela Editora Geração Editorial – 2003 – pag. 47):

– Na primeira noite eles se aproximam
e roubam uma flor do nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem;
pisam as flores, matam nosso cão,
e não dizemos nada.
Até que um dia,
o mais frágil deles
entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a luz, e,
conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E já não podemos dizer nada -.

Renato Gomes Nery é advogado em Cuiabá.
E-mail – [email protected]

3 Comentários

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 201.57.233.221 - Responder

    OPS… E DESDE QUANDO CONHECIMENTO DA ÁREA E REPUTAÇÃO ILIBADA SÃO CRITÉRIOS ADOTADOS PARA ALGUEM OCUPAR CARGOS NO GOVERNO??? ALÉM DO QUE, A ATUAL SECRETÁRIA É, NADA MAIS NADA MENOS, QUE ESPOSA DO RIVA. QUER “QUALIDADE” MAIOR QUE ESSA???

  2. - IP 177.41.89.108 - Responder

    Dr. Renato,em MT ,os homens de bem ,são humilhados diariamente com as noticias sobre as seguidas vitórias do miudo e poderoso Riva.Ele venceu!Ele manda em todos os poderes,sem distinção.Quem quiser ser alguma coisa em MT,candidato,ocupar cargo,ou trabalhar em alguma midia deve pedir benção ao ¨baixinho¨.ISSO È UMA VERGONHA!

  3. - IP 201.40.42.68 - Responder

    o doutor está falando de dona jane te riva, não é mesmo? coisa triste uma secretaria de cultura ficar na mão de uma pessoa que não tem nada a ver. os artistas deviam protestar e não aceitar

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

2 × cinco =