ONOFRE RIBEIRO: Registro os meus respeitos e admiração pela atitude solidária e humanitária de Mauro Mendes com a esposa Virgínia Mendes.

O rim do Mauro
Confesso que fiquei muito impressionado e emocionado com a disposição do prefeito

ONOFRE RIBEIRO

Edison Rodrigues/Secom/MT

Na última sexta-feira pela manhã o engenheiro Mauro Mendes, também prefeito de Cuiabá, foi operado em São Paulo para doar um rim à sua esposa, Virgínia Mendes. Gostaria de falar sobre isso. Na verdade, gostaria de falar sobre o gesto de Mauro em relação à Virgínia. Casualmente ele é o prefeito de Cuiabá. Mas há mais de 20 anos são casados e ela é sua esposa. Este fato é permanente e o que realmente importa.

Ela vem sofrendo com esse problema de rins faz muito tempo. No extremos de ter que operar, criou-se aquela situação da doação e do doador de um rim para que ela continue vivendo. Ela é jovem. Tem 41 anos.

“Confesso que fiquei muito impressionado e emocionado com a disposição do Mauro em submeter-se à cirurgia, mesmo sabendo que daqui pra frente sofrerá algumas limitações”

O gesto de doação do rim é simbólico. Primeiro, o fato do marido se dispor a dividir um órgão com a esposa. Segundo, a cumplicidade conjugal. Terceiro, o gesto humano e solidário de amor incondicional. E, por último, o fato dele ser prefeito da capital de Mato Grosso torna o gesto mais simbólico ainda porque dá um exemplo de grande visibilidade para um tema que ainda é tratado como tabu ou com reservas pela sociedade brasileira.

Quando se tem relacionamento longo com outra pessoa, especialmente no caso conjugal, a cumplicidade se torna inevitável. Porém, isso não determina a solidariedade. Esta é um gesto individual e uma escolha com base numa série de valores. Mas é fundamentalmente um gesto solidário.

Confesso que fiquei muito impressionado e emocionado com a disposição do Mauro em submeter-se à cirurgia, mesmo sabendo que daqui pra frente sofrerá algumas limitações na sua vida biológica.

Dizem os conceitos espirituais que o poder de escolha que todos temos pode ser usado segundo o livre arbítrio, mas produz em conseqüência, desdobramentos proporcionais à importância do gesto. Chico Xavier tem um conceito que me agrada muito: “A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória”. Penso que o efeito multiplicador da atitude de Mauro será muito grande pela posição que ocupa na sociedade. Quem sabe, abra mais esse assunto que está presente na vida de tanta gente mas fica mais no silêncio do que na voz das ruas.

Registro os meus respeitos e admiração pela atitude solidária e humanitária de Mauro com a esposa Virgínia Mendes. Saúde e vida longa aos dois.

*ONOFRE RIBEIRO é jornalista em Mato Grosso e colunista do site MidiaNews.

Categorias:Plantão

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

1 × cinco =