ONDA VERMELHA – Paulo Garcia, candidato do PT em Goiânia, aumenta vantagem sobre adversários e deve ser reeleito no 1º turno

O PT é maior do que o Mensalão. Ou será encarado como um mal menor, diante da caterva de  partidos como o PSDB, o DEM, o PP? O fato é que a “onda vermelha” está crescendo. Confira o noticiário. (EC)

Paulo Garcia aumenta vantagem sobre os demais candidatos
A menos de uma semana para o fim da campanha, petista sobe dois pontos porcentuais e agora tem 58,4% dos votos válidos

Frederico Vitor
JORNAL OPÇÃO, DE GOIANIA

A poucos dias para as eleições em Goiânia, os números da pesquisa Fortiori/Jornal Opção, realizada no período de 24 a 27 de setembro  — segunda a quinta-feira da semana passada — demonstra aumento da larga vantagem do candidato Paulo Garcia, do PT, sobre os demais adversários. Se as eleições fossem hoje, o petista teria 58,4% dos votos válidos. Um aumento de 2,4% pontos porcentuais em relação ao índice divulgado na semana passada. O segundo colocado, Jovair Arantes, do PTB, também cresceu, e agora tem 18,0%, aumento de 1,7% ponto porcentual.

Como de praxe, foram entrevistadas 600 pessoas, também a exemplo das pesquisas divulgadas anteriormente, eleitores de 87 bairros de diferentes regiões da capital foram ouvidos. A margem de erro é de quatro pontos para mais ou para menos. Foi feita uma checagem de 20% dos questionários, como determinam as normas para esse tipo de levantamento. A pesquisa foi registrada no TRE-GO no dia 25 de setembro de 2012, sob o número de protocolo GO-00324/2012, podendo ser publicada a partir do dia 30 de setembro de 2012.

Na pesquisa espontânea, Paulo Garcia dispara na frente dos demais, com 36,8%, contra 10,6% de Jovair Arantes e 4,8% de Elias Júnior, do PMN. Em seguida, vem o prefeitável do PSC, Simeyzon Silveira, com 4,2%, à frente de Isaura Lemos, do PCdoB, com apenas 2,2%. O professor Reinaldo Pantaleão, do PSol, aparece com 1,0%. Indecisos somam 27,3% e quem vota nulo ou em branco, 12,8%. O que se observa no comparativo com a pesquisa anterior a esta, foi pouca mobilidade e mudança do cenário. Apenas o candidato do PSC aumentou 0,8 ponto porcentual, e queda da candidata comunista, com 0,8% ponto a menos.

Paulo Garcia tem agora confortável 40,4% de votos válidos a frente de seu principal adversário, o candidato apoiado pelo Palácio das Esmeraldas, Jovair Arantes. Isso demonstra que aumentou ainda mais a vantagem na reta final da campanha. A tendência é mais do que favorável ao candidato do PT, que está a um passo de garantir a permanência no Paço Municipal por mais quatro anos já em primeiro turno. Faltando apenas uma semana para o pleito, a expectativa é de um massacre nas urnas do candidato apadrinhado por Iris Rezende, que entregou a prefeitura com 70% de aprovação.

Entretanto, deve-se ressaltar a quantidade de indecisos, que ainda é alta, tanto na espontânea quanto na estimulada. Os que declararam votar em branco e nulo também estão em número elevado. Nos votos válidos, além do líder Paulo Garcia, destaque para o bom desempenho de Elias Júnior e Simeyzon. Ambos aumentaram mais de 1,0% em uma semana. Isaura também cresceu, e dos nanicos, apenas Professor Pantaleão teve aumento no índice de intenção de votos. José Netho, do PPL, e Rubens Donizzeti, do PSTU, continuam com os mesmos números da pesquisa da semana passada, 0,7% e 0,2% respectivamente.

Estimulada

Nesta terceira pesquisa, o quadro da estimulada de intenção de votos não houve alterações significativas nos porcentuais. Paulo Garcia permanece com o mesmo porcentual e continua bater com folga todos os demais com 42,8%. Nenhum ponto a mais ou a menos do que na pesquisa divulgada na semana passada. O petista fez aumentar ainda mais a vantagem para o segundo colocado, Jovair Arantes, graças a sua retração de pontos. Agora são 29,7% de diferença entre o candidato à reeleição e o petebista. O candidato do PMN, Elias Júnior, apresenta agora 6,3 pontos, uma perda de 2,2 pontos do que no porcentual da segunda pesquisa.

Simeyzon Silveira, o candidato apoiado pelo chamado novo bloco político de Goiás, que aglutina o seu partido, o PSC, que há tempos é patrocinado por Vanderlan Cardoso, pelo DEM do deputado federal Ronaldo Caiado e pelo PRP de Jorcelino Braga, está com 5,5% —  redução de 1,5% ponto se comparado ao índice divulgado na segunda pesquisa. Parece que mesmo mudando o discurso, adotando uma retórica mais agressiva e crítica a Paulo Garcia, o candidato apresenta perda de fôlego na reta final da campanha.

Isaura Lemos está agora com 3,2%. A exemplo de Simeyzon, também apresentou ligeira queda, com 0,8 ponto a menos do que na segunda pesquisa. Interessante notar que ambos os candidatos vinham em uma linha crescente nas duas últimas semanas. Mas, agora, sofreram quedas drásticas se comparados ao desempenho dos outros adversários. O candidato do PSol, Professor Pantaleão, estagnou em 1,7 ponto na estimulada. Rubens Donizzeti e José Netho também não registraram progresso nem regresso nos índices. Em linhas gerais a estimulada mostra o mesmo de há duas semanas, ou seja, vitória fácil de Paulo Garcia em primeiro turno.

A uma semana para o pleito, as chances de mudança do quadro eleitoral em Goiânia são mínimas. A iminente vitória de Paulo Garcia em primeiro turno parece estar definida e sem possibilidade para uma eventual virada, se os números da Fortiori se confirmarem no dia das eleições. Mesmo com o acréscimo de quase dois pontos porcentuais nos votos válidos para Jovair Arantes, não há mais tempo hábil para uma alavancada na reta final de campanha. O que se desenhava um processo eleitoral mais equilibrado está se revelando um verdadeiro passeio da candidatura petista.

Paulo Garcia não cometeu erros e teve a calma necessária para manter a folgada vantagem. Em três semanas o cardiograma das pesquisas foram praticamente os mesmos. Sem nenhuma alteração relevante.  O que os fatos e os acontecimentos nessa última semana indicam,é mesmo a consagração do candidato à reeleição para se tornar o segundo prefeitável a liquidar a fatura em primeiro turno. O primeiro foi seu padrinho e tutor político, o ex-prefeito Iris Rezende. O domínio da aliança PT e PMDB a frente do Paço Municipal caminha para oito anos ininterruptos. Se somado a primeira gestão de Iris Rezende e a de Pedro Wilson, o período de supremacia dos partidos de oposição ao governo estadual caminha para 16 anos.

A base aliada de sustentação ao governador Marconi (PSDB) há 12 anos não comanda a prefeitura da capital. Desde que se ascendeu ao Palácio das Esmeraldas, o governador teve apenas Nion Albernaz como correligionário na Prefeitura de Goiânia por apenas dois anos. De 2000 até os dias atuais o Paço não se alinha ao inquilino da Casa Verde. Isso demonstra desarticulação e fragilidade do PSDB e dos partidos aliados na capital. O último quadro tucano que disputou o pleito municipal foi Lúcia Vânia, isto há 12 anos. De lá para cá, o governo do Tempo Novo sempre optou por aliados de outros partidos para a disputa eleitoral no município.

Jovair Arantes, que sempre conseguiu ser bem votado em Goiânia para a Câmara Federal, parece não ter capitalizado mais eleitores para seu projeto de 2012. O petebista sempre muito bem articulado — coordenador da bancada goiana no Congresso Nacional — nunca escondeu a vontade de tentar a sorte em uma eleição na capital. Aproveitando as circunstâncias de crise política no executivo estadual viu neste ano o momento oportuno para colocar em curso o seu projeto político para Goiânia. O que prometia ser uma campanha ostensiva e repleta de recursos, numa eleição atípica, não mobilizou a sociedade e vem agonizando nessa reta final de campanha.

Elias Júnior poderá sair fortalecido neste pleito para seu projeto de reeleição ao legislativo goiano em 2014. As pesquisas, levando em consideração a margem de erro para mais e para menos, o apontam como o terceiro prefeitável mais bem votado. Isaura Lemos, que no início da campanha parecia ser umas surpresa, não vem conseguindo recuperar o bom desempenho nas pesquisas como no início do processo eleitoral. O declínio da comunista nas pesquisas de intenção de votos poderá servir de alerta para a manutenção de sua vaga no Palácio Alfredo Nasser em 2014.

Simeyzon Silveira, que nas duas primeiras pesquisas demonstrou crescimento, nesta semana apresentou uma breve queda. O candidato que foi ungido pela nova frente política que se formou em Goiás, parecia que iria manter o ritmo crescente nesta reta final de campanha. Segundo a pesquisa Fortiori, o seu desempenho nas urnas deverá ficar mesmo nos 7,5 pontos porcentuais. Mas a engenharia política formada em torno de seu nome, com quadros como o do deputado federal Ronaldo Caiado (DEM) e o empresário e ex-prefeito de Senador Canedo, Vanderlan Cardoso, conseguiu o objetivo de torná-lo conhecido para as eleições em 2014, que provavelmente será para o legislativo estadual.

Dos candidatos de extrema esquerda, apenas o Professor Pantaleão exibe vitalidade política nessa reta final de campanha, com 2,3% de pontos na intenção de votos. O prefeitável que tem ligações com a classe dos professores e no meio estudantil, diante de sua modesta estrutura de campanha, poderá ser bem votado. Ao contrário de José Netho, que foi apenas um nome encontrado pelo PPL para se apresentar com nova legenda em meio às dezenas que existem no Brasil. Rubens Donizzeti, do PSTU, também apenas cumpre tabela. O partido afastou do antigo aliado, o PSol, após um quadro psolista ter sido relacionado ao caso Cachoeira.

Esta é a última semana que antecede as eleições. O alto índice de eleitores ainda indecisos tem poucos dias para se decidir em que votar. Se é que vão optar por algum candidato, haja vista a apatia política que se abateu na sociedade. Esta não foi uma campanha empolgante e que trouxesse a sociedade para o debate. O líder nas pesquisas tentou inovar com o mote sustentabilidade, e parece  ter sido compreendido. Em um último suspiro, Jovair vem propagando o projeto do Plano de Saúde municipal. Não há certeza se as promessas como esta surtirão efeito às vésperas das eleições. Essa questão só o eleitor saberá responder.

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 201.67.63.26 - Responder

    Em Cuiabá a onda vermelha também tomou conta, aqui vai dar Lúdio no primeiro turno !!!

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

onze + 20 =