O vereador Dilemário apóia os radares eletrônicos – mas não apóia muito. O vereador Dilemário apóia o prefeito Mauro e as políticas da prefeitura – mas não apóia muito. O vereador Dilmário precisa se decidir. Comportamento torto só provoca confusão – e desgaste pessoal para ele. Além do mais, colocar a cara em outdoors pela cidade, é desafiar o Ministério Público Eleitoral (que parece que está olhando pra outro lado) e fazer propaganda eleitoral antecipada

dilemario multasO vereador Dilemário Alencar adota uma postura confusa. Imaginem: o vereador Dilemário Alencar compõe a base aliada do prefeito Mauro Mendes mas anda espalhando pela cidade de Cuiabá uma série de placas enormes contestando a política adotada pela administração de Mauro Mendes com relação aos radares eletrônicos.

Claro que o vereador Dilemário anda pensando que pode pontificar como o Sérgio Ricardo dessa nova geração – e ganhar um votinhos confrontando os radares eletrônicos. Só que o Dilemário não confronta os radares eletrônicos pra valer. Ele achou um jeito de aparecer dizendo que não é contra os radares mas que a localização dos radares deve ser melhor sinalizada. Mas, com essa sua campanha (quem é que paga? quanto é que custa?), Dilemário acaba expondo a estrutura que a prefeitura do Mauro montou em torno dos radares. Coisa que nenhum vereador fez até agora. Então, o vereador Dilemário tá querendo pontificar como líder não assumido da oposição ao prefeito?

Vá entender esses vereadores e essa Câmara de Cuiabá. Será que o vereador Dilemário não tem coragem de se assumir como vereador independente? Será que ele não tem outras lutas mais urgentes nas quais se engajar? Com seus coloridos outdoors espalhados pela cidade, é evidente que o vereador Dilemário está fazendo campanha antecipada, sem que o Ministério Público Eleitoral tenha olhos para isso. Tudo bem que o vereador Dilemário dispute espaço na mídia com suas idéias e ideais, mas começar a gastar dinheiro para colocar sua cara diante do público, é qualquer coisa que me parece ilegal.

Aqui na PÁGINA DO E tenho defendido que ao invés de radares a prefeitura deveria usar os “amarelinhos” para essa vigilância sobre o excesso de velocidade dos motoristas. Assim, não haveria fiscalização em lugares fixos,  os “amarelinhos” se espalhariam por aqueles trechos de avenidas onde tem se registrado o maior número de acidentes e atropelamentos – e exerceriam uma vigilância menos mecânica, digamos assim, do que esses radares que, além do mais, cobram da Prefeitura um custo que seria todo investido no equipamento humano da administração pública, e não em uma empresa que geralmente vem de fora faturar aqui. Acredito que, dessa forma, se identificaria e se puniria aqueles motoristas que, efetivamente, se comportam no trânsito como kamikases, como assassinos. Para isso, o olhar humano me parece essencial. Além do mais, os “amarelinhos” já estavam e estão dentro do orçamento da Prefeitura, antes dessa ideia dos radares, etc, etc.

Gostaria de ver o vereador Dilemário Alencar apresentando uma proposta melhor articulada nesta questão. Mas parece que não. O vereador Dilemário Alencar parece que só quer fazer arruaça e tentar ganhar um votinhos. Mas, como integrante da base aliada, fica esquisito, não fica? Ainda mais que seu questionamento é meio ilógico, os radares trabalham dentro de uma lógica que é essa mesma, provocar um prejuizo no bolso do apressadinho de tal forma que ele compreenda que não só ali, naquele trecho em que foi implantado o radar, mas em toda as principais vias de Cuiabá, o limite máximo de velocidade é de 60 quilômetros por hora.

1 Comentário

Assinar feed dos Comentários

  1. - IP 191.222.118.63 - Responder

    É Dilemário no exercício da demagogia. Claro, precisa urgente encontrar um modo de fazer política com seriedade.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

dezesseis + 3 =