Pau tá quebrando entre cumpinchas de Zé Pedro Taques. Fávaro leva Percival à Justiça

Percival e Fávaro

Percival e Fávaro

Fávaro vai ao TJ e MP visando apurar a acusação de Percival

Do Diário de Cuiabá

O vice-governador Carlos Fávaro (PSD) entrou na Justiça para que o prefeito de Rondonópolis, Percival Muniz (PPS), dê explicações sobre declarações que teria dado na semana passada sobre a formação do Partido Social Democrático (PSD) em Mato Grosso.

Na ação protocolada ontem (11) no Tribunal de Justiça (TJMT), Fávaro pede que Percival responda sobre as supostas afirmações divulgadas em um grupo do aplicativo Whatsapp em que caluniou Fávaro e seu assessor Renancildo Soares França, afirmando que o assessoria estaria “ofertando generosas e polpudas doações financeiras para filiar lideranças no interior do Estado”.

A denúncia foi divulgada pelo deputado estadual Max Russi (PSB) no plenário da Assembleia Legislativa.

Segundo o vice-governador, a medida é para conservar e resguardar seus direitos. Fávaro também solicita a apuração dos fatos e se coloca à disposição para que a verdade seja estabelecida. “Não entrei para política para vagabundagem. As informações são irresponsáveis. Apurados os fatos, exijo que seus autores sejam responsabilizados. O novo jeito de fazer política de forma séria, transparente, de diálogo e compromissada precisa ser respeitado. A sociedade não aceita mais a velha política”, afirmou.

Acompanhado do seu assessor Renancildo Franca e do advogado Álvaro da Cunha Neto, Fávaro também esteve no Ministério Público Estadual em audiência com o procurador-geral de justiça Paulo Prado.

Fávaro se colocou à disposição para ser investigado, exigindo que os fatos sejam esclarecidos. Enfatizou que não admite a injustiça que está sendo praticada contra a sua honra e moral e contra de seu assessor. A assessoria jurídica do vice-governador reforça que todas as medidas judiciais para repelir as calúnias e injúrias proferidas já estão sendo tomadas, tanto na esfera penal, como na cível. São duas interpelações, uma em nome de Fávaro e outra em nome de seu assessor. “A interpelação realizada é a oportunidade do interpelado, no caso o prefeito Percival Muniz, esclarecer em juízo a verdade, ou seja, é a oportunidade do ofensor comprovar o fato”, explicou o advogado Abel Sguarezi.

Procurado pela reportagem, o prefeito Percival Muniz não foi localizado para comentar a medida.

Sem comentários. Seja o primeiro a comentar

Assinar feed dos Comentários

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos com * são obrigatórios.

12 − 8 =