(65) 99638-6107

CUIABÁ

O mundo sobre rodas

VW terá Amarok com 400 cv para rivalizar com a linha Raptor da Ford

Publicados

O mundo sobre rodas


source
Modelo terá como base o motor V6 TDI, mas com potência de Audi RS3, quando ainda falamos de carros do grupo VW
Divulgação

Modelo terá como base o motor V6 TDI, mas com potência de Audi RS3, quando ainda falamos de carros do grupo VW

A VW confirma que a segunda geração da picape Amarok virá com o motor V6 TDI para entregar 400 cv, na versão esportiva R. A ideia é rivalizar com a linha Raptor da Ford, ainda que ela tenha ajudado a Volks no desenvolvimento da picape. Ambas as fabricantes fecharam aliança para o Project Cyclone, que produz veículos comerciais, carros elétricos e tecnologias semi-autônomas.

Entre as outras informações conhecidas sobre a nova geração da Amarok , sabemos que será será 100 milímetros mais comprido e mais de 40 mm mais largo que seu antecessor, bem como adotará a mesma mecânica que a Ford já confirmou para a nova Ranger: 2.0 turbodiesel , 2.0 turbodiesel, além do V6 TDI.

Leia Também:  Volvo inicia pré-venda do crossover 100% elétrico C40 Recharge

“Há oportunidade para todo tipo de produto no segmento de picapes . Uma Amarok R é definitivamente uma opção. É o que estamos desenvolvendo e investigando no momento “, disse Ryan Davies, diretor de Veículos Comerciais da VW, em entrevista à revista australiana Cars Guide.

Desenvolvida como um modelo global, a novidade será vendida em diversos países e fabricada em Sillverton (Africa do Sul). Ainda está em dúvida se também será montada em Pacheco (Argentina). A nova VW Amarok vai chegar ao mercado europeu em 2022.

No Brasil, pelo menos por enquanto, continuará vindo da Argentina a primeira geração da picape Amarok . Em 2023, porém, está confirmada a chegada da nova Ford Ranger. Se a versão R vier, será a única da espécie no mercado brasileiro, e promete entusiasmar os apaixonados por velocidade.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

O mundo sobre rodas

Próxima geração da Audi RS6 será híbrida Plug-in

Publicados

em

Geração atual (C8) vai de 0 a 100 km/h em 3.5 segundos. Como elétrico, poderá ser ainda mais rápido
Divulgação

Geração atual (C8) vai de 0 a 100 km/h em 3.5 segundos. Como elétrico, poderá ser ainda mais rápido

A próxima geração da Audi RS6 será um híbrido do tipo plug-in, a informação foi confirmada por Stephan Reil, Head de Pesquisa e Desenvolvimento da Audi, ao portal Wheels.

“Estamos no caminho (da transição para modelos híbridos), na próxima geração, posso garantir que vai haver algo nesse sentido. É nosso caminho para carros elétricos ”.

A geração atual da Audi RS6 (C8) possui um V8 bi-turbo de 4.0 litros, herdado da geração anterior, porém, conta com um pequeno motor elétrico auxiliar de 48 volts, fazendo dela um carro híbrido leve.

Reil não informou muitos detalhes, mas sua fala indica que a evolução da RS6 passará por uma geração híbrida antes de se tornar 100% elétrica.

Leia Também:  De volta para o presente: DeLorean divulga imagem de seu próximo carro

Tal movimento foi feito recentemente pela Mercedes, que tirou o tradicional V8 4.0 da C63 AMG e instalou um motor de quatro cilindros, 2.0 litros, com um conjunto elétrico. O objetivo é atender as demandas de emissões de poluentes.

Um eventual “downsizing” não seria novidade para a RS6. A geração C6 era equipada com um motor V10, mas não resistiu às regras ambientais e foi substituído pelo V8 atual na geração seguinte, a C7.

Reil destaca a capacidade da Audi em se reinventar para continuar entregando ótimos referenciais de performance na RS6 apesar das restrições.

“Após a geração C6, as restrições de emissões de CO2 ficaram cada vez mais restritivas. Na C7 mudamos do V10 para o V8 com desativação de cilindros, agora o sistema híbrido-leve.” Concluiu.

Leia Também:  Volvo inicia pré-venda do crossover 100% elétrico C40 Recharge

“Um sistema híbrido dá uma possibilidade maior de modos de condução, além da possibilidade de usar a eletrificação para compensar pontos fracos do motor a combustão.” Encerrou o executivo.

A geração C8 está no mercado desde 2020, e deve ter uma vida útil de cerca de 5 anos, então, deverá ser substituída em meados de 2025 ou 2026.

Sabendo que a Audi não irá mais desenvolver motores a combustão após 2026, não será surpresa caso a geração C10 seja apenas elétrica,

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA