(65) 99638-6107

CUIABÁ

O mundo sobre rodas

Vendas do Kia Rio são suspensas e correm o risco de não voltarem

Publicados

O mundo sobre rodas


source
Kia Rio, de fato, tem muitas qualidades. Entretanto, sua vida ficou difícil nesse momento delicado da economia no Brasil
Divulgação

Kia Rio, de fato, tem muitas qualidades. Entretanto, sua vida ficou difícil nesse momento delicado da economia no Brasil

O Kia Rio nunca teve vida fácil no Brasil. Apenas quatro meses após chegar ao nosso mercado, do México, ganhou reestilização no restante dos mercados onde ainda hoje é vendido. Sem a atualização, manteve-se envelhecido enquanto durou, com ofertas que se limitavam à versão de topo.

Com o aumento do dólar, encareceu, até que, conforme observamos no site da Kia , já não é mais oferecido. Ainda não há confirmação sobre o futuro do Rio  no Brasil, pelo menos por enquanto.

Além do mais, a falta de semicondutores , que afetou o mundo todo, complementa o problema da falta de oferta. E, como se não bastasse, fabricantes têm optado por direcionar aquilo que têm conseguido produzir aos mercados com maior demanda, em detrimento a aqueles que são menos expressivos.

Leia Também:  Veja vídeo do teste do Jeep Compass 1.3 turbo na terra e no asfalto

No caso da Kia , o próprio México (país onde o modelo é produzido), tem mais prioridade para o direcionamento da linha de produção do que o Brasil.

Perdeu fôlego

Vinha bem equipado e com visual moderno. Difícil para as vendas foi sua subida de preços na ordem dos 20%
Divulgação

Vinha bem equipado e com visual moderno. Difícil para as vendas foi sua subida de preços na ordem dos 20%

Sem o hatch compacto , o modelo mais em conta que a fabricante coreana oferece no Brasil é o Cerato (R$ 124.990), este que também ganhou retoques no desenho, mas, por aqui, ainda é oferecido na versão anterior. Logo acima está um derivado do Rio, o SUV compacto Stonic , lançado esta semana no Brasil em versão única, por R$ 149.990.

Apesar de tudo, o Kia Rio podia ser considerado um carro interessante. Vinha com visual distinto, central multimídia de 8 polegadas, display de 4,2 polegadas no painel de instrumentos e faróis full-LED de série. De fato, era uma opção dentro de seu segmento que atendia aos interessados por fugir das fabricantes nacionais.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

O mundo sobre rodas

GM investe US$ 51 milhões para motores elétricos da picape Silverado

Publicados

em


source


A previsão é de lançar o Silverado EV em 2023. Antes disso, no no que vem, versão V8, a combustão deverá chegar ao Brasil
Divulgação

A previsão é de lançar o Silverado EV em 2023. Antes disso, no no que vem, versão V8, a combustão deverá chegar ao Brasil

Para ampliar o seu leque de ofertas de utilitários elétricos, a GM anuncia um investimento de US$ 51 milhões para apoiar fundições de unidades de propulsão para o Chevrolet Silverado EV, cuja v ersão a combustão deverá desembarcar no Brasil em 2022 .

Até então, quem optasse por um utilitário da GM, teria o Hummer e o Lyriq , ambos bem caros para a maioria até para o bolso dos norte-americanos. Assim, a Silverado elétrica seria, digamos, um modelo de entrada para o mundo dos ‘EVs’.

De acordo com a marca, a previsão é de lançar o Silverado EV em 2023 cuja fabricação será na planta da GM em Michigan na Factory Zero, e compartilhará a plataforma BEV3 com o Hummer.

Leia Também:  Avaliação de produtos: lanternas de LED

Leia Também

A Factory Zero é uma fábrica exclusiva para veículos elétricos e foi inagurada recentemente só para atender aos novos conceitos de eficiência e zero emissões e que servirá de modelo para as futuras instalações da GM como a nova Silverado.

Todo o sistema de acionamento da picape totalmente elétrica será produzido na Bedford Aluminium Casting Facility, com sede em Indiana, após um investimento de U$$ 51 milhões.

Inaugurada em 1942, a fábrica da  GM já recebeu US$ 37 milhões em 2016, bem como US$ 127,4 milhões em 2015. O local emprega atualmente cerca de 900 trabalhadores.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA