(65) 99638-6107

CUIABÁ

O mundo sobre rodas

Veja 5 versões do Fiat Tempra que não tivemos no Brasil

Publicados

O mundo sobre rodas


source

O Fiat Tempra foi lançado na Europa em 1990. Substituto do modelo Regata, o sedã médio (que também deu origem à station wagon SW) era o primeiro produto da marca feito sobre a plataforma “Tipo tre”, que permitia compartilhar componentes com o hatch Tipo e também foi empregada em carros como o Alfa Romeo 155 e o Lancia Dedra.

No Brasil, o Fiat Tempra chegou já no ano seguinte. Mas era um carro bem diferente do italiano, com a carroceria do carro europeu sendo adaptada à plataforma do antigo Regata, que ainda era feito na Argentina, combinada a uma suspensão traseira do sedã grande Alfa Romeo 164 e detalhes visuais exclusivos. Outra exclusividade brasileira era a variação de duas portas.

Feito na Itália até 1996, o Tempra foi descontinuado no mercado brasileiro dois anos depois, quando foi substituido pelo Marea . Mas só entrou para a história definitivamente em 2002, quando a última unidade do modelo foi montada pela Mekong Auto, no Vietnã. Confira abaixo algumas versões que nunca tivemos no Brasil.

Leia Também:  Hyundai HB20S é boa alternativa para antigos donos de Ford Ka Sedan?

Tempra 1.4

Fiat Tempra 1.4
Divulgação

Fiat Tempra 1.4

O Fiat Tempra tinha um posicionamento diferente no mercado europeu. Era um carro médio, posicionado na linha da marca abaixo do Croma, modelo que compartilhava a plataforma com o Alfa Romeo 164 .

Já no Brasil, o papel do Tempra seria semelhante ao do Croma na Europa, o que explica a gama de motores usada por aqui, composta apenas por propulsores 2.0 (8V, 16V ou Turbo). Na Itália, a variação menos potente estava equipada com um motor 1.4 de quatro cilindros e alimentada por carburador, que desenvolvia 76 cv.

Tempra CVT

Fiat Tempra Selecta
Divulgação

Fiat Tempra Selecta

A Fiat já confirmou para este ano o lançamento da Strada com um câmbio automático CVT, o que fará da picape um dos primeiros modelos da linha brasileira da marca a trazer este tipo de transmissão.

Você viu?

Já na Itália dos anos 1990, o câmbio CVT, que era chamado de Selecta, chegou a ser oferecido largamente em toda a linha, incluindo no Tempra, onde era oferecido em conjunto com um motor 1.6 de 84 cv.

Leia Também:  Veja 5 carros feitos no Brasil que já passaram dos R$ 100 mil

Tempra SW 4×4

Fiat Tempra SW 4x4
Divulgação

Fiat Tempra SW 4×4

A versão station wagon do Fiat Tempra chegou a ser oferecida no Brasil. Importada da Itália e equipada com um motor 2.0 8V de 109 cv, trazia características bem distintas do sedã brasileiro, como um painel de instrumentos digital.

Mas uma configuração que nunca tivemos no mercado brasileiro foi a 4×4 . Era equipada com o mesmo motor 2.0 8V disponibilizado no Brasil e contava com um sistema de tração integral.

Tempra SW Van

Fiat Marengo
Divulgação

Fiat Marengo

O mesmo Tempra SW foi vendido no mercado italiano em uma variação para o transporte de cargas, chamada de Fiat Marengo.

Com o mesmo visual externo da versão básica de passageiros, trocava as janelas laterais comuns por vidros escurecidos e estava equipada com motores 1.9 diesel, com ou sem turbo, de 65 cv e 80 cv, respectivamente.

Tempra SW 16V

Fiat Tempra SW
Divulgação

Fiat Tempra SW

Além do Brasil, outro país que também produziu o Tempra por longo período foi a Turquia, onde a montagem do modelo pela empresa local Tofas começou em 1990 e seguiu até 1998.

O Fiat Tempra foi feito na Turquia nas carrocerias sedã e SW e era visualmente idêntico ao italiano. A perua, inclusive, tinha uma variação exclusiva equipada com o uma variação de 148 cv do motor 2.0 16V usado no carro brasileiro.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

O mundo sobre rodas

Nissan Kicks chega à linha 2022 com visual renovado e mais segurança

Publicados

em


source
Nissan Kicks 2022: SUV passa a ter novo visual que inclui grade dianteira maior e faróis estreitos entre os destaques
Divulgação

Nissan Kicks 2022: SUV passa a ter novo visual que inclui grade dianteira maior e faróis estreitos entre os destaques

A Nissan começa 2021 com uma oportunidade nas mãos. A marca japonesa entra na disputa pelo mercado de 117 mil carros que a Ford abandonou ao deixar a produção nacional para focar apenas na venda de importados. Dessa forma, o Kicks se torna um dos candidatos a captar antigos clientes do EcoSport. Que belo momento para lançar uma reestilização, não?

Mesmo com a pandemia, o Kicks teve bons resultados nos emplacamentos de 2020. Segundo a Fenabrave (Federação Nacional de Distribuição de Veículos), o SUV compacto produzido em Resende (RJ) emplacou 36 mil unidades no ano passado, superando HR-V (32 mil), EcoSport (24 mil) e o primo Duster (19 mil).

A Nissan espera melhorar o resultado com a reestilização de meia-vida do Kicks 2022. O objetivo do novo modelo será encostar nos líderes VW T-Cross , Jeep Renegade e Hyundai Creta . Para isso, a marca japonesa foi além da estética, e preparou um bom pacote cheio de novidades

Na linha 2022, o Kicks ganha novas nomenclaturas para suas versões. O modelo de entrada é o Sense , disponível com câmbio manual, por R$ 90.390,  e automático do tipo CVT, por R$ 98.390.  

A versão intermediária do Kicks passa a se chamar Advance , partindo de R$ 106.390, enquanto a topo de linha, Exclusive , parte de R$ 116.390 e com Pack Tech passa para R$ 119.390. A chegada nas lojas está prevista para meados de março e já existem 300 unidades em pré-venda. 

Segurança e equipamentos

Para começar, a marca recheou o Kicks com equipamentos de segurança. Na linha 2022, o modelo passa a contar com alerta de colisão frontal, assistente de frenagem, alerta de tráfego cruzado traseiro, monitoramento de ponto-cego e alerta de saída de faixa na versão mais cara. 

Leia Também:  As mudanças a curto (e a longo) prazo no mercado automotivo

A marca ainda adicionou faróis dianteiros full-LED, que além de estilosos, também proporcionam maior alcance noturno.Vale lembrar que desde seu lançamento, as versões mais caras do Kicks contam com seis airbags (frontais, laterais e cortina). 

O modelo Exclusive também inclui câmera 360° que facilita todos os tipos de manobra, ar-condicionado digital e sistema de som premium desenvolvido em parceria com a Bose. Mesmo sem contar com um subwoofer para graves mais vigorosos, o kit vai chamar atenção de quem se interessa por música.

Outro detalhe interessante é que desde a versão Advance, o Kicks terá cluster parcialmente digital com tela HD de 7 polegadas, no mesmo arranjo do Versa importado.

Você viu?

A central multimídia de oito polegadas foi atualizada com novo sistema nativo, integrando conexões para espelhamento do celular via Apple CarPlay e Android Auto. A Nissan também incluiu duas entradas USB no console, sendo que uma é do tipo A e outra do tipo C.

Conforto

Sendo esta uma reestilização de meia-vida, o Kicks praticamente não mudou em suas proporções. Ele ganhou alguns poucos milímetros por conta do novo parachoque, mas nada que interfira no visual. 

O modelo mantém 4,29 metros de comprimento, 1,76 cm de largura, 1,59 m de altura e 2,62 m de distância entre-eixos. Apesar de compacto, garante espaço para quatro adultos e uma criança viajarem com conforto. O porta-malas tem generosos 432 litros de capacidade. 

O Kicks mantém o conhecido 1.6 aspirado de 116 cv de potência a 5.600 rpm e 15,5 kgfm de torque a 4.000 rpm como a única opção de motorização. Este pode ser um fator contra o SUV da Nissan em um segmento repleto de rivais com duas opções de motor, muitos deles turbinados.

Leia Também:  Mercedes Classe C da linha 2022 estreia mais tecnológico e híbrido

O grande trunfo dos modelos turbo é aliar economia de combustível e bom desempenho de uma forma que motores aspirados dificilmente conseguem reproduzir. Se você é engenheiro e tem um propulsor aspirado para preparar, terá que escolher se o veículo será econômico, porém deixando a desejar no desempenho; ou se ele deverá impressionar nas acelerações e acabar sendo gastão.

A Nissan escolheu o primeiro caminho. E graças a ele, o Kicks CVT pode aferir 7,7 km/l na cidade e 9,4 km/l na estrada com etanol, e 11,4 km/ na cidade e 13,7 km/l na estrada com gasolina, segundo o Inmetro. A fabricante divulga que o Kicks CVT pode atingir 100 km/h em 12 segundos, com velocidade máxima de 175 km/h.

Durante o nosso test-drive na pista de testes do Haras Tuiuti, no interior de São Paulo, comprovamos que o Kicks mantém as características ideais para um carro urbano. O balanço da carroceria faz o SUV pender para o lado oposto em curvas mais rápidas, mas graças à configuração de sua suspensão, o modelo é um dos melhores da categoria para enfrentar ruas esburacadas. 

Conclusão

O Kicks 2022 comprova que amadureceu desde seu lançamento no Brasil em 2016. Em breve, teremos o modelo em nossa garagem para avaliar como o novo SUV compacto se comporta no dia a dia contra os principais rivais. Até lá, vale uma visita à concessionária mais próxima para conhecer o modelo, principalmente se você for proprietário de um EcoSport.

Veja como ficaram os preços do Kicks 2022

1.6 Sense (manual) – R$ 90.390 1.6 Sense (CVT) – R$ 98.390 1.6 Advance (CVT) – R$ 106.390 1.6 Advance (CVT) Pack Premium – R$ 108.390 1.6 Exclusive (CVT) – R$ 116.390 1.6 Exclusive (CVT) Pack Tech – R$ 119.890



Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CATEGORIA

CATEGORIA

CATEGORIA

CATEGORIA

MAIS LIDAS DA SEMANA