(65) 99638-6107

CUIABÁ

O mundo sobre rodas

Veja 5 variações do Volkswagen Kombi que nunca tivemos no Brasil

Publicados

O mundo sobre rodas


source

Produzido entre 1957 e 2013 no Brasil, o Volkswagen Kombi virou um simbolo na paisagem automobilística brasileira, ao ponto de seu nome se tornar um sinônimo de furgão para transporte de carga e passageiros, merecendo até uma campanha publicitária para marcar o fim da produção.


No mercado brasileiro, o Volkswagen Kombi foi produzido nas variações furgão de carga e passageiros, além da picape de cabine simples e dupla. Tivemos inclusive algumas opções que só existiram no Brasil, como a Lotação, que trazia duas portas adicionais convencionais no lado esquerdo, e a geração feita entre 1976 e 1996, que unia a frente e a traseira do modelo alemão de segunda geração com a carroceria da “Corujinha”.

Por aqui, a Volkswagen fabricou apenas três gerações da Kombi, tendo oferecido a quarta geração importada da Alemanha nos anos 1990, com os nomes Eurovan e Caravelle . Na Europa, onde é conhecido pelo nome de Volkswagen Transporter, o utilitário está atualmente em sua sexta geração. Confira abaixo algumas variações que nunca tivemos no Brasil.

Leia Também:  Renault mostra primeiro vídeo teaser da nova geração do Duster

1 – Deluxe Microbus

VW Kombi Samba: teto solar de tecido entre os itens exclusivos que não estiveram disponíveis no Brasil
Divulgação

VW Kombi Samba: teto solar de tecido entre os itens exclusivos que não estiveram disponíveis no Brasil


Conhecida também pelo nome Samba , esta versão de luxo da Kombi de primeira geração se diferencia pela presença das oito janelas adicionais no teto e pelo teto solar de lona.

O visual do modelo é muito parecido com a Kombi Luxo brasileira da época, trazendo pintura em dois tons separada por um friso cromado, com a porção superior geralmente na cor branca.

2 – T2 teto baixo

VW Kombi T2: entre outros detalhes, repare também nos piscas grandes próximos dos para-choques
Divulgação

VW Kombi T2: entre outros detalhes, repare também nos piscas grandes próximos dos para-choques


Na Alemanha, já em 1967 a Volkswagen substituiu a Kombi Corujinha por um modelo de nova geração, que trazia como destaque a presença da porta lateral corrediça nas variações furgão de carga e passageiros.

Você viu?

Além da mecânica e de alguns detalhes visuais e de acabamento, outra diferença dessa Kombi alemã de 2ª geração para o carro que seria feito no Brasil entre 1997 e 2013 é o teto, que é 10 cm mais baixo.

Leia Também:  Projeção antecipa visual do novo SUV da Fiat que chega em 2021

3- T2 automática

VW Kombi T2 automática: assim como o Fusca, o utilitário também teve versão automática que não veio ao Brasil
Divulgação

VW Kombi T2 automática: assim como o Fusca, o utilitário também teve versão automática que não veio ao Brasil


Em 1973, a Kombi de 2ª geração vendida nos Estados Unidos ganhou a opção de um câmbio automático de três marchas.

Esta transmissão podia ser combinada apenas com um motor boxer 1.7 de 63 cv, que era uma versão menos potente do propulsor que seria empregado também no Porsche 914 .

4 – T3 boxer refrigerada a água

Volkswagen Kombi T3: terceira geração do utilitário já passou a ser equipado com motor refrigerado a água
Divulgação

Volkswagen Kombi T3: terceira geração do utilitário já passou a ser equipado com motor refrigerado a água


A 3ª geração da Kombi foi lançada em 1979 na Alemanha, tendo ficado em linha até 2002 na África do Sul. Visualmente, a principal diferença para a 2ª geração são as linhas retas da carroceria, além do interior semelhante ao de outros Volkswagen dos anos 1980.

Mecanicamente, esta geração foi marcada pelo uso do motor ” Wasserboxer “. Diferente dos modelos “a água” brasileiros, que sempre usaram propulsores em linha, esse motor alemão era o conhecido boxer a ar de 4 cilindros da marca modificado para funcionar com refrigeração a líquido. Foi produzido em variações 1.9 e 2.1, desenvolvendo até 114 cv.

5 – Transporter T6

Volkswagen Transporter: quinta geração também nunca foi vendida no Brasil tem bastante conforto e sofisticação
Divulgação

Volkswagen Transporter: quinta geração também nunca foi vendida no Brasil tem bastante conforto e sofisticação


Descendente mais atual da Kombi, o Volkswagen Transporter T6  está disponível nas versões caminhão e furgão para cargas e passageiros, com chassi longo ou curto.

Mecanicamente, este herdeiro do Volkswagen Kombi conta com a opção de tração integral, câmbio automátizado DSG de sete marchas e dupla embreagem e até uma variação com propulsão elétrica, com potência de 113 cv e autonomia de até 113 km.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

O mundo sobre rodas

Edição limitada do Patinete elétrico traz as cores de corrida Petronas SRT

Publicados

em


source


Patinete elétrico PSRT Velocifero Mad Air Concept e pode suportar o peso máximo de até 100 kg
Divulgação

Patinete elétrico PSRT Velocifero Mad Air Concept e pode suportar o peso máximo de até 100 kg

A Velocifero, tradicional fabricante italiano de patinetes elétricos anunciou a produção do PSRT Velocifero Mad Air Concept, o patinete elétrico de edição limitada feito em parceria com a Petronas Sepang Racing Team (Petronas SRT), uma equipe de motociclismo do Grande Prêmio da Malásia de propriedade do Circuito Internacional de Sepang Sepang Racing Team.

Em termos de design, a edição limitada apresenta as cores características da pintura de corrida Petronas SRT . O patinete promete combinar praticidade com estilo e desempenho. Fácil de transportar e armazenar e permite que o usuário ande tranquilamente pela via, graças ao um guidão dobrável e o peso de apenas 16 kg.

Patinete PSRT Velocifero Mad Air Concept . Foto: Divulgação

Patinete PSRT Velocifero Mad Air Concept . Foto: Divulgação

Patinete PSRT Velocifero Mad Air Concept . Foto: Divulgação

Patinete PSRT Velocifero Mad Air Concept . Foto: Divulgação

Leia Também:  Volkswagen vai investir em bateria padrão para baratear carros elétricos

Patinete PSRT Velocifero Mad Air Concept . Foto: Divulgação

Patinete PSRT Velocifero Mad Air Concept . Foto: Divulgação

Patinete PSRT Velocifero Mad Air Concept . Foto: Divulgação

Patinete PSRT Velocifero Mad Air Concept . Foto: Divulgação

Patinete PSRT Velocifero Mad Air Concept . Foto: Divulgação

O veículo possui um motor de 350 W e uma bateria removível de 10,4 Ah. Sua autonomia é de até 40 km com uma única carga. A velocidade máxima do novo patinete é de 25 km/h e pode suportar o peso máximo de até 100 kg. Além disso, o novo Mad Air vem com um novo painel de exibição digital e freios elétricos e a disco traseiros.

O PSRT Velocifero Mad Air Concept  foi apresentado na Holanda, durante o DutchGP 2021 e, de acordo com o chefe da equipe Petronas SRT , Razian Razali, é uma grande oportunidade comercial que complementa as corridas da equipe e o estilo de vida do MotoGP.

Aos entusiastas que quiserem saber mais detalhes, é só acessar o vlog da equipe, na edição desta semana. Por lá também será possível adquirir uma das 150,000 unidades produzidas da edição limitada bastando para isso enviar um formulário de registro como interesse de compra.

Leia Também:  Projeção antecipa visual do novo SUV da Fiat que chega em 2021
Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA