(65) 99638-6107

CUIABÁ

O mundo sobre rodas

Representante da JAC explica sobre os novos carros elétricos da marca

Publicados

O mundo sobre rodas


source
JAC E-J7 foi apresentado à imprensa na última terça-feira e já temos as primeiras impressões
Guilherme Menezes/ iG Carros

JAC E-J7 foi apresentado à imprensa na última terça-feira e já temos as primeiras impressões

A JAC Motors lança o novo sedã elétrico E-J7 (R$ 264.900) para competir no segmento de sedãs premium disponíveis no Brasil. Entre eles, Audi A4 (R$ 272.990), BMW 320i GP (R$ 288.496), Honda Accord Hybrid (R$ 310.990), entre outros.

Além do mais, quando nos voltamos ao segmento dos elétricos , o JAC se destaca entre os modelos mais em conta, oferecendo mais desempenho, porte e autonomia do que a maioria dos outros.

É interessante o fato de que, hoje, a JAC é a marca que mais oferece carros elétricos no Brasil, com um total de 9 modelos. Se antes a fabricante queria ser conhecida como a ‘marca dos SUVs ’, agora pretende criar uma abordagem mais sustentável. A JAC pegou ‘carona’ na onda eco-friendly que passou a dominar o mercado internacional.

Entrevistamos Sérgio Habib , que é o representante da JAC no Brasil, que nos contou mais detalhes sobre a jornada da marca pelos carros totalmente elétricos. Ouça a seguir.

Leia Também:  Anfavea e BNDES comentam sobre o financiamento 'Finame Baixo Carbono'

Sérgio Habib diz que um ponto de destaque dos carros da marca é o fato de que a configuração deles é praticamente a mesma em relação aos que podem ser encontrados em outros mercados. “Os carros da JAC que trazemos para o Brasil passam por um processo de homologação. Mas não são muitas modificações em cima dos produtos que são vendidos em todo o mundo”, diz o executivo.

Quando nos voltamos ao novo lançamento, o EJ-7 , Habib explica os seus atributos quando comparado aos principais rivais, do segmento dos sedãs premium de entrada.

Leia Também

Leia Também

“A novidade tem uma dirigibilidade bem refinada por conta do baixo posicionamento das baterias e a suspensão traseira multilink. É mais veloz do que os seus concorrentes a combustão, tem o mesmo tamanho e custa R$ 30 mil a menos que os demais”, diz.

“Acredito que ele será o carro elétrico mais vendido da marca, pela relação de pacote de equipamentos, preço, eficiência e desempenho. Hoje vendemos mais ou menos 80 elétricos por mês ao todo. Ao todo, o Brasil emplaca 500 carros por mês, mais ou menos. Mas o mercado ainda vai crescer muito”, completa o executivo.

JAC e-JS4. Foto: Cauê Lira/iG Carros

Leia Também:  Com 10 anos no Brasil, Ducati lança Multistrada V4S por R$ 144,9 mil

JAC e-JS4. Foto: Divulgação

JAC e-JS4. Foto: Divulgação

JAC e-JS4. Foto: Divulgação

JAC e-JS4. Foto: Cauê Lira/iG Carros

JAC e-JS4. Foto: Divulgação

JAC e-JS4. Foto: Divulgação

JAC e-JS4. Foto: Divulgação

JAC e-JS4. Foto: Divulgação

Quando o assunto migra para as dificuldades de quem atua no mercado automotivo em meio à pandemia, o representante da JAC nos detalha os custos de importação e logística, bem como a questão de falta de componentes.

“Vemos um aumento brutal de frete. Um container de peças antes da pandemia, custava US$ 2 mil. Hoje pagamos US$ 12 mil. O frete de um carro era US$ 700. Hoje pagamos US$ 1.600. O frete de um caminhão era US$ 2.500. Hoje pagamos US$ 5 mil”.

“O problema de falta de componentes afeta menos a China do que  a Europa e EUA, por questão de volume de vendas . A China é um mercado de 25 milhões de carros, que é o maior do mundo. Mais da metade das vendas de carros elétricos do mundo ocorre na China”, completa Habib.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

O mundo sobre rodas

Audi lança Q3 importado antes da produção no Brasil; ouça detalhes

Publicados

em

source
Em breve, o Audi Q3 voltará a ser fabricado na unidade de produção em São José dos Pinhais (PR)
Divulgação

Em breve, o Audi Q3 voltará a ser fabricado na unidade de produção em São José dos Pinhais (PR)

A Audi lança o novo Q3 Sportback, com preços que variam entre R$ 315.990 (versão Performance) e R$ 339.990 (Performance Black). Antes de começar a sua produção na fábrica de São José dos Pinhais (Paraná), tanto o inédito Q3 Sportback quanto o Q3 convencional virão importados, da fábrica de Györ (Hungria).

Entretanto, a planta paranaense da Audi já tem a implementação da linha do Q3 em andamento. Isso porque já está programada a nacionalização do SUV, que deverá ocorrer em breve, ainda com muitos dos componentes vindos da Hungria. Desde já, a motorização 1.4 TFSI já está oficialmente aposentada na linha do Q3 disponível no Brasil.

Leia Também:  Ferrari Daytona SP3 ganha título de supercarro mais bonito de 2022

Para descobrirmos mais detalhes do lançamento, entrevistamos o Gerente de Marketing e Produto da Audi, Marcos Quaresma . Ouça o podcast na íntegra a seguir.

Todas as versões do Audi Q3 vêm sempre equipadas com o mesmo motor 2.0 turbo, com injeção direta de gasolina, com 231 cv e 34,7 kgfm a 1700 rpm. E no sistema de transmissão o SUV conta com câmbio automático, de 8 marchas  que funciona com tração integral. Segundo a fabricante, o novo Q3 acelera de 0 a 100 km/h feita em 7 segundos e chega aos 240 km/h.

Entre os equipamentos, destacam-se itens como painel de instrumentos com tela digital 10,25” , ar-condicionado de duas zonas, porta-malas com abertura e fechamento elétrico com sistema hands-free , chave presencial para acesso e partida, luz ambiente, retrovisores elétricos e rebatíveis automaticamente, bem como opcional de teto solar elétrico panorâmico.

Já a topo de linha Performance Black do novo  Audi Q3 adiciona bancos de couro com alcântara e volante com base plana e rodas de 19 polegadas.Na lista de opcionais, há o piloto automático adaptativo com funções de assistência em congestionamento, aviso de saída de faixa, sistema de som Sonos 3D com 15 alto-falantes e subwoofer, que entrega 680W de potência.

Leia Também:  Kymco Agility 200 sairá de linha ainda neste mês, diz fabricante

O novo Audi Q3 marcará a volta da fabricação em São José dos Pinhais (SP), unidade de produção que foi inaugurada para fazer a primeira geração do hatch médio A3 , entre 1999 e 2005. Depois, a partir de 2015 começou a montar o A3 Sedan, que ficou na linha de montagem até fevereiro de 2021. 

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA