(65) 99638-6107

CUIABÁ

O mundo sobre rodas

Pesquisa mostra as cores de carros preferidas pelo mercado hoje em dia

Publicados

O mundo sobre rodas


source


BMW X4 xDrive 30i M Sport é um dos modelos que estão disponíveis na cor azul, que tem ganhado espaço na América do Sul
Divulgação

BMW X4 xDrive 30i M Sport é um dos modelos que estão disponíveis na cor azul, que tem ganhado espaço na América do Sul

Carro é uma paixão mundial, não tem jeito. Mais do que uma simples realização pessoal, uma conquista de sucesso, o veículo transmite poder e parte disso está na sua beleza que vem ligada diretamente à  cor.

As cores acromáticas — branco, preto, cinza e prata — ainda são as cores mais populares utilizadas nas produções de veículos leves, apresentando uma beleza clássica e atemporal, conectando meio ambiente e alta tecnologia.

Mas, nos últimos anos, essa preferência vem perdendo a predileção com à medida em que novas cores começam a cair no gosto do consumidor, como o azul. Esse tom vem ganhando o mercado e aponta uma tendência entre as cores cromáticas principalmente na Europa e Ásia.

Nova cor azul escuro (Sapphire Blue Pearl) é a única novidade da linha Subaru Impreza 2022
Divulgação

Nova cor azul escuro (Sapphire Blue Pearl) é a única novidade da linha Subaru Impreza 2022

Os dados do Relatório de Cores para Tintas Automotivas OEM 2021 (BASF Color Report for Automotive OEM Coatings), realizado pela Divisão de Tintas da BASF que aponta também a alta da cor vermelha neste último ano — tirando um pouco mais de participação de mercado das cores acromáticas em várias partes do mundo.

Leia Também:  Fiat Uno sai de linha depois de 37 anos com série de despedida

Leia Também

Leia Também

Parte dessa tendência está atrelada à redução significante no número de veículos produzidos globalmente que contribuiram para que algumas cores a ganhassem espaço frente a outras clássicas.

De acordo com Marcos Fernandes, Diretor da Divisão de Tintas da BASF, aqui na América do Sul , por exemplo, o percentual de carros na cor azul cresceu três pontos percentuais em 2021 , impulsionado por novos lançamentos eutilizando esta cor.

“O azul tem realmente se tornado uma tendência na América do Sul. A indústria tem usado, inclusive, efeitos e pigmentos belíssimos, especialmente metálicos, que ajudam ainda mais a transformar essa cor em um sucesso por aqui”, explica.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

O mundo sobre rodas

Piloto põe raridades da Ferrari à venda e pode arrecadar R$ 40 milhões

Publicados

em


source


Coleção de Ferrari inclui um modelo de Fórmula 1 e supercarros icônicos, com 288 GTO e o 275 GTB/4
Divulgação

Coleção de Ferrari inclui um modelo de Fórmula 1 e supercarros icônicos, com 288 GTO e o 275 GTB/4

Um piloto de corrida pouco conhecido, Marcel Petitjean está colocado a sua invejável coleção de modelos da Ferrari cujo montante de 28 exemplares dos mais raros modelos serão oferecidos sem reservas em um leilão da RM Sotheby’s em Paris, no dia 2 de fevereiro.

Petitjean não teve muito sucesso como piloto de corrida nos anos 60, mas com certeza compensou mais tarde com seus investimentos inteligentes. O ex-piloto até pensou em abrir um museu do automóvel , mas seus planos fracassaram e mais tarde ele decidiu vender as raridades.

Entre as preciosidades, estão uma 288 GTO de 1985, com apenas 272 unidades fabricadas e esta em específico, conta com apenas 9.600 quilômetros. O preço? Pelo menos US$ 2,8 milhões de dólares, ou R$ 15.164.800, em conversão simples.

Colecao de Ferraris. Foto: Divulgação

Leia Também:  iG Carros Podcast: Chevrolet sofre com falta de chips semicondutores no Brasil

Colecao de Ferraris. Foto: Divulgação

Colecao de Ferraris. Foto: Divulgação

Colecao de Ferraris. Foto: Divulgação

Colecao de Ferraris. Foto: Divulgação

Colecao de Ferraris. Foto: Divulgação

Outra das raridades é a 275 GTB/4 de 1966, a primeira Ferrari de produção a ser equipada com a versão de quatro árvores de cames no cabeçote do V12. Provavelmente chegará a mais de US$ 2,2 milhões de dólares (R$ 11.915.200).

Outros destaques incluem uma Ferrari 250 GT Series II Cabriolet restaurada de 1959 e uma Ferrari 250 GT/L Berlinetta de 1964. Ambos apresentam o motor V12 “Colombo” de bloco curto de 3,0 litros e, sem dúvida, adicionarão quase R$ 40 milhões de reais à conta bancária de Petitjean.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA