(65) 99638-6107

CUIABÁ

O mundo sobre rodas

O passeio dos distintos cavalheiros

Publicados

O mundo sobre rodas


source
Chegada do DGR 2021 São Paulo, em frente ao Estádio do Pacaembu
Emilião

Chegada do DGR 2021 São Paulo, em frente ao Estádio do Pacaembu

Na manhã do último domingo, quem saiu às ruas provavelmente cruzou com grupos de distintos cavalheiros, vestindo distintos trajes, pilotando suas distintas motocicletas. Trata-se de mais uma edição do DGR – Distinguished Gentleman’s Ride (ou, em nosso idioma, o passeio dos distintos cavalheiros) –, a décima, desde que o evento foi criado, em 2012, na Austrália.

A idéia original de amenizar a imagem negativa que muitas vezes os motociclistas têm, dependendo da região, se transformou em uma forma de angariar fundos para a conscientização do câncer de próstata e de problemas psicológicos masculinos.

Estou entre Paulo, com sua Kawasaki ZR-1 “street fighter”, e Emilião, com sua “sete galo”
Werner S

Estou entre Paulo, com sua Kawasaki ZR-1 “street fighter”, e Emilião, com sua “sete galo”

A ação acontece simultaneamente em todo o mundo, cada grupo ou cada cidade adotando suas próprias formas de organização, mas sempre mantendo a individualidade de cada participante. Neste ano, por causa das restrições devido à pandemia, em São Paulo os grupos rodaram totalmente independentes, sem, contudo, deixarem de se agrupar, na saída e na chegada.

Uma bela Honda CB 360 1974, equipada com guidão do tipo “morcego”
Gabriel Marazzi

Uma bela Honda CB 360 1974, equipada com guidão do tipo “morcego”

Sem aglomeração, os participantes saíram às 9h30 de fronte do Teatro Municipal, no centro da cidade, chegando por volta das 11h00 na Praça Charles Miller, em frente ao Estádio do Pacaembu, na zona oeste, após os cerca de cem participantes passarem por muitos pontos caraterísticos, como o Largo do Paissandu, av. 9 de Julho, av. Paulista, Casa das Rosas, Cinemateca, Assembléia Legislativa, av. Brasil e, finalmente, o Pacaembu.

Leia Também:  Maverick Hollywood: um ícone das pistas

Você viu?

Duas Royal Enfield, uma Bullit e uma Classic, com side-car
Gabriel Marazzi

Duas Royal Enfield, uma Bullit e uma Classic, com side-car

O mais importante em toda a ação foi respeitar o distanciamento social, por isso não houve paradas no meio do percurso e, ao final, todos mantiveram suas máscaras e a distância dos amigos. Mas o simples fato de rodarem juntos por cerca de uma hora faz os amigos se manterem sempre perto.

Duas representantes da linha “sete-galo” de 1976, uma Honda CB 750F e uma Honda CB 750 Four K6
Gabriel Marazzi

Duas representantes da linha “sete-galo” de 1976, uma Honda CB 750F e uma Honda CB 750 Four K6

Apesar da formalidade da ideia, o que inclui vestir roupas a caráter – o que um verdadeiro cavalheiro vestiria – e usar uma motocicleta clássica, de preferência vintage, qualquer vestimenta e qualquer motocicleta, incluindo scooter, era válido. Eu participei com minha Royal Enfield Pegasus que, apesar de nova, tem visual completamente vintage. A maioria das motocicletas, no entanto, eram de época.

Uma rara Honda CB 175 transformada em café racer
Gabriel Marazzi

Uma rara Honda CB 175 transformada em café racer

A maioria era mesmo Royal Enfield , mas as Triumph também estavam em um grande número, muitas delas customizadas como café racer. O destaque foi para as japonesas dos anos 70, como muitas “sete-galo”, a Honda CB 750 Four , algumas Honda CB 500 Four , uma Honda CB 360 com guidão “morcego” e uma Honda CB 175 dos anos 60 cruelmente transformada em café racer. Prefiro tudo original.

Só falta os escapamento original de quatro saídas nessa bela Honda CB 500 Four
Gabriel Marazzi

Só falta os escapamento original de quatro saídas nessa bela Honda CB 500 Four

Para o próximo DGR , daqui a um ano, esperamos que a vida tenha voltado ao normal e possamos repetir o passeio, dessa vez com a tão desejada “aproximação social”.

Leia Também:  Fábrica da Fiat faz 45 anos às vésperas da chegada de novos modelos
Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

O mundo sobre rodas

Triumph mostra nova Tiger 1200, que deve chegar ao Brasil no início de 2022

Publicados

em


source


Triumph Tiger 1200 fica mais potente, o que dará uma dose extra de disposição para enfrentar obstáculos pelos caminho
Divulgação

Triumph Tiger 1200 fica mais potente, o que dará uma dose extra de disposição para enfrentar obstáculos pelos caminho

A Triumph apresenta a nova Tiger 1200, modelo que está previsto para chegar em breve ao mercado brasileiro e contará com três versões: GT Explorer, Rally Pro e Rally Explorer.

O motor T-Plane , tricilíndrico, passou por uma revisão significativa. São 1.160 cc (ante os 1.215 cc), mas apesar disso, há um aumento saudável na potência para 150 cv (dos 139 cv, ou 9 cv a mais do que na geração anterior) e um aumento no torque de 13,25 kgfm a 7.000 giros (ante os 12,44 kgfm).

Já o eixo de transmissão redesenhado que é 1,5 kg mais leve do que a unidade antiga. São seis marchas, com trocas pelo sistema Triumph Shift Assist , sem o uso da embreagem (opcional para a Tiger 1200 GT).

Triumph Tiger 1200. Foto: Divulgação

Leia Também:  Avaliação de produtos: lanternas de LED

Triumph Tiger 1200. Foto: Divulgação

Triumph Tiger 1200. Foto: Divulgação

Triumph Tiger 1200. Foto: Divulgação

Triumph Tiger 1200. Foto: Divulgação

Os GTs rodam sobre rodas fundidas de 19 pol. / 18 pol., Enquanto os modelos Rally têm rodas com raios de 21 pol. / 18 pol. Todos os modelos da linha, até mesmo o GT de entrada, vêm com s uspensão semi-ativa Showa com curso mais longo para o Rally (220 mm x 200 mm).

Para o seu país de origem, Reino Unido, a a big trail da Triumph tem preços a partir de 14.600 libras , o equivalente a R$ 110.000 na conversão direta. 

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA