(65) 99638-6107

CUIABÁ

O melhor detergente é a luz do sol

MercedesBenz lança edição especial do SUV Classe G 63 AMG por R$ 2 milhões, com todas unidades já vendidas

Publicados

O melhor detergente é a luz do sol

 

 

source

Mercedes G63 AMG vem com motor V8 biturbo, capaz de render 585 cv, potência transmitida para as quatro rodas
Divulgação

Mercedes G63 AMG vem com motor V8 biturbo, capaz de render 585 cv, potência transmitida para as quatro rodas

A Mercedes-Benz está lançando a versão limitada Magno Edition do Mercedes-AMG G 63 criada especialmente para o mercado brasileiro e que chega ao país com toda produção adicional já vendida, de acordo com a fabricante.

O SUV conta com motor V8 biturbo de 4.0 litros de 585 cv, tração nas quatro rodas (40:60), três bloqueios de diferencial, transmissão automática de 9 marchas, suspensão dianteira independente com duplo braço triangular e amortecimento ajustável adaptável.

O visual fica por conta a grade do radiador específica AMG pintada em preto fosco, arcos das rodas alargados, escapamento com saída lateral, rodas AMG forjadas de 22 polegadas, faróis, lanternas traseiras e indicadores de direção escurecidos , além de retrovisores, frisos, capa do estepe e adereços dos para-choques pintados em preto Magno.

Leia Também:  Batalhão Ambiental da PM completa 38 anos de proteção à fauna e flora mato-grossense

 

Foto: Divulgação

 

Foto: Divulgação

 

Foto: Divulgação

 

Foto: Divulgação

 

Foto: Divulgação

 

Foto: Divulgação

 

Na parte interna, o destaque é o acabamento ‘G Manufaktur Plus’ que consiste em revestimento em c ouro nappa com função massagem e layout de costura em padrão diamante, além de Volante em fibra de carbono com DINAMICA.

O Mercedes-AMG G 63 Magno Edition tem preço público sugerido de R$ 1.999.900 válido para todo o Brasil. E vale relembrar que todas as unidades disponíveis no país já foram vendidas.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

O melhor detergente é a luz do sol

DIVERSIDADE CULTURAL: Exposição virtual homenageia mulheres ciganas em Mato Grosso. Realizado pela Associação Estadual das Etnias Ciganas, o projeto homenageia a raizeira e benzedeira cigana, Maria Divina Cabral, a Diva, como Mestra da Cultura Mato-grossense. VEJA VIDEO

Publicados

em

 

Primeira no país a apresentar o universo das mulheres ciganas do tronco étnico calon, a Exposição Multimídia Calin está disponível para acesso na internet pelo link https://galeriacalin.com. A mostra online integra o projeto “Diva e as Calins de Mato Grosso: Ontem, Hoje e Amanhã”, que foi aprovado no edital Conexão Mestres da Cultura, da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT).

Realizado pela Associação Estadual das Etnias Ciganas de Mato Grosso (AEEC-MT), o projeto homenageia a raizeira e benzedeira cigana, Maria Divina Cabral, a Diva, como Mestra da cultura mato-grossense. Na exposição multimídia são também mostradas a diversidade, a beleza e a resistência das mulheres ciganas que vivem em Mato Grosso, nas comunidades romanis de três municípios: Rondonópolis, Cuiabá e Tangará da Serra.

“O material exposto é resultado de um encontro sutil e delicado entre nossa equipe e o modo como nos vemos e nos mostramos e, principalmente, queremos ser vistas. Assim, brindamos o público com novas autorrepresentações do universo romani, especialmente, do tronco étnico Calon. Esperamos que a plataforma se transforme numa referência nacional, quiçá internacional”, comemora a presidente da AEEC-MT e coordenadora do projeto, Fernanda Alves Caiado.

Assim, como o projeto do qual faz parte, a exposição leva o título ‘Calin’, que é o modo como as mulheres do tronco étnico Calon se autodenominam. De acordo com o diretor de arte e curador da exposição, Rodrigo Zaiden, o nome também é uma forma de registrar, promover e valorizar os saberes ancestrais das mulheres ciganas mato-grossenses.

Leia Também:  ECONOMISTA JOÃO SICSÚ: Brasil está quase de volta ao passado colonial. Mas a arquitetura é a mesma: o Brasil será uma colônia de exploração e os países desenvolvidos, especialmente Estados Unidos, serão a Coroa

“A escolha por este nome sintetiza a desconstrução da palavra cigana, na busca por uma produção em artes visuais dialógica, que de fato represente as Calins a partir de suas percepções e modos de ver e viver a vida, enquanto ciganas, trabalhadoras, ativistas, estudantes. Esse é um trabalho muito importante para a quebra de preconceitos e estereótipos que historicamente estiveram associados às ciganas, mas que são equivocados e racistas” conclui o diretor de arte.

A exposição virtual

Com registro de mulheres de diferentes idades, a exposição virtual propõe novas possibilidades do que é ser calin, cigana, mulher, mato-grossense e brasileira. Em fotos, vídeos e textos, ‘Calin’ vislumbra a criação de novas narrativas para que mais e mais mulheres ciganas se inspirem e possam criar os próprios caminhos.

Audelena Cabral coordena o grupo de danças Tradição Cigana em Rondonópolis

O trabalho  une as famílias de Maria Divina Cabral, a Mestra Diva, e suas parentas Nerana (Tangará da Serra), Irandi (Cuiabá), Terezinha (Cuiabá) e Nilva (Rondonópolis). Para os realizadores do projeto, são mulheres também consideradas como mestras da cultura cigana, pois promovem e preservam seus saberes, filosofias e identidades.

A bandeira cigana abre a plataforma virtual da exposição que conta com três salas principais:  Diquela Calin (Veja Cigana), Lage no Mui (Vergonha na Cara) e Tali Lachin (Liberdade). O espaço ‘I Encontro de Mulheres Ciganas de Mato Grosso’ complementa o site com informações sobre um dos produtos que fazem parte do projeto aprovado pela Secel. No encontro, que ocorreu em abril deste ano em Rondonópolis, a Mestra Diva ministrou oficinas sobre medicina tradicional cigana a mulheres das comunidades.

Leia Também:  Hospital Estadual Santa Casa, de Cuiabá, realiza 30 cirurgias pediátricas em dois dias

O projeto

Diva Cabral

Com o projeto “Diva e as Calins de Mato Grosso: ontem, hoje e amanhã”, a AEEC-MT celebra a história e as contribuições de Diva às tradições ciganas e ao enriquecimento da diversidade cultural do estado.

Contemplada no edital da Secel, a proposta busca celebrar Diva como Mestre da Cultura Mato-grossense e ainda referenciar e fortalecer os saberes ciganos, especialmente, aqueles mantidos pelas mulheres.

Integram o projeto a exposição fotográfica virtual sobre as mulheres ciganas no Estado, o I Encontro de Mulheres Ciganas de Mato Grosso – que foi realizado em abril deste ano, e também uma websérie documental, que será lançada em breve. No site da exposição é possível acessar o teaser do terceiro e último produto transmídia do projeto, a websérie ‘Diva e as Calins de MT’.

Fonte: GOV MT

APRENDENDO A FAZER GARRAFADA

FOGÃO TRADICIONAL CIGANO

PÁSSARO ANU BRANCO

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA