(65) 99638-6107

CUIABÁ

O mundo sobre rodas

Land Rover lança Discovery Sport a diesel híbrido leve

Publicados

O mundo sobre rodas


source


Discovery Sport a diesel híbrido leve: não é um SUV com motor elétrico que traciona, mas apenas ajuda a vencer a inércia
Divulgação

Discovery Sport a diesel híbrido leve: não é um SUV com motor elétrico que traciona, mas apenas ajuda a vencer a inércia

A Land Rover anuncia o lançamento da linha 2022 do Discovery Sport a diesel híbrido. Segundo a marca, por se tratar dessa configuração, o carro é a isento do rodízio em São Paulo.

O novo motor diesel D200 de 2,0 litros, de quatro cilindros e 204 cv, conta agora também com a tecnologia MHEV (capaz de armazenar energia em uma bateria de lithium de 48-volt), sendo o primeiro da família Discovery a ter essa novidade e o segundo da marca Land Rover. 

Em velocidades abaixo de 17 km/h , o motor a combustão se desligará quando o motorista pisar no freio para que a energia seja captada e ajude em aceleração mais eficiente, diz a marca.

Além dessa, a linha Discovery também está disponível nas versões S, SE e R-Dynamic SE , o e  motorização flex P250 de 2,0 litros , com quatro cilindros e 250 cv de potência.

Leia Também:  Hyundai Creta lançado na Rússia deve antecipar a versão do Brasil

Leia Também

Em todas as versões e motorizações, o modelo conta com tração integral e tecnologia Terrain Response 2 , fazendo com que o veículo seja capaz de enfrentar os mais diversos tipos de terreno, adaptando-se aos pequenos inconvenientes nas ruas da cidade ou até aos caminhos mais complicados e imprevisíveis do off road.

O Discovery Sport 2022 chega às concessionárias da marca custando a partir de R$ 323.950 na versão motor flex P250 FF e a partir de R$ 353.950 na motorização diesel D200 de 2,0 litros com tecnologia MHEV.

O Evoque 2022 , por sua vez, que também é produzido em Itatiaia (RJ) está equipado com motor Ingenium turbo 2.0 flex, com quatro cilindros de 250 cv, torque de 36,30 kgfm chega na versão SE custando R$ 383.950 e a R-Dynamic HSE por R$ 413.950 .

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

O mundo sobre rodas

Piloto põe raridades da Ferrari à venda e pode arrecadar R$ 40 milhões

Publicados

em


source


Coleção de Ferrari inclui um modelo de Fórmula 1 e supercarros icônicos, com 288 GTO e o 275 GTB/4
Divulgação

Coleção de Ferrari inclui um modelo de Fórmula 1 e supercarros icônicos, com 288 GTO e o 275 GTB/4

Um piloto de corrida pouco conhecido, Marcel Petitjean está colocado a sua invejável coleção de modelos da Ferrari cujo montante de 28 exemplares dos mais raros modelos serão oferecidos sem reservas em um leilão da RM Sotheby’s em Paris, no dia 2 de fevereiro.

Petitjean não teve muito sucesso como piloto de corrida nos anos 60, mas com certeza compensou mais tarde com seus investimentos inteligentes. O ex-piloto até pensou em abrir um museu do automóvel , mas seus planos fracassaram e mais tarde ele decidiu vender as raridades.

Entre as preciosidades, estão uma 288 GTO de 1985, com apenas 272 unidades fabricadas e esta em específico, conta com apenas 9.600 quilômetros. O preço? Pelo menos US$ 2,8 milhões de dólares, ou R$ 15.164.800, em conversão simples.

Colecao de Ferraris. Foto: Divulgação

Leia Também:  Jeep Wrangler Rubicon: um SUV na natureza selvagem

Colecao de Ferraris. Foto: Divulgação

Colecao de Ferraris. Foto: Divulgação

Colecao de Ferraris. Foto: Divulgação

Colecao de Ferraris. Foto: Divulgação

Colecao de Ferraris. Foto: Divulgação

Outra das raridades é a 275 GTB/4 de 1966, a primeira Ferrari de produção a ser equipada com a versão de quatro árvores de cames no cabeçote do V12. Provavelmente chegará a mais de US$ 2,2 milhões de dólares (R$ 11.915.200).

Outros destaques incluem uma Ferrari 250 GT Series II Cabriolet restaurada de 1959 e uma Ferrari 250 GT/L Berlinetta de 1964. Ambos apresentam o motor V12 “Colombo” de bloco curto de 3,0 litros e, sem dúvida, adicionarão quase R$ 40 milhões de reais à conta bancária de Petitjean.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA