(65) 99638-6107

CUIABÁ

O mundo sobre rodas

GM terá quatro lançamentos no Brasil a partir de setembro

Publicados

O mundo sobre rodas


source
Imagem mostra os quatro lançamentos que a GM terá no Brasil entre setembro e dezembro de 2021
Divugação

Imagem mostra os quatro lançamentos que a GM terá no Brasil entre setembro e dezembro de 2021

A GM confirma que terá quatro novidades no Brasil a partir de setembro, uma por mês. E divulga uma imagem que mostra os carros em um ambiente escurecido para dar um ar de mistério sobre o que vai lançar. Porém, é possível notar que um deles é o novo elétrico Bolt, outro é a versão renovada do SUV Equinox e os demais apenas versões novas de Cruze e S10.

Segundo a GM , “os produtos serão anunciados um a um através de websérie promovida pela marca a partir da próxima semana. A sequência de divulgação dos vídeos não corresponde necessariamente a ordem da chegada dos modelos às concessionárias “.

Leia Também:  Busca de carros pela internet teve alta de 38% no último trimestre de 2020

Pois bem, quanto ao novo Bolt , o carro ficou com aspecto futurista e aumentou um pouco de tamanho em relação à versão anterior, além de ter ganho equipamentos como multimídia atualizada , com tela de 10,2 polegadas. O interior foi todo renovado e o o celular pode ser conectar com o multimídia sem fio e mais aplicativos estão disponíveis com um simples toque, entre os quais Spotify e Alexa.

Se comparado com o Bolt atual , o novo passou a ter 16 centímetros a mais de comprimento e 7,4 cm de entre-eixos, o que acabou contribuindo com o aumento do espaço interno, com 9,9 cm extras para acomodar as pernas dos ocupantes do banco traseiro. Mas o porta-malas continua do mesmo tamanho, com bons 478 litros.

Você viu?

Já o Equinox , enfim, chegará ao Brasil, depois do atraso causado por causa da pandemia do novo coronavírus. Além do visual renovado, o carro terá a tão aguardada central multimídia com acesso à internet, via 4G para voltar a ter apelo no segmento de SUVs médios que recebeu uma série de novos rivais no Brasil, entre os quais Ford BroncoToyota Corolla Cross e VW Taos .

Leia Também:  Senado aprova cobrança de pedágio proporcional ao uso da rodovia

O Equinox 2022 ficou com aspecto mais moderno. Os faróis passaram a ser bipartidos em harmonia com a nova grade frontal . Com as mudanças, os luzes de LED ficaram mais evidentes e as luzes de neblina mais finas, formando um conjunto que agrada aos olhos juntamente com um acabamento caprichado. Mas, o conjunto mecânico não muda.

As outras duas novidades que a GM vai lançar até dezembro são versões inéditas de S10 e Cruze. A primeira deve ser a S10 Z71 , com apelo fora de estrada, seguindo os padrões das picapes que a marca vende no mercado norte-americano. E o Cruze logo vai se despedir do mercado no Brasil, depois de ter saído de linha no resto do mundo. Deve ser a versão Midnight , que já chegou a ser adotada em Onix Plus , S10 , Tracker e no Equinox .

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

O mundo sobre rodas

Conheça a história do Karmann Ghia TC

Publicados

em


source


Karmann Ghia TC foi lançado em 1970 e, com motor 1.6 refrigerado a ar, podia atingir 142 km/h, segundo a fabricante
Divulgação

Karmann Ghia TC foi lançado em 1970 e, com motor 1.6 refrigerado a ar, podia atingir 142 km/h, segundo a fabricante

O Karmann Ghia foi produzido entre 1962 a 1970 através da união dos amigos Wilhelm Karmann Junior, engenheiro alemão de renome e herdeiro da empresa de carrocerias Karmann e Luigi Segre, proprietário da Carrozzeria Ghia, de Turim, na Itália.

Sem dúvida, foi um carro que remetia e muito a esportividade, principalmente os conversíveis, mas o peso dos anos foi passando o que obrigou a Volkswagen a pensar num outro modelo que fizesse jus ao primeiro modelo, lançando assim o TC.

O Karmann Ghia TC (Touring Coupé) , surgiu no dia 3 de agosto de 1970, foi um modelo desenhado no Brasil e teve uma leve inspiração no Porsche 911 . Ao invés da plataforma do Sedan (o Fusca que conhecemos por aqui), o TC baseava-se na plataforma dos VW Variant e TL , e não era tão charmoso quanto o Tipo 14 que o antecedeu.

Tinha uma carroceria mais simples e compreendia um estilo menos marcante, porém a traseira fastback (traseira levemente caída) era uma característica a qual agradava ao público.

Vinha com motor de 1600 cm3 equipado com dois carburadores 32PSTI, ventoinha plana gerando 65 cv, igual ao utilizado no Variant (Tipo 3) e que garantia um bom desempenho para a época, próximo à marca dos 142 km/h de velocidade final , levando em consideração o chassi pesado vindo do Tipo 3.

Karmann Ghia TC tem uma traseira que lembra a do Porsche 911 original, de 1963 pelo estilo de cupê
Divulgação

Karmann Ghia TC tem uma traseira que lembra a do Porsche 911 original, de 1963 pelo estilo de cupê

Internamente, o fastback era infinitamente superior, graças à ampla área envidraçada e ao generoso espaço para cinco ocupantes e tinha um porta-malas que fazia jus ao nome.

Leia Também:  Bolsonaro anuncia isenção de pedágio para motos no Brasil

A vantagem era a opção do rebatimento do banco traseiro que era bipartido e podia transformar o compartimento num porta-malas de grandes dimensões. Na frente, também havia espaço para acomodar pequenas bagagens. O TC também acabava de vez com alguns dos inconvenientes do Tipo 14 , como por exemplo, a turbulência interna que passava um certo desconforto com as janelas abertas.

O Karmann Ghia TC (Touring Coupé), surgiu no dia 3 de agosto de 1970, foi um modelo desenhado no Brasil
Reprodução

O Karmann Ghia TC (Touring Coupé), surgiu no dia 3 de agosto de 1970, foi um modelo desenhado no Brasil

Apesar das 18.119 unidades produzidas entre 1970 a 1975, o Karmann Ghia TC acabou se despedindo das linhas de montagem, devido às vendas que despencavam subitamente, passando a integrar, com merecido reconhecimento, sua parte na história da indústria automobilística nacional, agora como um verdadeiro clássico.

Você viu?

Onde surgiu a lenda Karmann Ghia?

Em 1953, Wilhelm e Luigi foram novamente a Volkswagen e mostraram o novo projeto e para a satisfação de ambos
Reprodução

Em 1953, Wilhelm e Luigi foram novamente a Volkswagen e mostraram o novo projeto e para a satisfação de ambos


O Volkswagen Karmann Ghia foi lançado através da união dos amigos Wilhelm Karmann Junior, engenheiro alemão de renome e herdeiro da empresa de carrocerias Karmann mais o Luigi Segre, proprietário da Carrozzeria Ghia, de Turim, na Itália.

Leia Também:  Vazam fotos da edição comemorativa de 45 anos do VW Golf GTI

Com a parceria, juntos desenvolveram um protótipo pedido pela Volkswagen, baseado no Sedan (o nosso Fusca). Mas ao ver o projeto a fábrica o teria rejeitado. Mesmo assim, Segre não se deu por satisfeito e desenvolveu discretamente uma outra proposta, mais tarde, apresentada ao amigo Karmann Junior que aprovou de imediato.

Em 1953, Wilhelm e Luigi foram novamente a Volkswagen e mostraram o novo projeto e para a satisfação de ambos, Heinrich Nordhoff – executivo da montadora, aprovou o trabalho dos amigos e, dois anos mais tarde o Karmann Ghia era apresentado ao público.

O estilo da carroceria baixa (inspirada num Chrysler de 1953), harmonizada com as lanternas em formato de gota junto aos pára-lamas salientes logo caiu nas graças de todos, principalmente dos brasileiros quando chegou por aqui – em 1962, quando a Karmann estabelecia as mesmas atividades em relação a matriz, na Alemanha.

Em relação às versões alemãs, o nosso esportivo era diferenciado apenas pelo motor boxer (cilindros opostos) cuja cilindrada correspondia míseros 1.192 cm³ rendendo apenas 30 cv , o mesmo do Sedan. Esteticamente, o modelo brasileiro recebia pára-choques mais robustos.

O Karmann Ghia conversível ou Cabriolet foi lançado em 1958 e hoje em dia é um dos clássicos mais valorizados
Reprodução

O Karmann Ghia conversível ou Cabriolet foi lançado em 1958 e hoje em dia é um dos clássicos mais valorizados

Em 1958, era a vez de ser lançado o modelo conversível. Com um belo desenho contrastando com a capota, merecia grandes elogios, porém o fraco desempenho era o mesmo da versão com teto rígido, sendo mais tarde substituída por um motor digno (exatos 1.493 cm³) de seu apelo esportivo. Por aqui foram comercializadas num total de 23.570 unidades do Karmann Ghia (Tipo 14) entre 1962 a 1971, sendo 177 da versão conversível.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA