(65) 99638-6107

CUIABÁ

O mundo sobre rodas

Fiat Mobi supera Hyundai HB20 e se torna o carro mais vendido do Brasil

Publicados

O mundo sobre rodas


source
Mobi, Toro, Argo, Strada, Renegade e Compass foram os responsáveis pela liderança absoluta da Fiat-Chrysler Automobiles
Divulgação

Mobi, Toro, Argo, Strada, Renegade e Compass foram os responsáveis pela liderança absoluta da Fiat-Chrysler Automobiles

O Fiat Mobi foi o carro mais vendido do Brasil em abril de 2021, emplacando 6.861 unidades no período, segundo o levantamento publicado pela Fenabrave (Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores). O Hyundai HB20 ficou na segunda colocação por algumas unidades, emplacando 6.849. Fechando o “top 3”, surge o Jeep Renegade com 6.634 emplacamentos.

O quarto carro mais vendido do mês de abril foi o Volkswagen Gol , com 6.420 emplacamentos, seguido pelo Chevrolet Onix , com 6.402. Completando a lista dos dez carros mais vendidos do mês, surgem os modelos Hyundai Creta (5.544), Jeep Compass (5.504), Fiat Argo (5.383), Chevrolet Tracker (5.377) e Chevrolet Onix Plus (4.896).

Os 10 carros mais vendidos de abril: 1 – Fiat Mobi – 6.861 2 – Hyundai HB20 – 6.849 3 – Jeep Renegade – 6.634 4 – VW Gol – 6.420 5 – Chevrolet Onix – 6.402 6 – Hyundai Creta – 5.544 7 – Jeep Compass – 5.504 8 – Fiat Argo – 5.383 9 – Chevrolet Tracker – 5.377 10 – Chevrolet Onix Plus – 4.896

Leia Também:  Detran de SP retoma atendimento presencial, mas com 25% da capacidade

Há um motivo para o Chevrolet Onix , líder absoluto do acumulado de 2021 com 35 mil unidades, ter caído tanto em vendas no mês de abril. Por conta da falta de componentes impulsionada pela pandemia do novo coronavírus, a General Motors optou por suspender a produção do modelo em São Caetano do Sul (SP). Tanto Onix quanto Onix Plus já estão em falta nas concessionárias.  

Chevrolet Onix continua sendo o carro mais vendido do Brasil no acumulado de 2021
Divulgação

Chevrolet Onix continua sendo o carro mais vendido do Brasil no acumulado de 2021

Entre os comerciais leves, a Fiat Strada foi o grande destaque, emplacando 12.581 unidades em abril. A irmã intermediária Fiat Toro surge na segunda colocação, com 6.682 emplacamentos, seguida pela Toyota Hilux , com 3.373. A picape compacta Volkswagen Saveiro ficou na quarta colocação, com 2.253 unidades vendidas, enquanto a média Ford Ranger conquistou a quinta colocação, com 2.007 emplacamentos.  Os 5 comerciais leves mais vendidos de abril: 1 – Fiat Strada – 12.581 2 – Fiat Toro – 6.682 3 – Toyota Hilux – 3.373 4 – VW Saveiro – 2.253 5 – Ford Ranger – 2.007

Leia Também:  Veja 5 clássicos esportivos batizados com nomes de pistas de corrida famosas
Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

O mundo sobre rodas

iG Carros Podcast: locadoras driblam desabastecimento da indústria

Publicados

em


source
Veja como as locadoras estão tentando driblar o desabastecimento da indústria brasileira
Divulgação

Veja como as locadoras estão tentando driblar o desabastecimento da indústria brasileira

Um estudo americano aponta que a falta de microchips semicondutores impactou na venda de 1,3 milhão de veículos no mundo apenas no primeiro trimestre de 2021. No Brasil, a falta do insumo fez com que Honda, Chevrolet, Renault e Fiat suspendessem temporariamente as operações em suas fábricas. 

A falta de insumos não afeta apenas os fabricantes, mas também as locadoras de veículos e serviços de carsharing . Este é o tema do iG Carros Podcast desta semana:

Executivos dos setores de locação e c arros compartilhados já trabalham com a possibilidade de prolongar o uso de veículos que já estão rodando. Segundo a Solution4Fleet, empresa de soluções para locadoras e companhias de mobilidade, um veículo pode durar entre 5 e 18 meses na frota em condições normais. 

Leia Também:  Ranger Splash x S10 SS: a briga dos anos 90

Com o gargalo de produção nas fábricas, locadoras e outras empresas do ramo prolongaram a substituição dos carros para um período entre 17 e 24 meses.

Em serviços de car sharing como o Turbi , o tempo para a substituição de veículos da frota é de dois anos. Segundo Diego Lira, CEO e cofundador da Turbi, os modelos do serviço têm idade média de oito meses, portanto, não serão impactados pelo gargalo da indústria em um primeiro momento.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA