(65) 99638-6107

CUIABÁ

O mundo sobre rodas

Empresa cria tecnologia que equilibra a moto sozinha

Publicados

O mundo sobre rodas


source
Tecnologia de equilíbrio da moto calcula a sua inclinação e a conduz ao centro novamente
Divulgação

Tecnologia de equilíbrio da moto calcula a sua inclinação e a conduz ao centro novamente

A empresa ucraniana Intellias apresenta no CES uma moto com sua tecnologia de equilíbrio automático. De acordo com a empresa, o desenvolvimento visa “permitir o controle autônomo do veículo em baixa velocidade”.

O sistema utiliza sensores que acompanham os movimentos da moto . Segundo a própria descrição da Intellias , “o sistema automático monitora o ângulo de desvio do eixo vertical e a razão de descida, e ajusta a posição da motocicleta, movendo o guidão na direção certa para estabilizar”.

A empresa também prevê que a tecnologia auxilie novos condutores, que ainda têm dificuldade de se equilibrar enquanto trafegam em baixas velocidades. Essa é uma realidade comum em trânsitos urbanos. Isso sem falar nos motociclistas PCD, que eventualmente se fadigam com facilidade.

Leia Também:  Novo Audi A3 Sportback evolui bem, mas perde apelo para os SUVs

Há quem diga que o motociclista monta na moto para curtir a pilotagem , e que esse sistema comprometeria a experiência ao pilotar . Mas vai que, quando começarmos a ver a tecnologia nas ruas, o sistema pode ser regulado ou até mesmo desligado (tal como outros controles já presentes nas motocicletas).

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

O mundo sobre rodas

Brasileiro está mais aberto a veículos com novas tecnologias

Publicados

em

Barreiras para carros eletrificados no Brasil ainda grandes, mas aos poucos o pais vai ganhando infraestrutura
Divulgação

Barreiras para carros eletrificados no Brasil ainda grandes, mas aos poucos o pais vai ganhando infraestrutura

Uma pesquisa realizada pela McKinsey & Company revelou que os brasileiros estão mais abertos a carros com motorizações tecnológicas do que habitantes de países chamados “desenvolvidos”.

O estudo ainda apurou que existem quatro fatores que podem auxiliar a eletromobilidade no Brasil: Incentivos regulatórios, consumidores, tecnologia e infraestrutura.

“O brasileiro tem um apetite enorme por novas tecnologias e nosso estudo identificou que, no país, existe uma intenção de adoção acima da média de países desenvolvidos”, afirma Felipe Fava, líder do centro da mobilidade do futuro da McKinsey na América Latina.

Segundo Fava, além do desejo e do interesse do público por esse tipo de veículo, a preocupação ambiental e o surgimento de novas soluções em mobilidade são fatores importantes para a consolidação da eletromobilidade e também outras formas de se locomover pelas cidades.

Segundo estudo da McKinsey & Company, 39% do público pretende utilizar a eletromobilidade
Divulgação

Segundo estudo da McKinsey & Company, 39% do público pretende utilizar a eletromobilidade

Um exemplo é que 70% dos entrevistados consideram serviços de veículos por assinatura, principalmente pela possibilidade de explorar diferentes tipos de soluções de mobilidade (21%) e por redução de custos totais de propriedade (18%).

Leia Também:  Nova geração do esportivo Audi RS3 pode ser 100% elétrica

“Notamos que os interessados pela eletrificação de veículos não veem mais motivo em serem proprietários de um veículo. O interesse é mais em ter acesso a um carro, uma mobilidade compartilhada, do que sem ser o dono do meio de transporte”, diz.

Além disso, 39% do público ouvido pela pesquisa afirma que pretende utilizar mais meios de locomoção de micromobilidade , como patinetes elétricos e bicicletas, nos próximos 10 anos.

Felipe Fava estará presente no C-MOVE – Congresso da Mobilidade e Veículos Elétricos , previsto para ocorrer nos dias 1 e 2 de setembro, no Expo Center Norte, em São Paulo, simultaneamente ao VE Latino Americano, que é o Salão da Mobilidade Elétrica.

No dia 1º de setembro Fava irá realizar uma apresentação que abordará não só o interesse dos brasileiros em carros eletrificados , mas também tendências de mercado, e oportunidades de ganhos econômicos em diversos setores que a eletrificação pode proporcionar.

“A ideia é tratarmos, de maneira ampla, os benefícios que a adoção de veículos eletrificados pode trazer ao País. Há espaço de desenvolvimento em diversas áreas e temos que explorar as possibilidades de forma planejada”, afirma Ricardo Guggisberg, presidente da MES Eventos, organizadora do C-MOVE

Leia Também:  Mercedes 300SL do piloto Juan Fangio pode valer mais de R$ 40 milhões

O C-MOVE acontece simultaneamente ao VE – Veículo Elétrico Latino-Americano. O evento, que é conhecido como o Salão da Mobilidade Elétrica , visa apresentar as principais tendências e novidades em eletromobilidade, reunindo setores como veículos elétricos Pesados, Leves, Levíssimos, além de Componentes, Infraestrutura e Serviços.

Segundo levantamento recente da FENABRAVE – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, os emplacamentos de automóveis e comerciais leves eletrificados cresceram quase 35% nos sete primeiros meses de 2022, na comparação com o mesmo período do ano passado. 

E de acordo com o acompanhamento mensal da ABVE (Associação Brasileira do Veículo elétrico) , o Brasil superou a marca de 100 mil veículos leves eletrificados comercializados.

Em 2021, o VE recebeu 4,3 mil visitantes e contou com mais de 40 empresas expositoras, enquanto o C-MOVE teve a participação de 130 especialistas, que apresentaram 27 horas de conteúdo para mais de 300 congressistas. A expectativa para 2022, segundo Guggisberg, é que o VE receba 10 mil visitantes e tenha 60 empresas expositoras.

Serviço

VE e C-MOVE

VE: 1 a 3 setembro, das 13h às 20h

C-MOVE: 1 e 2 de setembro, das 9h às 18h Pavilhão Amarelo – Expo Center Norte – São Paulo, SP Rua José Bernardo Pinto, 333 Vila Guilherme, São Paulo – SP

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA