(65) 99638-6107

CUIABÁ

O mundo sobre rodas

Edição limitada do Patinete elétrico traz as cores de corrida Petronas SRT

Publicados

O mundo sobre rodas


source


Patinete elétrico PSRT Velocifero Mad Air Concept e pode suportar o peso máximo de até 100 kg
Divulgação

Patinete elétrico PSRT Velocifero Mad Air Concept e pode suportar o peso máximo de até 100 kg

A Velocifero, tradicional fabricante italiano de patinetes elétricos anunciou a produção do PSRT Velocifero Mad Air Concept, o patinete elétrico de edição limitada feito em parceria com a Petronas Sepang Racing Team (Petronas SRT), uma equipe de motociclismo do Grande Prêmio da Malásia de propriedade do Circuito Internacional de Sepang Sepang Racing Team.

Em termos de design, a edição limitada apresenta as cores características da pintura de corrida Petronas SRT . O patinete promete combinar praticidade com estilo e desempenho. Fácil de transportar e armazenar e permite que o usuário ande tranquilamente pela via, graças ao um guidão dobrável e o peso de apenas 16 kg.

Patinete PSRT Velocifero Mad Air Concept . Foto: Divulgação

Patinete PSRT Velocifero Mad Air Concept . Foto: Divulgação

Patinete PSRT Velocifero Mad Air Concept . Foto: Divulgação

Patinete PSRT Velocifero Mad Air Concept . Foto: Divulgação

Leia Também:  VW e-Up! é escolhido o primeiro carro elétrico da marca na América Latina

Patinete PSRT Velocifero Mad Air Concept . Foto: Divulgação

Patinete PSRT Velocifero Mad Air Concept . Foto: Divulgação

Patinete PSRT Velocifero Mad Air Concept . Foto: Divulgação

Patinete PSRT Velocifero Mad Air Concept . Foto: Divulgação

Patinete PSRT Velocifero Mad Air Concept . Foto: Divulgação

O veículo possui um motor de 350 W e uma bateria removível de 10,4 Ah. Sua autonomia é de até 40 km com uma única carga. A velocidade máxima do novo patinete é de 25 km/h e pode suportar o peso máximo de até 100 kg. Além disso, o novo Mad Air vem com um novo painel de exibição digital e freios elétricos e a disco traseiros.

O PSRT Velocifero Mad Air Concept  foi apresentado na Holanda, durante o DutchGP 2021 e, de acordo com o chefe da equipe Petronas SRT , Razian Razali, é uma grande oportunidade comercial que complementa as corridas da equipe e o estilo de vida do MotoGP.

Aos entusiastas que quiserem saber mais detalhes, é só acessar o vlog da equipe, na edição desta semana. Por lá também será possível adquirir uma das 150,000 unidades produzidas da edição limitada bastando para isso enviar um formulário de registro como interesse de compra.

Leia Também:  Aston Martin e Mercedes vão fornecer carro médico e Safety Car da F1
Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

O mundo sobre rodas

Conheça a história do Karmann Ghia TC

Publicados

em


source


Karmann Ghia TC foi lançado em 1970 e, com motor 1.6 refrigerado a ar, podia atingir 142 km/h, segundo a fabricante
Divulgação

Karmann Ghia TC foi lançado em 1970 e, com motor 1.6 refrigerado a ar, podia atingir 142 km/h, segundo a fabricante

O Karmann Ghia foi produzido entre 1962 a 1970 através da união dos amigos Wilhelm Karmann Junior, engenheiro alemão de renome e herdeiro da empresa de carrocerias Karmann e Luigi Segre, proprietário da Carrozzeria Ghia, de Turim, na Itália.

Sem dúvida, foi um carro que remetia e muito a esportividade, principalmente os conversíveis, mas o peso dos anos foi passando o que obrigou a Volkswagen a pensar num outro modelo que fizesse jus ao primeiro modelo, lançando assim o TC.

O Karmann Ghia TC (Touring Coupé) , surgiu no dia 3 de agosto de 1970, foi um modelo desenhado no Brasil e teve uma leve inspiração no Porsche 911 . Ao invés da plataforma do Sedan (o Fusca que conhecemos por aqui), o TC baseava-se na plataforma dos VW Variant e TL , e não era tão charmoso quanto o Tipo 14 que o antecedeu.

Tinha uma carroceria mais simples e compreendia um estilo menos marcante, porém a traseira fastback (traseira levemente caída) era uma característica a qual agradava ao público.

Vinha com motor de 1600 cm3 equipado com dois carburadores 32PSTI, ventoinha plana gerando 65 cv, igual ao utilizado no Variant (Tipo 3) e que garantia um bom desempenho para a época, próximo à marca dos 142 km/h de velocidade final , levando em consideração o chassi pesado vindo do Tipo 3.

Karmann Ghia TC tem uma traseira que lembra a do Porsche 911 original, de 1963 pelo estilo de cupê
Divulgação

Karmann Ghia TC tem uma traseira que lembra a do Porsche 911 original, de 1963 pelo estilo de cupê

Internamente, o fastback era infinitamente superior, graças à ampla área envidraçada e ao generoso espaço para cinco ocupantes e tinha um porta-malas que fazia jus ao nome.

Leia Também:  Linha 2022 da R 18 das motos BMW ganha novas cores

A vantagem era a opção do rebatimento do banco traseiro que era bipartido e podia transformar o compartimento num porta-malas de grandes dimensões. Na frente, também havia espaço para acomodar pequenas bagagens. O TC também acabava de vez com alguns dos inconvenientes do Tipo 14 , como por exemplo, a turbulência interna que passava um certo desconforto com as janelas abertas.

O Karmann Ghia TC (Touring Coupé), surgiu no dia 3 de agosto de 1970, foi um modelo desenhado no Brasil
Reprodução

O Karmann Ghia TC (Touring Coupé), surgiu no dia 3 de agosto de 1970, foi um modelo desenhado no Brasil

Apesar das 18.119 unidades produzidas entre 1970 a 1975, o Karmann Ghia TC acabou se despedindo das linhas de montagem, devido às vendas que despencavam subitamente, passando a integrar, com merecido reconhecimento, sua parte na história da indústria automobilística nacional, agora como um verdadeiro clássico.

Você viu?

Onde surgiu a lenda Karmann Ghia?

Em 1953, Wilhelm e Luigi foram novamente a Volkswagen e mostraram o novo projeto e para a satisfação de ambos
Reprodução

Em 1953, Wilhelm e Luigi foram novamente a Volkswagen e mostraram o novo projeto e para a satisfação de ambos


O Volkswagen Karmann Ghia foi lançado através da união dos amigos Wilhelm Karmann Junior, engenheiro alemão de renome e herdeiro da empresa de carrocerias Karmann mais o Luigi Segre, proprietário da Carrozzeria Ghia, de Turim, na Itália.

Leia Também:  Conheça o Microlino, o pequeno carro elétrico suíço

Com a parceria, juntos desenvolveram um protótipo pedido pela Volkswagen, baseado no Sedan (o nosso Fusca). Mas ao ver o projeto a fábrica o teria rejeitado. Mesmo assim, Segre não se deu por satisfeito e desenvolveu discretamente uma outra proposta, mais tarde, apresentada ao amigo Karmann Junior que aprovou de imediato.

Em 1953, Wilhelm e Luigi foram novamente a Volkswagen e mostraram o novo projeto e para a satisfação de ambos, Heinrich Nordhoff – executivo da montadora, aprovou o trabalho dos amigos e, dois anos mais tarde o Karmann Ghia era apresentado ao público.

O estilo da carroceria baixa (inspirada num Chrysler de 1953), harmonizada com as lanternas em formato de gota junto aos pára-lamas salientes logo caiu nas graças de todos, principalmente dos brasileiros quando chegou por aqui – em 1962, quando a Karmann estabelecia as mesmas atividades em relação a matriz, na Alemanha.

Em relação às versões alemãs, o nosso esportivo era diferenciado apenas pelo motor boxer (cilindros opostos) cuja cilindrada correspondia míseros 1.192 cm³ rendendo apenas 30 cv , o mesmo do Sedan. Esteticamente, o modelo brasileiro recebia pára-choques mais robustos.

O Karmann Ghia conversível ou Cabriolet foi lançado em 1958 e hoje em dia é um dos clássicos mais valorizados
Reprodução

O Karmann Ghia conversível ou Cabriolet foi lançado em 1958 e hoje em dia é um dos clássicos mais valorizados

Em 1958, era a vez de ser lançado o modelo conversível. Com um belo desenho contrastando com a capota, merecia grandes elogios, porém o fraco desempenho era o mesmo da versão com teto rígido, sendo mais tarde substituída por um motor digno (exatos 1.493 cm³) de seu apelo esportivo. Por aqui foram comercializadas num total de 23.570 unidades do Karmann Ghia (Tipo 14) entre 1962 a 1971, sendo 177 da versão conversível.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA