(65) 99638-6107

CUIABÁ

O mundo sobre rodas

Audi A4 2021 é alternativa sofisticada no meio de um mar de SUVs

Publicados

O mundo sobre rodas


source
Audi A4 Performance Black 2021: entre os retoques no desenho, destacam-se dos novos faróis e as rodas de aro 18
Divulgação

Audi A4 Performance Black 2021: entre os retoques no desenho, destacam-se dos novos faróis e as rodas de aro 18

Quem pode escolher por um modelo sofisticado que passa dos R$ 300 mil e precisa de espaço tem algumas opções hoje em dia no Brasil. Além de uma porção de SUVs, existem alguns sedãs, entre os quais o Audi A4 da linha 2021, que acaba de receber uma reforma visual e mais equipamentos para continuar na briga com os fortes concorrentes, como BMW Série 3, Mercedes Classe C e Volvo S60.

Na nova era da mobilidade e em tempos de preços dos combustível nas alturas, um sistema híbrido é muito bem-vindo não apenas para economizar na hora de abastecer, mas aumentar a autonomia, poluir menos o meio ambiente e até contribuir com o desempenho.

Mas, o contrário dos principais rivais, o Audi A4 2021 Performance Black (R$ 304.990) só consegue entregar apenas o chamado sistema híbrido leve, que ajuda somente vencer a inércia do motor, sem tracionar as rodas, como nos rivais BMW 330e M Sport (R$ 319.950) e Volvo S60 R-Design T8 (R$ 309.950).

Entre os três, o Audi é o único a ter câmbio automatizado, de dupla embreagem, no lugar do conversor de torque, o que contribui com trocas um pouco mais rápidas, mas também não ajuda muito na economia de combustível, bem como a tração integral. Aliás, se a ideia é ir mais para o lado do desempenho, sem ligar muito para eficiência energética, o sedã A4 vai bem pelo comportamento mais viceral.

Leia Também:  Renault anuncia R$ 1,1 bi para renovar linha brasileira até 2022

Com motor 2.0 turbo, o Audi A4 Performance Black tem 249 cv e bons 37,7 kgfm de torque a meros 1.700 rpm, o que é suficiente para acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 5,8 segundos, praticamente o mesmo tempo do BMW 330e M Sport (5,9 s), mas sem alcançar os míseros 4,4 segundos do Volvo S60 R-Design T8, um híbrido plug-in que se destaca entre os sedãs de luxo hoje em dia no Brasil, entre outros itens, por aliar bom desempenho com autonomia média (1332 km), bem melhor que a dos concorrentes da BMW (968 km) e da Audi (638 km).

Dois pontos que impressionam ao volante do A4 é o isolamento acústico e a solidez da carroceria. Pode acelerar ou passar por irregularidades no piso que o interior do carro se mantém sempre em silêncio e confortável, mesmo calçado com rodas de aro 18 e pneus de perfil baixo 245/40R 18. Também merecem destaque os três modos de condução : Efficiency, Comfort, Auto, Dynamic e Individual. O primeiro procura economizar combustível e o último torna mais ágeis as reações do carro (acelerador, câmbio e direção)

Também faltam sistemas autônomos ao Audi A4 2021, outro item que os principais rivais oferecem. E com toda a lista de opcionais, o carro pode chegar nos R$ 342.690. Entre os equipamentos extras está o o pacote Assistance City (mais R$ 8.000), composto pelo Audi pre sense traseiro e o assistente de mudanças de faixas, e os faróis Full LED Matrix HD (R$ 12.000). Outros dois itens cobrados à parte são a pintura (R$ 2.200) e o som de alta-fidelidade Bang&Olufsen 3D (R$ 8.000).

Principal mudança no interior fica por conta da nova central multimídia com tela sensível ao toque de 10,1 polegadas
Divulgação

Principal mudança no interior fica por conta da nova central multimídia com tela sensível ao toque de 10,1 polegadas

Ainda na comparação com rivais, quando o assunto é espaço, o Audi A4 2021 tem apenas o porta-malas um pouco maior, de 460 litros, ante 455 litros  do Mercedes Classe C , 442 litros do Volvo S60 e 365 litros do BMW Série 3 . A distância entre-eixos do sedã da marca das quatro argolas, porém, é a menor (2,82 m, ante 2,84 m do Mercedes, 2,85 m do BMW e 2,87 m do Volvo). E, no Audi, quem for ficar no centro do banco traseiro vai ficar mais desconfortável, com menos espaço para acomodar as pernas.

Leia Também:  Volkswagen vai investir em bateria padrão para baratear carros elétricos

Entre as mudanças da linha 2021, a central multimídia com tela sensível ao toque, com tela de 10,1 polegadas com Apple Car Play e Android Auto sem fio e carregamento do celular por indução. Mas se você não conectar o seu aparelho e quiser apenas ouvir rádio, por exemplo, tudo ficou mais difícil do que na versão anterior, que tinha controles mais ao alcance das mãos, no console central, proximos do botão de freio de estacionamento.

Você viu?

Conclusão

O Audi A4 2021 ficou meio deslocado no segmento de sedãs de luxo, com fortes rivais, principalmente o híbrido plug-in Volvo S60 R-Design T8 . E com todos os opcionais, o carro fica com preço até superior aos principais concorrentes. Se for fugir dos SUVs, vale a pena pensar bem, a menos que seja fã da marca sediada em Ingolstadt (Alemanha).

Ficha Técnica

Audi A4 Performance Black 2021

Preço: a partir de R$ 304.990

Motor: 2.0. quatro cilindros, turbo, gasolina Potência: 249 a 5.000 rpm  Torque: 37,1 kgfm a 1.600 rpm   Transmissão: Automatizado, dupla embreagem, de 7 marchas Suspensão: independente (dianteira), multibraço o (traseira)   Freios: discos ventilados (dianteira e traseira)   Dimensões: 4,76 m (comprimento), 1,85 m (largura), 1,43 m (altura), 2,82 m (entre-eixos)   Porta-malas: 460 litros   Tanque: 58 litros   Consumo: 9,7 km/l (cidade) km/l e 12,3 km/l (estrada) com gasolina 

 0 a 100 km/l: 5,8 s

Vel. Max: 250 km/h 


Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

O mundo sobre rodas

Hyundai Creta 2022 quer voltar a ser líder na versão 1.0 Platinum

Publicados

em


source
Hyundai Creta Platinum 1.0: visual recebeu mudanças em relação à versão coreana, mas continuou controverso
Cauê Lira/iG Carros

Hyundai Creta Platinum 1.0: visual recebeu mudanças em relação à versão coreana, mas continuou controverso

Entre todos os carros de imprensa que guiei neste ano, o Hyundai Creta 2022 foi um dos que causou mais curiosidade nas pessoas. Ele chega às lojas nas versões Comfort 1.0 (R$ 107.490), Limited 1.0 (R$ 120.490), Platinum 1.0 (R$ 135.490) e Ultimate 2.0 (R$ 147.990), contando ainda com a versão Action 1.6 (R$ 94.690) que mantém o visual antigo.

Foi justamente neste ponto que a Hyundai mais investiu. Podemos dizer que o Creta 2022 teve uma das reestilizações mais profundas dos últimos anos, atualizando não apenas o design da dianteira e da traseira, como também o interior. 

O Creta ainda é montado sob a plataforma GB, a mesma que equipou o sedã  Elantra por muitos anos. O visual traz inspirações claras do Palisade , SUV de grande porte que faz sucesso nos Estados Unidos. 

Os faróis dianteiros passam a ser divididos com uma parte maior abaixo e um filete mais estreito acima, em um arranjo inaugurado pela Fiat Toro no Brasil. O mais interessante é que este padrão continua na traseira.

O interior também está diferente, trazendo um ar mais sofisticado. Destaque para a central multimídia de 10,25 polegadas, a maior da categoria, e o novo seletor de modo de condução com quatro opções: econômico, normal, personalizado e esportivo.

Leia Também:  Veja 5 carros cujos nomes se transformaram em marcas próprias

Motores

Versão com motor 1.0 turbo, com injeção direta, mostrou-se ágil o suficiente no dia a dia, tanto na cidade quanto na estrada
Divulgação

Versão com motor 1.0 turbo, com injeção direta, mostrou-se ágil o suficiente no dia a dia, tanto na cidade quanto na estrada

Na linha 2022, os motores do Creta estão dispostos da seguinte forma. A versão Action sem facelift mantém o motor 1.6 aspirado de 130 cv de potência e 16,5 kgfm de torque, com câmbio automático de seis marchas. Os modelos Comfort , Limited e Platinum contam com o motor 1.0 turbo GDi de 120 cv de potência e 17,5 kgfm de torque.

Quem olha para os números sem enxergar o contexto pode imaginar que o Creta regrediu ao apostar em um motor de apenas um litro de cilindrada com potência declarada em níveis inferiores. Mas a verdade é que o SUV nunca esteve tão bom de andar.

O antigo motor 1.6 desenvolve seus 16,5 kgfm de torque em 4.500 rotações, enquanto o motor 1.0 turbo precisa de apenas 1.500 rotações para entregar o torque cheio de 17,5 kgfm de torque. Sendo assim, temos um SUV muito mais ágil  aos comandos do motorista no pedal, além de ter ficado mais eficiente.

Leia Também

Com o novo 1.0 turbo, o SUV ficou muito mais espertinho para encarar subidas e saídas de semáforo. O grande destaque fica por conta do câmbio automático de seis marchas , que tem trocas suaves e inteligentes, de acordo com o modo de condução escolhido pelo motorista.

O casamento entre o motor 1.0 turbo e o câmbio é feliz, proporcionando bom desempenho para a versão. O consumo, segundo o Inmetro, é de 8,3 km/l na cidade e 8,7 km/l na estrada com etanol, além de marcar 11,6 km/l na cidade e 12 km/l na estrada.

Leia Também:  Honda anuncia mudanças de comando para a America do Sul

A versão mais cara do Creta, a Ultimate , mantém o motor 2.0 aspirado, que ganhou 1 cv na comparação com o modelo anterior. Agora são 167 cv de potência a 6.200 rpm e 20,5 kgfm de torque a 4.700 rpm, com câmbio automático de seis marchas. Em algumas semanas, teremos essa versão em nossa garagem para um veredito sobre ela.

Conforto

Interior do novo Creta representa a principal evolução do modelo, que ficou com aspecto mais requintado e moderno
Divulgação

Interior do novo Creta representa a principal evolução do modelo, que ficou com aspecto mais requintado e moderno

O Creta Platinium ainda conta com várias câmeras espalhadas pela carroceria, que formam uma visualização 360° na central multimídia. Trata-se de um ótimo recurso para evitar ‘raladas’ indesejadas no estacionamento do prédio.

O porta-malas que antes tinha 431 litros agora passa a ter 422. Isso porque os engenheiros optaram por recuar o banco traseiro e dar mais espaço para os joelhos.

Veredito

O Hyundai Creta quer voltar à liderança do segmento, posto que atingiu em 2018 ao superar o Honda HR-V por mil unidades nas vendas. Em 2022 também terá que enfrentar o novo SUV compacto da Honda.

Apesar da polêmica a respeito do visual – principalmente pelo formato dos faróis dianteiros – o modelo renovado deve repetir a história do HB20 e performar bem nas concessionárias. Vale lembrar que o hatch também sofreu críticas pelo visual ao ser lançado em 2019, mas foi o carro mais vendido do Brasil em setembro de 2021.

Hyundai Creta Platinum Motor: 1.0, turbo, flex Potência: 120 cv a 6.000 rpm Torque: 17,5 kgfm a 1.500 rpm Transmissão: automática, seis marchas Suspensão: McPherson (dianteira), eixo de torção (traseira) Freios: discos ventilados (dianteira), discos sólidos (traseira) Proporções: 4,30 metros (comprimento), 1,79 m (largura), 1,63 m (altura), 2.61 m (entre-eixos) Pneus: 215/60 R17 Porta-malas: 422 litros Consumo etanol: 8,3 km/l na cidade e 8,7 km/l na estrada Consumo gasolina: 11,6 km/l na cidade e 12 km/l na estrada

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA