(65) 99638-6107

CUIABÁ

O mundo sobre rodas

Aluguel de carros segue em alta, mesmo com combustíveis caros

Publicados

O mundo sobre rodas

source


Aluguel de carros para empresas representa 52% das locações de veículos hoje em dia, segundo a ABLA
Divulgação

Aluguel de carros para empresas representa 52% das locações de veículos hoje em dia, segundo a ABLA

Mesmo com a alta constante no preço dos combustíveis para o consumidor, o mercado de aluguel de veículos vem tendo aumento na procura, segundo Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (ABLA).

De acordo com uma pesquisa feita pela entidade, as mais recentes estatísticas apontaram no primeiro trimestre, vendas de mais de 80 mil veículos novos às locadoras e a frota total de automóveis do setor cresceu de 1.136.517 para 1.173.357 unidades.

Ainda conforme a avaliação da ABLA , no âmbito do turismo os aumentos nos preços das passagens aéreas provocaram, mesmo que ‘por linhas tortas’, estímulos às viagens rodoviárias.

Leia Também:  A história de Ray Charles com o Ford Thunderbird no Salão de Detroit

“Aqueles mais habituados a voar passaram a levar em consideração a opção de locar veículos, como bem mostrou o significativo aumento de 12,3% no número de usuários do nosso setor no ano passado”, lembra Marco Aurélio Nazaré, presidente da ABLA.

Ainda segundo o executivo, as pessoas estão se conscientizando de que “pagar apenas para usar um carro é bem melhor do que gastar muito mais para comprar. Trata-se de uma mudança comportamental que até mesmo os preços nos postos de combustíveis não estão sendo capazes de inibir”.

 As modalidades de locação responsáveis por isso são principalmente a do carro por assinatura e o aluguel de frotas para empresas privadas , cuja demanda segue forte apesar das pressões provocadas pelos reajustes nos combustíveis.

“É que, principalmente no caso do aluguel para empresas, que representa o uso de 52% dos carros das locadoras no país, na hora de calcular e decidir entre manter uma frota própria ou migrar para uma alugada, o preço do combustível não altera o resultado final do produto”, completa o conselheiro gestor da ABLA , Paulo Miguel Júnior.

Leia Também:  Marca búlgara promete carro elétrico que poderá chegar aos 580 km/h
Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

O mundo sobre rodas

Mini traz 15 unidades da série Pat Moss Edition do John Cooper Works

Publicados

em


Nome de Pat Moss é uma homenagem a piloto britânica que deu à Mini sua primeira vitória em  uma prova de rali
Divulgação

Nome de Pat Moss é uma homenagem a piloto britânica que deu à Mini sua primeira vitória em uma prova de rali

A Mini anuncia que vai trazer ao mercado brasileiro a série especial do John Cooper Works batizada de Pat Moss, em homenagem à piloto britânica que deu à Mini sua primeira vitória em um rali internacional, há 60 anos.

De acordo com a fabricante inglesa, o modelo tem apenas 800 unidades espalhadas em todo o mundo, sendo que apenas 15 serão destinadas para pré-venda no Brasil ao preço de R$ 318.390 , com as primeiras entregas programadas para setembro. 

Disponibilizada na cor Preto Midnight para a carroceria e teto multitone de três cores (Preto Jet, Cinza Melting e Vermelho Chili), o hatch agrega faixa branca no capô além da assinatura da Pat Moss no para-choque dianteiro. 

Leia Também:  Novos faróis da Ford podem projetar placas de trânsito nas estradas

Por dentro, além da assinatura da piloto, há também sistema de som da renomada Harman/Kardon , head up display , painel digital, central multimidia touchscreen de 8,8 polegadas e sistema de navegação integrado.

O motor é biturbo de 2,0 litros de quatro cilindros de 231 cv e torque de 32,63 kgfm e a transmissão de 8 velocidades. Segundo a fabricante, de 0 a 100 km/h são feitos em 6,1 segundos e a velocidade máxima é de 246 km/h.

Pat Moss e a navegadora, Ann Wisdom venceram no Rally de Monte Carlo em 1964, 1965 e 1967 e décadas depois, a vitória geral no Paris-Dakar quatro vezes seguidas (2012 e 2015), além de mais duas gerais (2020 e 2021).

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA