(65) 99638-6107

CUIABÁ

O mundo sobre rodas

A-Rider Crossover é meio patinete e bicicleta e reboca até SUVs

Publicados

O mundo sobre rodas


source


A Ride Crossover: pode rebocar até um utilitário esportivo do porte do Ford Escape, conforme a fabricante
Divulgação

A Ride Crossover: pode rebocar até um utilitário esportivo do porte do Ford Escape, conforme a fabricante

Ele mais parece com uma bicicleta comum, mas é um, se podemos dizer, meio de bicicleta elétrica e meio de um patinete elétrico. Estamos falando do A-Rider Crossover, um “híbrido” totalmente elétrico que tem força o suficiente até para rebocar um SUV de até 1.800 kg.

O veículo é um “e-scooter” veio das trilhas e de acordo com a fabricante Alpine Riding pode ser utilizada para inúmeras tarefas, incluindo levar os filhos à escola, mas também pode enfrentar qualquer terreno, graças aos seus pneus borrachudos de 24”, ideal para praia e trilhas acidentadas.

Quanto à potência , o scooter elétrica é equipado com um motor MAC de 1000 W que o mantém a 32 km/h na estrada, de acordo com a lei local. Essa limitação pode ser removida, porém, ao usar o scooter no modo off-road . Além dessa, há também uma versão com motor de 500W.

A Ride Crossover. Foto: Divulgação

Leia Também:  Vaza foto da picape Ford Maverick antes da estreia

A Ride Crossover. Foto: Divulgação

A Ride Crossover. Foto: Divulgação

A Ride Crossover. Foto: Divulgação

A Ride Crossover. Foto: Divulgação

A Ride Crossover. Foto: Divulgação

A Ride Crossover. Foto: Divulgação

A Ride Crossover. Foto: Divulgação

A Ride Crossover. Foto: Divulgação

A primeira opção, a empresa ainda se orgulha de colocá-la à prova, fazendo do A-Ride rebocar até um Ford Escape.

Leia Também

Leia Também

O A-Ride conta com rodas grandes e suspensão dupla com amortecedores que têm 120 mm de curso na frente e atrás, freios a disco hidráulicos e uma tela TFT de 3,5”, que mostra sua velocidade atual, velocidade máxima, distância total da viagem, tempo, nível da bateria, entre outros itens.

De acordo com a fabricante a autonomia é de 80 km com uma carga completa cujo processo demora aproximadamente cinco horas, falando especificamente na versão mais potente com motor de MAC de 1000 W.

O A-Ride é vendido nos EUA ao preço de US$ 4.700, ou algo em torno de R$ 26.000, numa conversão simples. Além disso, o cliente pode optar por acessórios como kit de guidão para crianças, racks de carga e conjuntos de para-lamas.

Leia Também:  MP permite posto de bandeira vender combustível de outros fornecedores
Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

O mundo sobre rodas

Piloto põe raridades da Ferrari à venda e pode arrecadar R$ 40 milhões

Publicados

em


source


Coleção de Ferrari inclui um modelo de Fórmula 1 e supercarros icônicos, com 288 GTO e o 275 GTB/4
Divulgação

Coleção de Ferrari inclui um modelo de Fórmula 1 e supercarros icônicos, com 288 GTO e o 275 GTB/4

Um piloto de corrida pouco conhecido, Marcel Petitjean está colocado a sua invejável coleção de modelos da Ferrari cujo montante de 28 exemplares dos mais raros modelos serão oferecidos sem reservas em um leilão da RM Sotheby’s em Paris, no dia 2 de fevereiro.

Petitjean não teve muito sucesso como piloto de corrida nos anos 60, mas com certeza compensou mais tarde com seus investimentos inteligentes. O ex-piloto até pensou em abrir um museu do automóvel , mas seus planos fracassaram e mais tarde ele decidiu vender as raridades.

Entre as preciosidades, estão uma 288 GTO de 1985, com apenas 272 unidades fabricadas e esta em específico, conta com apenas 9.600 quilômetros. O preço? Pelo menos US$ 2,8 milhões de dólares, ou R$ 15.164.800, em conversão simples.

Colecao de Ferraris. Foto: Divulgação

Leia Também:  Renault apresenta novo compacto 100% elétrico em Munique

Colecao de Ferraris. Foto: Divulgação

Colecao de Ferraris. Foto: Divulgação

Colecao de Ferraris. Foto: Divulgação

Colecao de Ferraris. Foto: Divulgação

Colecao de Ferraris. Foto: Divulgação

Outra das raridades é a 275 GTB/4 de 1966, a primeira Ferrari de produção a ser equipada com a versão de quatro árvores de cames no cabeçote do V12. Provavelmente chegará a mais de US$ 2,2 milhões de dólares (R$ 11.915.200).

Outros destaques incluem uma Ferrari 250 GT Series II Cabriolet restaurada de 1959 e uma Ferrari 250 GT/L Berlinetta de 1964. Ambos apresentam o motor V12 “Colombo” de bloco curto de 3,0 litros e, sem dúvida, adicionarão quase R$ 40 milhões de reais à conta bancária de Petitjean.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MATO GROSSO

POLÍCIA

Economia

BRASIL

MAIS LIDAS DA SEMANA